Resumão   Sociedade e Meio Ambiente
39 pág.

Resumão Sociedade e Meio Ambiente


DisciplinaSociedade e Meio Ambiente2.498 materiais7.310 seguidores
Pré-visualização11 páginas
Unidade 1 :
A revolução Neolítica :
Tópico 1 
INTRODUÇÃO
Há 12mil anos, aproximadamente, o gênero humano mudou radicalmente o seu modo de vida. Esta mudança compreendeu basicamente a passagem de uma economia baseada na coleta e caça de animais para uma economia que passou a utilizar a terra de maneira intensiva, intensiva, muitas vezes, para além da sua capacidade de renovação. Veremos que esta mudança significará ao gênero humano um salto em cultura e civilização jamais visto. Entretanto, de filho da terra, o homem passa a ser o senhor da terra, muitas vezes, utilizando-a ao limite da exaustão, ao mesmo tempo em que, em muitas sociedades, como você verá no decorrer deste tópico, o uso exaustivo dos recursos naturais se estenderá também à exploração do gênero humano.
O PONTO DE VIRADA NA RELAÇÃO HOMEM \u2013 NATUREZA
Terra mostra que a relação homem X natureza estreitou-se há aproximadamente 10 a 12 mil anos, na Revolução Neolítica, quando comunidades nômades passaram a se fixar em locais estabelecidos, dedicando-se à prática da agricultura e da pecuária. Antes deste evento, o homem, em constante migração, ia se apropriando dos recursos e migrando à medida que os mesmos escasseavam. Alguns grupamentos humanos ainda iriam vagar por muitas centenas de anos, depois que os primeiros homens se fixaram no Vale da Mesopotâmia, que, segundo estudiosos, foi um dos primeiros lugares a ter moradores fixos.
NOSSO PASSADO ANDANTE
A obtenção de alimentos era baseada na coleta e na caça. A respeito do nomadismo, \u201calguns especialistas consideram esse período o mais flexível e bem-sucedido já adotado pelos seres humanos. O nomadismo ocupa 99% deste tempo. Ironicamente, é neste 1% de sedentarismo que se dará quase a totalidade dos impactos que o gênero humano imprimirá ao planeta Terra.
Vale destacar um evento determinante na trajetória do troglodita viajante, que foi o domínio do fogo.
Um grupo de seres vivos deixava na atmosfera mais dióxido de carbono do que aquele proveniente da sua respiração. O fogo, antes da Revolução Neolítica, foi o acontecimento mais determinante e definitivo que iria possibilitar a permanência e a primeira revolução cultural humana.
No sedentarismo, surge a agricultura, o domínio dos animais, o conceito de propriedade que se estende desde áreas de terra a seres humanos \u2013 nas sociedades escravocratas. Posteriormente, e também já na denominada Idade dos Metais, o homem passa a vasculhar as entranhas da terra, na busca dos minérios que servirão na manufatura de enxadas, foices, arados, espadas, morteiros, guilhotinas, âncoras, armas de fogo, automóveis, bombas atômicas, naves espaciais e computadores. Tudo isso, neste 1% da história dos seres humanos sobre o planeta Terra.
E A REVOLUÇÃO VERDE SE ESPALHOU PELO MUNDO
Uma das mudanças mais marcantes é a fixação dohomem à terra, que dá origem à propriedade, fenômeno que de certa maneira seráo pivô de toda uma história de terror e glória que está por vir. Segundo pesquisadores, acredita-se que as primeiras atividades agrícolas tenham iniciado na região de Jericó, Cisjordânia (Israel), há aproximadamente 10 mil anos. Em outras regiões do mundo, sucessivamente, o gênero humano foi fixando suas raízes. Segundo Pinsky (2011), grupos humanos sofreram essa transformação em momentos diferentes, com intensidade diferente, em diferentes locais do mundo:
QUADRO 1 \u2013 TRANSFORMAÇÕES EM MOMENTOS DIFERENTES
Região Revolução agrícola
Israel 10 mil anos atrás
Índia 9 mil anos atrás
China 7 mil anos atrás
Europa 6,5 mil anos atrás
África tropical 5 mil anos atrás
Américas 4,5 mil anos atrás
A escolha dos pesquisadores pelo termo Revolução Agrícola justifica-se pelo impacto desta nova forma de vida na história do homem e do meio ambiente.
