A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Avaliação On Line 5 (AOL 5)   Questionário

Pré-visualização | Página 1 de 4

Revisar envio do teste: Avaliação On-Line 5 (AOL 5) - Questionário
 
	Usuário
	
	Curso
	2768 . 7 - Comunicação e Expressão - 20172.A
	Teste
	Avaliação On-Line 5 (AOL 5) - Questionário
	Iniciado
	26/09/17 09:16
	Enviado
	26/09/17 09:20
	Status
	Completada
	Resultado da tentativa
	4 em 10 pontos  
	Tempo decorrido
	4 minutos
	Instruções
	Atenção! Você terá 1 opção de envio. Você pode salvar e retornar quantas vezes desejar, pois a tentativa só será contabilizada quando você decidir acionar o botão ENVIAR.
Após o envio da atividade, você poderá conferir sua nota e o feedback, acessando o menu lateral esquerdo (Notas).
IMPORTANTE: verifique suas respostas antes do envio desta atividade.
	Resultados exibidos
	Todas as respostas, Respostas enviadas, Respostas corretas, Perguntas respondidas incorretamente
Pergunta 1
0 em 1 pontos
	
	
	
	Considere as seguintes sentenças.
 
1.   Ainda que os salários estejam cada vez mais defasados, o aumento de preços diminui consideravelmente seu poder de compras.
2.   O Governo resolveu não se comprometer com nenhuma das facções formadas no congresso. Desse modo, todos ficarão à vontade para negociar as possíveis saídas.
3.   Embora o Brasil possua muito solo fértil com vocação para o plantio, isso conseguiu atenuar rapidamente o problema da fome.
4.   Choveu muito no inverno deste ano. Entretanto, novos projetos de irrigação foram necessários.
 
As expressões grifadas NÃO estabelecem as relações de significado adequadas, criando problemas de coerência, em:
 
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
2, 3 e 4 apenas
	Respostas:
	a. 
1 e 4 apenas.
	
	b. 
2 apenas.
	
	c. 
2, 3 e 4 apenas
	
	d. 
1 e 3 apenas
	
	e. 
2 e 4 apenas.
	
	
	
Pergunta 2
1 em 1 pontos
	
	
	
	O texto abaixo é um fragmento de uma reportagem publicada no site “Administradores.com.br”.  Leia-o com atenção e analise as proposições que seguem.
 
Isto é pra ontem!": urgência pode impactar rendimento de profissionais
Por Gladys Ferraz Magalhães, InfoMoney
 
Os profissionais estão cada vez mais habituados a terem de realizar tarefas que necessitam de máxima urgência. Contudo, segundo alertam especialistas, o costume de líderes e gestores de pedirem tudo “para ontem” pode impactar o rendimento dos colaboradores.
            De acordo com a consultora em RH (Recursos Humanos) do Grupo Soma Desenvolvimento Corporativo, Juliana Saldanha, as tarefas urgentes sempre irão existir, entretanto é necessário que elas não sejam banalizadas. “Líderes e gestores precisam dar o valor real à palavra urgência”.
 Ainda segundo Juliana, a questão da urgência nas corporações é algo novo, que surgiu em consequência do desenvolvimento da tecnologia da informação, que traz tudo em tempo real, obrigando as pessoas a fazerem muita coisa em pouco tempo. Aliado a isso, explica ela, está a falta de planejamento e de estratégia de profissionais e organizações. “Existe uma grande pressão por metas, mas falta estratégia”, ressalta. Desta forma, os profissionais podem apresentar queda no rendimento, por conta, sobretudo, da falta de foco.
 
Disponível em: http://www.administradores.com.br/informe-se/administracao-e-negocios/isto-e-pra-ontem-urgencia-pode-impactar-rendimento-de-profissionais/36396/. Acesso em: 28.01.2011
 
A reportagem acima é considerada um texto por ser um enunciado verbal que apresenta unidade de sentido e intencionalidade discursiva.
Dizer que o texto é uma reportagem é esclarecer o seu gênero textual, perceptível também pelo seu formato e pela sua função social.
O tipo textual predominante no texto acima é expositivo, pois prima pela objetividade, é informativo e utiliza alguns recursos persuasivos, tais como citação de especialista.
Os interlocutores do texto são apenas os administradores que visitam o site e a mensagem que veicula só a eles interessa.
Estão corretas
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	b. 
 I, II e III, apenas. 
	Respostas:
	a. 
I e IV, apenas. 
	
