A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
AVALIANDO APRENDIZADO 1 e 2   DIREITO ADMINISTRATIVO I

Pré-visualização | Página 1 de 2

DIREITO ADMINISTRATIVO I 
Simulado: CCJ0010_SM_201402427425 V.1 
Aluno(a): Matrícula: 
Desempenho: 0,3 de 0,5 Data: 01/09/2017 20:52:39 (Finalizada) 
 
 
 1a Questão (Ref.: 201402553349) Pontos: 0,0 / 0,1 
(OAB) A coisa julgada administrativa: 
 
 
Implica e efeito de imutabilidade de sentença proferida por juiz administrativo. 
 Indica exercício de função jurisdicional pela Administração. 
 Significa que certa situação está definida e é imutável no âmbito da Administração. 
 
É efeito das sentenças proferidas por órgãos colegiados em processo litigioso. 
 
 
 
 2a Questão (Ref.: 201402663945) Pontos: 0,1 / 0,1 
A responsabilidade administrativa do servidor público por falta consistente em praticar crime contra a 
Administração: 
 
 
não depende da condenação criminal em face da incomunicabilidade das instâncias; 
 
é afastada somente quando a absolvição for fundamentada na inexistência do fato ou na ausência de 
prova de autoria; 
 é afastada no caso de absolvição criminal em qualquer que seja a sua fundamentação, desde que não 
haja resíduo a ser punido administrativamente. 
 
é afastada somente quando a absolvição for fundamentada na inexistência do fato ou na hipótese de não 
ter sido o servidor o seu autor; 
 
 
 
 3a Questão (Ref.: 201402658821) Pontos: 0,0 / 0,1 
Com referência aos poderes da administração, assinale a opção correta. 
 
 Os poderes administrativos são instrumentais, sendo utilizados pela administração pública para cumprir 
suas finalidades. 
 A discricionariedade da administração pública aplica-se apenas aos aspectos de conteúdo e de 
oportunidade do ato administrativo. 
 
A inexistência de vinculação absoluta permite à administração pública apreciar aspectos de conveniência, 
interesse público e de forma, quando no uso do seu poder vinculado. 
 
Caso o Poder Executivo exorbite na utilização de seu poder regulamentar, o Poder Legislativo poderá 
anular o ato normativo editado. 
 
Com o uso do poder hierárquico, é sempre possível a invalidação, pela autoridade superior, dos atos 
praticados por seus subordinados. 
 
 
 
 4a Questão (Ref.: 201402658599) Pontos: 0,1 / 0,1 
Em relação aos órgãos e agentes da Administração Pública é correto afirmar: 
 
 
os órgãos públicos são dotados de personalidade jurídica e vontade própria, que são atributos do corpo e 
não das partes porque estão ao lado da estrutura do Estado. 
 
a atuação dos órgãos não é imputada à pessoa jurídica que eles integram, mas tendo a prerrogativa de 
representá-la juridica¬mente por meio de seus agentes, desde que judiciais. 
 
a atividade dos órgãos públicos não se identifica e nem se confunde com a da pessoa jurídica, visto que 
há entre a entidade e seus órgãos relação de representação ou de mandato. 
 como partes das entidades que integram os órgãos são meros instrumentos de ação dessas pessoas 
jurídicas, preordenados ao desempenho das funções que lhe forem atribuídas pelas normas de sua 
constituição e funcionamento. 
 
ainda que o agente ultrapasse a competência do órgão não surge a sua responsabilidade pessoal perante 
a entidade, posto não haver considerável distinção entre a atuação funcional e pessoal. 
 
 
 
 5a Questão (Ref.: 201402658729) Pontos: 0,1 / 0,1 
Correlação entre meios e fins¿ é expressão que costuma ser diretamente associada ao seguinte princípio: 
 
 
autotutela; 
 
moralidade. 
 
eficiência; 
 proporcionalidade; 
 
modicidade; 
 
DIREITO ADMINISTRATIVO I 
Simulado: CCJ0010_SM_201402427425 V.1 
Aluno(a): Matrícula: 
Desempenho: 0,5 de 0,5 Data: 26/09/2017 19:33:27 (Finalizada) 
 
 
 1a Questão (Ref.: 201402553412) Pontos: 0,1 / 0,1 
(OAB/RJ) Marque a resposta certa: 
 
 O ato administrativo pode ser anulado pelo Administrador Público; 
 
O ato administrativo pode ser anulado se proposta uma ação popular pelo Ministério Público; 
 
O ato administrativo somente pode ser revogado pelo Poder Judiciário. 
 
