RESUMO remédios constitucionais, org. político-adm e intervenção federal
11 pág.

RESUMO remédios constitucionais, org. político-adm e intervenção federal


DisciplinaDireito Constitucional I63.160 materiais1.459.521 seguidores
Pré-visualização4 páginas
RESUMO D. CONSTITUCIONAL
Remédios Constitucionais
Habeas Corpus:
\u201cConceder-se-á habeas corpus sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção , por ilegalidade ou abuso de poder.\u201d (art. 5º., LXVIII)
Liberdade de locomoção(ameaça de lesão à liberdade de ir e vir.
Autor (impetrante): pode ser pessoa física(nacional ou estrangeira), agir em seu favor, ou em favor de terceiro, podendo ser o MP ou pessoa jurídica. Juiz pode conceder de ofício se tiver no exercício de sua atividade jurisdicional.
Indivíduo(paciente): Indivíduo em favor do qual se impetra. OBS: PODE SER O PRÓPRIO IMPETRANTE.
(Autoridade coatora ou Impetrado): Autoridade que pratica a ilegalidade ou abuso de poder.
- A ação pode ser formulada sem advogado, não tendo que obedecer a qualquer formalidade processual ou instrumental, por força do art. 5º, LXXVII, gratuita. Pode ser interposto para trancar ação penal ou inquérito, bem como em face de particular.
Não cabe habeas corpus em relação à punição de disciplinares militares.
Espécies
Preventivo: Quando alguém se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção por ilegalidade ou abuso de poder. (A restrição ainda não se consumou). Nessa situação poderá obter um salvo-conduto, para garantir o trânsito de ir e vir.
Liberatório ou repressivo: Quando a constrição à liberdade de ir e vir já se consumou, então ele cessa a violência ou a coação.
Legitimidade ativa: Juiz concede de ofício o H.C. Menor de idade e estrangeiro podem impetrar H.C.
Legitimidade passiva: Objetos(coisas) e animais, não podem impetrar H.C.
MANDADO DE SEGURANÇA
Ação constitucional, de natureza civil, qualquer que seja o ato impugnado, seja ele administrativo, jurisdicional, criminal, eleitoral e trabalhista. (Ação anulatória de atos da Administração).
\u201cConceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo, não amparado por habeas corpus ou habeas data, quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do poder público.\u201d (art. 5º, LXIX).
Repressivo: ilegalidade ou abuso de poder já praticados;
Preventivo: Quando estiver em ameaça à violação de direito líquido e certo do impetrante, para evitar o perecimento do objeto, o impetrante poderá concessão de liminar. (Líquido e certo não precisa de prova, perícia).
- Prazo para impetrar mandado de segurança é de 120 dias, contados da ciência do interessado, do ato a ser impugnado.
- Dentro do prazo pode impetrar outro mandado de segurança, se este não for julgado.
- Se houver julgamento do mérito, finalizado.
Hipóteses que não cabe mandado de segurança:
Contra decisão tramitada em julgado;
Contra lei em tese (lei em pauta para diminuir direitos do povo);
Contra ato interno do poder legislativo(ato interno que desrespeite o regimento interno, é competência do poder legislativo, tomar posse.
Mandado de segurança coletivo (art. 5º, LXX)
Reside em seu objeto é na legitimidade ativa. Diferenciação entre individual e coletivo.
Proteção de direito líquido e certo, não amparado por habeas corpus ou habeas data, contra atos ou omissão ilegais ou com abuso de poder de autoridade, dos interesses individuais homogêneos e coletivos.
Individuais homogêneos: Origem comum ou situação específica da totalidade.
Coletivos: Pessoas ligadas entre si ou com parte contrária por uma relação jurídica básica.
Legitimidade ativa: Partido político com representação no Congresso Nacional. 
Na defesa de seus integrantes legítimos:
A seus integrantes;
A finalidade partidária;
Organização sindical, entidade de classe ou associação, desde que esteja legalmente constituídas e em funcionamento há pelo menos 1 ano, em defesa dos interesses de seus membros associados. 
Devem preencher os seguintes requisitos:
Estar legalmente constituídas;
Atuar na defesa dos interesses dos seus membros associados;
O requisito de estarem funcionando há pelo menos 1 ano é exclusivo das associações, não sendo exigido dos partidos políticos, organizações sindicais e entidade de classe.
Direitos tutelados:
Individuais e transindividuais, pertencem a uma coletividade de pessoas.
Objetivos do mandado de segurança coletivo:
Fortalecimento das organizações classistas;
Pacificar as relações sociais pela solução que o judiciário dará situações controvertidos, que poderia gerar milhares de litígios com a consequente desestabilização da ordem social.
MANDADO DE INJUÇÃO
\u201cConceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício de direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.\u201d
Requisitos para mandado de injunção: 
Norma constitucional de eficácia limitada, prescrevendo direitos, liberdades constitucionais e prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e a cidadania.
Falta de norma regulamentadora, tornando inviável o exercício dos direitos, liberdades e prerrogativas acima mencionadas.( Omissão do poder público)
Mandado de injunção surge para \u201ccurar\u201d a \u201cdoença\u201d denominada síndrome de inefetividade das normas constitucionais.
Legitimidade ativa e passiva:
Qualquer pessoa pode impetrar um mandado de injunção quando falta norma regulamentadora o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.
Somente pessoa estatal poderá ser demandado e nunca o particular.
Mandado de injunção coletivo: 
Segue todas as normas do mandado de segurança coletivo
Aplicação imediata,regula o tema até o Congresso Nacional normatizar a matéria e assegurar os Direitos Fundamentais.
HABEAS DATA
\u201cConceder-se-á habeas data: 
para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público. 
Para retificação de dados, quando não se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial ou administrativo. (art. 5º, LXXII)
O habeas data, destina-se a disciplinar o direito de acesso a informações, constantes de registro ou banco de dados de entidades governamentais ou de caráter público, para o conhecimento ou retificação(tanto de informações erradas como imprecisas, ou apesar de corretas e verdadeiras, desatualizadas) todas concernentes à pessoa do impetrante.
Essa garantia não se confunde com o direito de obter certidões, ou informações de interesse particular, coletivo ou geral. Havendo a recusa do no fornecimento de certidões, o remédio é mandado de segurança. Se caso for pedido para assegurar o conhecimento de informações relativas a pessoa do impetrante, o remédio é habeas data.
Legitimidade ativa e passiva:
Qualquer pessoa física ou jurídica pode ajuizar habeas data para ter acesso á informações.
Procedimento:
É necessária a recusa de informações pela autoridade, sob pena de pretensão resistida, a parte a ser julgada carecedora da ação, por falta de interesse processual.
São gratuitos os procedimentos administrativos para acesso de informações e retificação de dados e para anotações de justificação, bem como a ação de habeas data.
Órgão tem 48 horas para decidir sobre a informação e mais 24 horas para se pronunciar.
Para impetrar habeas data é necessário 10 dias sem resposta.
Correção ou justificação +15 dias.
Incluir justificativas em informações, ainda que não sejam falsas.
Exigem prévio esgotamento na esfera administrativa, antes de ir ao judiciário é necessário ir ao estabelecimento e esgotar as possibilidades.
AÇÃO POPULAR
\u201cQualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência.\u201d