A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
262 pág.
1001 Questoes Comentadas ProcPenal Cespe

Pré-visualização | Página 42 de 50

da Rosa, 03.10.2001). 
477. Correto. Os indícios e as presunções são provas indiretas, 
havendo necessidade de uma construção lógica por meio da qual 
se chega ao fato ou à circunstância que se quer comprovar. 
478. Errado. O corpo de delito é conjunto de vestígios materiais que a 
infração deixa no mundo. O exame de corpo de delito pode ser 
realizado sobre os próprios vestígios materiais do fato (direto) ou 
por meio de prova testemunhal (indireto). As perícias podem ser 
realizadas em pessoas vivas ou mortas, em animais e nos 
objetos. 
479. Errado. O indício é uma prova indireta (não direta), que não se 
dirige ao próprio fato probando, porém, por raciocínio que se 
realiza, se chega a ele. Na prova indireta há uma construção 
lógica para se chegar ao fato que se quer provar. 
480. Errado. A liberdade de provar não é absoluta, visto que são 
“inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos” 
(CF, art. 5º, LVI). De se notar, outrossim, que o art. 157 do CPP 
reza que “são inadmissíveis, devendo ser desentranhadas do 
processo, as provas ilícitas, assim entendidas as obtidas em 
violação a normas constitucionais ou legais”. Vê-se, pois, que a 
liberdade de provar encontra limites e restrições tanto na norma 
constitucional quanto na norma infraconstitucional. 
CAPÍTULO 11 
Processo e Procedimento 
481. (CESPE/Exame de Ordem Unificado 2010.2) João da Silva foi 
denunciado por homicídio qualificado por motivo fútil. Nos 
debates orais ocorridos na primeira fase do procedimento de júri, 
a Defesa alegou que João agira em estrito cumprimento do dever 
legal, postulando sua absolvição sumária. Ao proferir sua 
decisão, o juiz rejeitou a tese do estrito cumprimento de dever 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
130 
 
legal e o pedido de absolvição sumária, e pronunciou João por 
homicídio simples, afastando a qualificadora contida na 
denúncia. A decisão de pronúncia foi confirmada pelo Tribunal 
de Justiça, operando-se a preclusão. Considerando tal narrativa, 
nos debates orais perante os jurados, o promotor de justiça não 
poderá sustentar a qualificadora de motivo fútil, mas a defesa 
poderá alegar a tese de estrito cumprimento de dever legal. 
482. (CESPE/Exame de Ordem Unificado 2010.1) Admite-se a 
suspensão condicional da pena (sursis) a reincidente em crime 
doloso, desde que a condenação anterior tenha sido 
exclusivamente à pena de multa. 
483. (CESPE/Promotor MPE-ES/2010) Mesmo com a vigência do 
novo Código Civil, somente pode ser jurado e integrar o conselho 
de sentença o indivíduo com mais de 21 anos de idade, desde 
que pessoa idônea, de nacionalidade brasileira e em pleno gozo 
dos direitos políticos. 
484. (CESPE/Promotor MPE-ES/2010) Quando, no curso da 
execução da pena privativa de liberdade, sobrevier doença 
mental ou perturbação da saúde mental do sentenciado, o juiz, 
de ofício, deverá decretar a extinção da punibilidade. 
485. (CESPE/Promotor MPE-ES/2010) Admitindo-se a argüição de 
suspeição ou impedimento de membro do MP, o magistrado 
pode, com base nas razões oferecidas, determinar o seu 
afastamento e requerer ao procurador-geral de justiça a 
designação de um substituto legal. Da decisão, no entanto, cabe 
recurso em sentido estrito. 
486. (CESPE/Promotor MPE-ES/2010) Se, para o reconhecimento da 
existência da infração penal, houver a dependência de decisão 
da competência do juízo cível que diga respeito à propriedade do 
objeto material do crime, será obrigatória a suspensão do curso 
da ação penal até que a controvérsia seja dirimida no juízo cível 
por sentença passada em julgado. 
487. (CESPE/Promotor MPE-RO/2010) A argüição de falsidade 
documental e a de insanidade mental, quando feitas por 
procurador, exigem poderes especiais. 
488. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Considerando a reforma 
parcial do CPP ocorrida em 2008 e o atual entendimento do STJ, 
o recebimento da denúncia somente pode ocorrer após a 
apresentação da defesa escrita do acusado. 
489. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Considerando a reforma 
parcial do CPP, ocorrida em 2008 e o atual entendimento do 
STJ, foi abolida a suspensão do curso prescricional no caso de 
réu citado por edital que não comparece nem nomeia advogado, 
mantendo-se apenas a suspensão do processo. 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
131 
 
490. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Considerando a reforma 
parcial do CPP ocorrida em 2008 e o atual entendimento do STJ, 
a citação pode ocorrer por hora certa, não se aplicando, todavia, 
os dispositivos do CPC quanto à formalização dessa espécie de 
citação. 
491. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Considerando a reforma 
parcial do CPP ocorrida em 2008 e o atual entendimento do STJ, 
não foi alterado o prazo para apresentação da resposta escrita do 
réu, antes denominada defesa prévia. 
492. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Considerando o entendimento 
mais recente do STJ sobre a realização do exame de alcoolemia, 
popularmente denominado bafômetro, é inconstitucional a 
previsão legal desse exame, pois ofende o princípio “Nemo 
tenetur se detegere”. 
493. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Em se tratando de crime 
contra a honra praticado contra funcionário público em razão de 
suas funções, há legitimidade concorrente entre a vítima e o MP. 
494. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) A intensa e efetiva 
participação na organização criminosa, segundo entendimento 
consolidado no STJ, não constitui fundamento idôneo para 
negar a liberdade provisória ao réu. 
495. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Com relação aos meios 
operacionais para prevenção e repressão de ações praticadas por 
organizações criminosas, não prevê a legislação a captação e a 
interceptação ambientais de sinais, mas somente a interceptação 
telefônica, a qual deve ser precedida de circunstanciada 
autorização judicial. 
496. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Com relação aos meios 
operacionais para prevenção e repressão de ações praticadas por 
organizações criminosas, é permitida a ação controlada, que 
consiste em retardar a interdição policial do que se supõe ação 
praticada por determinada organização criminosa, desde que 
mantida sob observação e acompanhamento para que a medida 
legal se concretize no momento mais eficaz do ponto de vista da 
formação de provas e do fornecimento de informações. 
497. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Eduardo foi denunciado pelo 
MP pela prática de crime de furto simples, cuja pena varia de um 
a quatro anos de reclusão e multa. Na cota de oferecimento da 
denúncia, o promotor ofereceu proposta de suspensão 
condicional do processo, pelo prazo de quatro anos, 
considerando que o acusado, embora tivesse sido beneficiado 
com outra suspensão condicional três anos antes, teve a 
punibilidade extinta em virtude do cumprimento das condições. 
Ressaltou, ainda, que o denunciado preenchia também os 
requisitos da suspensão condicional da pena. Nessa situação 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
132 
 
hipotética, foi correto o oferecimento da proposta, a qual se 
insere no âmbito da discricionariedade regrada do MP em casos 
como esse. 
498. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Diversamente do que ocorre 
no procedimento comum, no rito do júri o juiz recebe a denúncia 
após a apresentação da resposta escrita do acusado. 
499. (CESPE/Promotor MPE-SE/2010) Acerca do procedimento nos 
feitos de competência do tribunal do júri, apresentada a defesa, 
o juiz deve designar audiência de instrução e julgamento para 
data próxima. Nessa data, a oitiva do MP sobre preliminares e 
documentos constituiria inversão tumultuária, pois essa 
apreciação será feita por ocasião das alegações finais e da 
pronúncia. 
500. (CESPE/Promotor