O ato administrativo pode ser revogado através de decisão transitada em julgado em ação civil pública 
proposta pelo Ministério Público; 
 
 
 
 2a Questão (Ref.: 201402664134) Pontos: 0,1 / 0,1 
Concedida a licença para a construção de um determinado prédio, na hipótese de desapropriação ulterior o: 
 
 
titular do empreendimento terá direito a indenização total para ressarcir todos os prejuízos sofridos; 
 
titular do empreendimento somente terá direito aos gastos feitos com o licenciamento. 
 valor da obra não se incluirá na indenização, quando a desapropriação for efetivada; 
 
valor real do prejuízo será apurado em execução de sentença; 
 
 
 
 3a Questão (Ref.: 201402663965) Pontos: 0,1 / 0,1 
Acerca da teoria geral do ato administrativo, assinale a opção correta. 
 
 
Todo ato praticado no exercido da função administrativa è ato administrativo. 
 
O ato administrativo não está sujeito a controle jurisdicional. 
 Licença é o ato administrativo unilateral e vinculado pelo qual a Administração faculta àquele que 
preencha os requisitos legais o exercido de uma atividade; 
 
Ato administrativo discricionário é aquele em que a lei não deixou opções, estabelecendo que, diante de 
determinados requisitos, a Administração deve agir de tal ou qual forma. 
 
O decreto não pode ser considerado como ato administrativo, pois representa, em verdade, manifestação 
legislativa por parte do Poder Executivo. 
 
 
 
 4a Questão (Ref.: 201402650271) Pontos: 0,1 / 0,1 
ENADE 2012 
Em outra oportunidade, com a intenção de conceituar o termo ¿necessidade temporária¿, empregado pelo art. 
37, inciso IX, da Constituição da República, anotei: É temporário aquilo que tem duração prevista no tempo, o 
que não tende à duração ou à permanência no tempo. A transitoriedade põe-se como uma condição que indica 
ser passageira a situação, pelo que o desempenho da função, pelo menos pelo contratado, tem o condão de ser 
precário. A necessidade que impõe o comportamento há de ser temporária, segundo os termos 
constitucionalmente traçados. Pode-se dar que a necessidade do desempenho não seja temporária, que ela até 
tenha de ser permanente. Mas a necessidade, por ser contínua e até mesmo ser objeto de uma resposta 
administrativa contida ou expressa num cargo que se encontre, eventualmente, desprovido, é que torna 
aplicável a hipótese constitucionalmente manifestada pela expressão "necessidade temporária". Quer-se, então, 
dizer que a necessidade das funções é contínua, mas aquela que determina a forma especial de designação de 
alguém para desempenhá-las sem o concurso e mediante contratação é temporária. Assim, poderia haver a 
contratação para atender a necessidades temporárias de uma atividade que pode, ou não, ser permanente e 
própria do órgão da Administração Pública. O que deve ser temporária é a necessidade, e não a atividade. 
BRASIL. Supremo Tribunal Federal. ADI n.º 3.386/DF. Rel. Min. Cármen Lúcia. Julgamento em: 14/04/2011, 
publicada no DJe n.º 162, de 24/08/2011. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2012. 
A necessidade temporária de contratação pela Administração Pública, objeto de análise no voto acima transcrito, 
encontra fundamento constitucional no princípio da 
 
 
impessoalidade. 
 
legalidade. 
 eficiência. 
 
moralidade. 
 
publicidade. 
 
 
 
 5a Questão (Ref.: 201402663948) Pontos: 0,1 / 0,1 
Por decorrência do poder hierárquico da Administração Pública, surge o instituto da delegação de competências. 
Assinale, entre as atividades abaixo, aquela que não pode ser delegada. 
 
 
Matéria de competência concorrente de órgão ou entidade. 
 
Edição de atos de nomeação de servidores. 
 
Homologação de processo licitatório. 
 
Aplicação de pena disciplinar