02 - Responsabilidade Social e Ambiental
25 pág.

02 - Responsabilidade Social e Ambiental


DisciplinaResponsabilidade Social e Ambiental3.813 materiais16.234 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Ao decorrer dos anos é possível observar como as organizações se preocupam com o social, muitas destas empresas criam programas onde a sociedade é beneficiada. É importante citar que as organizações preocupadas com este tipo de projeto visam também utilizar os benefícios disponíveis pelo governo.
 Surge a pergunta: As empresas visam ajudar a sociedade ou receber os benefícios disponíveis?
 É necessário observar como a empresa se comporta não apenas com a sociedade más também com o ambiente onde ela atua, surgindo assim o conceito de responsabilidade ambiental.
 Para uma empresa se destacar frente à sociedade ela deve se preocupar com o meio onde vive, criando dentro de sua estratégia o conceito do social e ambiental. Como a empresa poderá produzir, colaborar com a sociedade e contribuir com a preservação do meio ambiente.
 A partir de hoje devemos observar quais empresas se preocupam com este tripé: social, ambiental e empresarial. Para sim poder dizer que ela é uma empresa com responsabilidade e que se preocupa com o meio onde vive.
 É possível que uma empresa se preocupe com as questões sociais e ambientais e ainda atinja as expectativas de seus acionistas gerando lucro?
R: Sim é possível. E tudo esse em brolho esta inserido: Na missão é visão. OU seja, onde estamos atualmente, e onde queremos chega. E ainda, mas, pode ser utilizado o implemento de uma consultoria: Fazendo o PPRA e o PCMSO. Para um bom direcionamento da empresa. 
 A sociedade de consumo é um termo bastante utilizado para representar os avanços de produção do sistema capitalista, que se intensificaram ao longo do século XX notadamente nos Estados Unidos e que, posteriormente, espalharam-se \u2013 e ainda vem se espalhando \u2013 pelo mundo. Nesse sentido, o desenvolvimento econômico e social é pautado pelo aumento do consumo, que resulta em lucro ao comércio e às grandes empresas, gerando mais empregos, aumentando a renda, o que acarreta ainda mais consumo. Uma ruptura nesse modelo representaria uma crise, pois a renda diminuiria, o desemprego elevar-se-ia e o acesso a elementos básicos seria mais dificultado.
 Uma das grandes críticas ao sistema capitalista é a emergência desse modelo. Suas raízes estão vinculadas ao processo de Revolução Industrial, mas foi a emergência do American Way Of Life (jeito americano de viver) em 1910, nos Estados Unidos, que intensificou essa problemática. A consequência foi uma crise de superprodução das fábricas, que ficaram com grandes estoques de produtos sem um mercado consumidor capaz de absorvê-los, gerando a crise de 1929. Na época, para combater os efeitos da crise, o governo desenvolveu formas de intervir na economia e provocar o seu aquecimento em um plano chamado New Deal (Novo Acordo).
O cartaz expressa o American Way of Live, enquanto a população carece de recursos durante a crise
 Consequentemente, para que as fábricas continuassem produzindo em massa e os produtos difundissem-se, foram estabelecidos modelos de desenvolvimento pautados na melhoria de renda e no crédito facilitado com o objetivo de ampliar ainda mais o consumo. Com isso, a crise econômica do século XX teve fim, mas uma problemática ainda maior se estabeleceu, pois o consumo pelo consumo é uma maneira contraditória e ineficaz de manter o desenvolvimento das sociedades. Tal dinâmica não se modificou mesmo com a retomada do modelo neoliberal a partir da década de 1970 em todo o mundo.
 As críticas sobre a sociedade de consumo direcionam-se não apenas pela perspectiva econômica, mas também pelo viés ambiental. Afinal, um dos efeitos do consumismo é a ampliação da exploração dos recursos naturais para a geração de matérias-primas voltadas à fabricação de mais e mais mercadorias. Estimativas apontam que seriam necessários quatro planetas e meio para garantir os recursos naturais para a humanidade caso todos os países mantivessem o mesmo nível de consumo dos EUA.
