HABITAÇAO COLETIVA RUY OTAHKE
4 pág.

HABITAÇAO COLETIVA RUY OTAHKE

Disciplina:Projeto de Habitacao Multifamiliar3 materiais63 seguidores
Pré-visualização1 página
Habitação Coletiva

Condomínio residencial em Heliópolis em São

Paulo, SP

Arquiteto: Ruy Ohtake

Início do projeto 2007

Conclusão da obra 2009

Área do terreno 35.000 m2

Área construída 5.126 m2

Este projeto pode ser considerado um bairro dentro da cidade
de Heliópolis, contando com centro cultural, prédios didáticos
e residências para pessoas de baixa renda.
Ruy Ohtake escolheu o mesmo lote do centro cultural para
haver uma integração por parte dos moradores. Em seguida, a
comunidade de Heliópolis se mobilizou pela construção de
uma escola técnica estadual.
O edifício e o centro cultural foram desenhados por Ohtake.
A construção recebeu pintura exterior em cores vibrantes, que
é uma característica marcante do arquiteto. Cada edifício
possui quatro pisos e mais o térreo, ou seja são 18
apartamentos por prédio, são quatro unidades por andar nos
pavimentos superiores e duas no térreo, para quem possui
dificuldades de locomoção.

Cada unidade possui dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e
área de serviço num total de 50 metros quadrados
A forma cilíndrica dos edifícios não foi escolhida ao acaso,
assegura Ohtake. Além de esquivar- se da hierarquia em geral
existente entre unidades de frente e de fundo, a implantação
(com os blocos distanciados) não privilegia a vista de uns em
detrimento da de outros. Os prédios estão posicionados na
periferia do lote; no centro ficam playground, quadra esportiva e
um espaço de uso comunitário.

Para Ruy Ohtake os edifícios são redondos para
garantir espaço e vista. A circulação se dá pelo
centro do prédio, mas a sinuosidade desses
espaços (que não se sobrepõem) os torna mais
amigáveis, como pequenas áreas de convívio, e
amplia o aproveitamento da luz natural que
adentra pela porção transparente da cobertura,
de modo que, durante o dia, as luzes não
precisam ficar acesas.

Neste conjunto existem 19 blocos e 342
apartamentos dispostos de maneira aleatória. E
por existir somente uma tipologia de planta, as
disposições destes são muito variáveis e este
estudo de insolação e ventilação também variam.
Conclui-se então, que o arquiteto não levou em
consideração os fatores sol e vento

Insolação

Referências bibliográficas

ANÁLISE DE PROJETO – Disponível em: <https://issuu.com/priscilla697/docs/his__heli__polis_-
_priscilla_vital_> Acesso em: 11/05/2017

EM HELIÓPOLIS, CAMINHO LEVA AOS REDONDINHOS - Disponível em: <
https://arcoweb.com.br/projetodesign/arquitetura/ruy-ohtake-centro-educativo-cultural-condominio-
residencial-heliopolis-04-04-2012> Acesso em: 11/05/2017

PROJETO VOLUNTÁRIO POR MORADIA DIGNA – Disponível em: <http://www.au.pini.com.br/arquitetura-
urbanismo/126/habitacao-23194-1.aspx> Acesso: 11/05/2017