	b. 
 I, II e III, apenas. 
	
	c. 
 I e II, apenas.
	
	d. 
Todas as alternativas estão corretas.
	
	e. 
 II e IV,
	
	
	
Pergunta 3
1 em 1 pontos
	
	
	
	Conter a obesidade é um desafio tão urgente para o Brasil quanto acabar com a fome. Ninguém sabe ao certo quantos são os famintos brasileiros, mas o programa Fome Zero pretende atingir 44 milhões de pessoas. Por outro lado, o contingente com excesso de peso já ultrapassa a assustadora marca dos 70 milhões - cerca de 40% da população. Não há dúvida: o Brasil que come mal é maior do que o Brasil que tem fome. Apesar do tamanho do problema, falta ao país um esforço maciço de combate ao flagelo da gordura, que abre caminho para o surgimento de mais de 30 doenças e sobrecarrega o orçamento da saúde com internações hospitalares que poderiam ser evitadas. 'As autoridades não podem achar que há contradição entre atacar a fome e a obesidade ao mesmo tempo', comenta o endocrinologista Walmir Coutinho, 'mas os dois são problemas complementares.'
Mesmo entre os pobres, a ocorrência de excesso de peso supera a fome. 'Nas favelas, verifica-se que a obesidade é mais prevalente que a desnutrição', comenta Coutinho. Nos últimos 20 anos, a obesidade infanto-juvenil cresceu 66% nos Estados Unidos e desencadeou uma batalha jurídica contra as cadeias de fast-food semelhante à guerra contra o tabaco. No Brasil, o crescimento ocorreu com um ritmo especialmente acelerado nas camadas sociais mais baixas. A consciência do problema ainda é incipiente, embora a Organização Mundial de Saúde tenha declarado a obesidade uma epidemia global que ameaça principalmente os países em desenvolvimento. Dos 6 bilhões de habitantes do planeta, 1,7 bilhão está acima do peso. A exportação do modelo americano de progresso - urbanização, proliferação de carros, junk food e longas jornadas de trabalho em frente ao computador - leva países emergentes, como Brasil, Índia e África do Sul, a um paradoxo. Em duas gerações, grande parte da população passou da desnutrição à obesidade porque teve acesso a grande quantidade de comida barata e ruim, industrializada, cheia de gorduras e açúcar.
O resultado é desastroso: as pessoas ganham peso sem acumular nutrientes essenciais. A classe média e os ricos encontram meios eficazes de combater a obesidade, responsável por 30% das mortes no Brasil. Podem pagar por programas de emagrecimento e atividade física não acessíveis aos menos favorecidos. Por isso, cada vez mais a obesidade estará relacionada à pobreza. 'A fome é uma tragédia que precisa ser combatida, mas a obesidade atinge ainda mais gente no Brasil e acarreta um ônus mais elevado’, comenta o endocrinologista Alfredo Halpern, um dos fundadores da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade.
A gravidade da situação exige um esforço articulado de saúde pública e medidas criativas.
(http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,6993,EPT590194-1653,00.html)
 
 
A análise de aspectos globais do texto, tais como os sentidos expressos, as intenções, o tipo e o gênero em que ele se manifesta, nos leva a concluir que
 
I.    o trecho que poderia expressar a ideia central defendida no texto é: “os ricos encontram meios eficazes de combater a obesidade, responsável por 30% das mortes no Brasil. Podem pagar por programas de emagrecimento e atividade física não acessíveis aos menos favorecidos.”
II.    se trata de um texto do tipo narrativo, do gênero notícia, cujo enredo envolve um cenário (a realidade brasileira) e personagens facilmente identificáveis (entre eles, por exemplo, o endocrinologista Walmir Coutinho).
III.   predomina no texto uma linguagem com função referencial. Nesse sentido, justifica-se o uso de dados e informações objetivos, quantitativamente expressos, e respaldados por opiniões abalizadas de especialistas.
IV.  aparecem no texto evidências de intertextualidade. Com efeito, algumas passagens do Texto A remetem, explicitamente, a outros textos pertinentes ao