Com o cultivo do solo, os grupos se tornam maiores, normalmente estabelecidos
pelo limite de fertilidade do solo. termo transumância é usado para designar o fenômeno de deslocamento sazonal de rebanhos para áreas com mais recursos. Assim, podemos dizer que ainda durante algumas centenas de anos, a humanidade desenvolveu-se no que poderíamos chamar de um regime seminômade.
O LEGADO MESOPOTÂMICO.
 Devemos aos mesopotâmicos vários elementos de nossa civilização. Vejamos alguns:
\u2022 o ano de 12 meses e a semana de 7 dias;
\u2022 a divisão do dia em 24 horas;
\u2022 a crença nos horóscopos e os 12 signos do zodíaco;
\u2022 hábito de fazer o plantio de acordo com as fases da Lua;
\u2022 o círculo de 360 graus;
\u2022 o processo aritmético da multiplicação.
DA NATUREZA MÃE PARA A NATUREZA POSSE
O termo «Crescente Fértil» foi criado por um arqueólogo, da Universidade de
Chicago, em referência ao fato de o arco formado pelas diferentes zonas assemelhar-se a uma Lua crescente.Desta forma, tão antigos quanto as mudanças na relação com a terra,oriundas da revolução agrícola, são os acordos, em princípio não escritos, que regiam o direito à propriedade. Um destes acordos, talvez o mais famoso, é o Código de Hamurábi, que embora tenha sido escrito pelo rei babilônico Hamurábi há apenas 38 séculos, compilava leis que na prática regiam nossos ancestrais desde a aurora do sedentarismo. O Código de Hamurábi era, sobretudo, um tratado sobre as leis da propriedade. Olho por olho, dente por dente é a máxima que define o código de leis e conduta que priorizava o direito à propriedade, à defesa da vida, à honra e dignidade familiar. A transgressão levava seus autores a castigos que iam desde a amputação de partes do corpo até o pagamento com a vida. Convém destacar que, mesmo após a queda do império babilônico, as civilizações que se sucederam continuaram a utilizar o Código de Hamurábi. Se analisarmos o Código de Hamurábi, veremos que ele se constitui em um rol de procedimentos e regras de conduta que irão controlar os resquícios de selvageria que ainda habitavam o homem. De certa forma, é o que tornará possível a vida em sociedade, a proteção do bem familiar e, até onde possível, evitará a barbárie.
DO HOMEM LIVRE AO HOMEM POSSE
O que desejamos destacar, portanto, é que a escravidão do homem é um
fenômeno que ocorre junto à posse e ao uso da terra, sempre para a glória de alguém, seja um poder tangível ou um ente espiritual, representado por um sacerdote. O escravo, por constituir uma propriedade, pode ser negociado, vendido, alugado e até morto. Em muitas sociedades, como veremos, o escravo torna-se também um bem mercantil, uma mercadoria, cujo preço varia conforme as condições físicas, aptidões profissionais, procedência, idade, sexo. Uma destas variantes, a Corveia Real, é apontada pelos historiadores como a forma mais utilizada de trabalho compulsório no antigo Egito. Nesta modalidade de escravismo, a população podia ser convocada para períodos de servidão. O período de servidão durava até que a obra a ser realizada fosse concluída. Para quem tentasse fugir, estavam reservados castigos, que iam desde a mutilação de
membros até a pena de escravidão definitiva. Um dos pontos mais significativos da trajetória humana sobre o planeta Terra foi a Revolução Neolítica, quando o homem inicia um processo de fixação à terra, denominado sedentarismo. 
\u2022 Com o cultivo do solo na revolução agrícola, os grupos humanos se tornam
maiores, normalmente estabelecidos pelo limite de fertilidade do solo.
\u2022 Nas aldeias, além das atividades agropastoris há uma crescente diversificação
de outros bens: ferramentas para o cultivo da terra, recipientes cerâmicos,
fornos, pilões, roupas. A diversificação seguida da especialização fez com que
surgissem centros de troca de produtos agrícolas e manufaturados.
\u2022 O processo de sedentarizarão irá gerar o fenômeno da posse, que se estenderá
desde áreas de terra até seres humanos. Inicia aí a economia escravocrata em
suas várias formas; as diferenças entre o nomadismo e o sedentarismo vão
impactar seriamente no uso da terra e nas relações sociais, conforme mostra
quadro-síntese a seguir:
RESUMO DO TÓPICO 1
Nomadismo
 Atividades principais Caça, pesca e coleta de frutos, sementes
Maryá
Maryá fez um comentário
Poderias me enviar, por favor, por e-mail? É mggrassmann@gmail.com
0 aprovações
Carregar mais