A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Aula 14 - Política Economica Estado Novo

Pré-visualização | Página 1 de 1

*
*
Formação Econômica Brasileira
Prof.: Marcelo Colomer
*
*
Política Econômica pós 1937-45
*
*
Estado Novo e Economia de Guerra
Reversão da tendência descentralizadora republicana e fortalecimento do poder central -> criação de agências governamentais;
Reversão das políticas cambial, de defesa do café, e dívida externa;
Legislação social pró trabalhador;
Inicio do projeto da CSN marca uma mudança do papel do governo no processo de industrialização;
*
*
Mudança na Política Cambial entre 1937 -39
Até 37, o principal objetivo da política cambial era garantir uma oferta adequada de divisas que possibilitasse a liquidação dos compromissos financeiros do governo. 
A partir de 1937, o programa de investimento público e a redução da intervenção no mercado de café exigiam uma mudança na política cambial em função da escassez de divisas;
Reestabelecimento do monopólio do Estado sobre o câmbio, estabelecimento de uma taxa de câmbio única e desvalorizada; novo sistema de controle de cambiais;
Controle cambial e de importação como instrumentos de política comercial;
*
*
Fortalecimento das relações bilaterais com os EUA e enfraquecimento das relações com a Alemanha (fim do comércio de compensações) e Inglaterra (objetivos de curto prazo dos credores britânicos);
Empréstimos de 19,2 milhões -> descongelamento dos atrasados comerciais e financeiros com credores norte-americanos;
Como contrapartida -> política cambial liberal; obstáculos ao comércio de compensação; retomada do pagamento da dívida pública externa; 
Reforma cambial de 1939 -> 3 taxas de câmbio: oficial, livre, livre especial 
Política Externa entre 1937 -39
*
*
Entre 39 e 41, as exportações brasileiras sofreram uma elevada redução em função do início do conflito na Europa;
Após 41 há uma recuperação dos níveis de exportação: acordo interamericano do café; aumento das exportações de carne e algodão pelo Reino Unido, atendimento de mercados antes atendidos pelos Estados Unidos e Inglaterra.
Apesar dos saldos positivos da balança comercial as importações de produtos industriais se contrai em função dos saldos inconversíveis em libra e da dificuldade dos EUA em atenderem as demandas brasileiras. 
Balança Comercial pós 39
*
*
Industrialização no Período de Guerra
Restrições de Guerra -> efeito substituição de importação: entre 42 e 45 a taxa de crescimento do produto industrial foi de 9,9% a.a.;
Entrada de capitais privados norte-americanos: Crescimento do IED na indústria de transformação estimulados pela politica liberal de remessa de lucro e dividendos ;
Políticas fiscal e creditícia expansionista após 1942;
Construção da CSN e inicio do estado desenvolvimentista;
Constituição de 37 cria uma série de restrições a participação do capital estrangeiro; 
*
*
Política Monetária 
Política monetária e de crédito expansionista + expansão das exportações + restrições as importações -> pressões sobre os índices de preço: inflação do período ficou entre 15 e 20% ao ano;
Financiamento da dívida pública a partir da emissão de moeda a partir de 1942;
Expansão do crédito do banco do Brasil ao setor privado -> criação da carteira de Crédito Agrícola e Industrial em 1937;
 
*
*
Política Externa no Período de Guerra
Redução do comércio com a Europa aumenta a dependência dos Brasil em relação aos EUA;
75% do comércio externo do Brasil dependiam dos EUA e Inglaterra;
Com a aproximação do fim da Guerra houve um endurecimento das relações com os EUA;
Colaboração militar e estratégica;
Com o final da Guerra, há uma reorientação da politica de apoio norte americana as ditaduras latino-americanas; 
*
*
Dívida Externa
Até 1937, a renegociação da dívida externa brasileira foi inadequada quando comparada as sua capacidade de gerar divisas;
A suspensão do pagamento da dívida em 1937 significou uma reversão dessa tendência e possibilitou acordos mais favoráveis.
Os acordos de 40 e 43 definiram um cronograma de pagamento mais factível com as possibilidades brasileiras. 
*