 Com isso, há a devastação das florestas e o esgotamento até mesmo dos recursos renováveis, tais como a água própria para o consumo, as florestas e o solo. Além disso, os recursos não renováveis vão contando os dias para a escassez completa, tais como as reservas de petróleo e de diversos minérios utilizados para a fabricação dos mais diferentes produtos utilizados pela sociedade.
 Um dos aspectos mais criticados no que se refere à sociedade de consumo é a obsolescência programada \u2013 ou obsolescência planejada \u2013, que consiste na produção de mercadorias previamente elaboradas para serem rapidamente descartadas, fazendo com que o consumidor compre um novo produto em breve. Assim, aumenta-se o consumo, mas também aumenta a demanda por recursos naturais e maximiza a produção de lixo, elevando ainda mais a problemática ambiental decorrente desse processo.
A intensiva geração de lixo é um dos principais problemas da sociedade de consumo atual
 Com isso, além da adoção de políticas sociais de controle ao consumismo exagerado, é preciso encontrar meios econômicos alternativos ao desenvolvimento pautado no consumo. Não obstante, faz-se necessária também a promoção de políticas de reciclagem, além da reutilização ou reaproveitamento dos produtos não mais utilizados, contendo, assim, a geração de lixo e a demanda desenfreada por matérias-primas.
 É possível que uma empresa se preocupe com as questões sociais e ambientais e ainda atinja as expectativas de seus acionistas gerando lucro?
R: Sim é possível. E tudo esse em brolho esta inserido: Na missão é visão. OU seja, onde estamos atualmente, e onde queremos chega. E ainda, mas, pode ser utilizado o implemento de uma consultoria: Fazendo o PPRA e o PCMSO. Para um bom direcionamento da empresa.
 Consequentemente pela obsolescência planejada? Cite alguns exemplos.
R: Sabemos que alguns recursos, não são renováveis. E a busca desenfreada, para troca de equipamentos e grande. Pois nos anos 90 e até 2007. Os equipamentos eletrônicos tinham maior durabilidade. E hoje em dia não. Lembro-me que o celular da Nokia cai no chão desmontava todo, e eu juntava tudo e o mesmo voltava a funcionar. 
 Obs: Só para que se tenha uma ideia: Tenho o celular moderno, que é feito para durar de 1 a 2 nos. E o antigo. \u2013Vão dizer que um é mais moderno e outro e obsoleto. Sempre quando o atual da pana. Coloco o chip no antigo, que tenho a mais de 13 anos. Até comprar um novo. E não para por aí. Com relação a som e televisão e a mesma coisa. Obs.: Não possuo televisão moderna e nem som. E adivinha, até hoje: Embora minha mãe me zoe. As minhas não deram problema, já a da minha mãe e de muitos parentes, já foram trocadas de 1 a 3 vezes no mínimo. 
 Existe uma corrente, que quer te obrigar a ser consumista a qualquer custo. Pois bem! Eu tenho a visão, que a tecnologia e bem vida. Mas, eu em especial, não entro nessa guerra por consumo desenfreado. 
 De que maneira a população pode participar, direta e indiretamente, e contribuir para a promoção da responsabilidade social e ambiental?
R: A frente atinge diversas formas. Tais como: A preservação da natureza e todo o seu recurso natural. A primeira medida e, plantar árvores, não secar ricos e lagos, cuidar das preservações dos mesmos. Participar de reciclagem. É usa produtos naturais, no seu dia a dia. 
 Os negócios sociais, tais como o citado na reportagem, de investimento de impacto contemplam projetos que resultam em que tipos de vantagens e benefícios? E por outro lado, quais são os desafios?
R: Além da competição de empresa para empresa. A certificação faz com que, a empresa em questão, seja notabilizada e mais respeitada. O avanço e muito bem vindo. Mas, por ser trata de localidades distintas, O planejamento Logístico de Armazenagem (entrada e saída), Trajeto/Rota (Rápido, eficiente e seguro) e a distribuição, serão vistas como um diferencial positivo. Sem contar, a atenção com o meio ambiente (o que esta sendo feito para a preservação do mesmo). Pois, a responsabilidade social e ambiental. É um dever da empresa, que se