A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
262 pág.
1001 Questoes Comentadas ProcPenal Cespe

Pré-visualização | Página 44 de 50

dos vestígios. 
525. (CESPE/Exame de Ordem 2008.3) Acerca dos crimes contra a 
honra, tratando-se do delito de injúria, admite-se a exceção da 
verdade caso o ofendido seja funcionário público, e a ofensa, 
relativa ao exercício de suas funções. 
526. (CESPE/Exame de Ordem 2008.3) Caracterizado o delito de 
injúria, o juiz pode deixar de aplicar a pena, no caso de retorsão 
imediata, que consista em outra injúria. 
527. (CESPE/Exame de Ordem 2008.3) O pedido de explicações em 
juízo é cabível nos delitos de calúnia e difamação, mas não se 
aplica ao de injúria. 
528. (CESPE/Exame de Ordem 2008.3) Caso o querelado, antes da 
sentença, se retrate cabalmente da calúnia ou da difamação, sua 
pena será diminuída. 
529. (CESPE/Exame de Ordem 2008.1) Nos crimes comuns e de 
responsabilidade praticados pelo presidente da República, é 
condição de procedibilidade a autorização do Senado Federal 
para ser instaurado o processo. 
530. (CESPE/Promotor MPE-RR/2008) No processo penal, o mesmo 
juiz que presidiu a audiência de instrução deverá proferir a 
sentença, sob pena de violação ao princípio da imediatidade 
física do juiz. 
531. (CESPE/Promotor MPE-RR/2008) Antônio, deputado federal, 
estava sendo investigado em comissão parlamentar de inquérito 
(CPI) pela prática de crimes contra a administração pública, uma 
vez que existiam indícios de que o parlamentar teria 
patrocinado, diretamente, interesse privado perante a 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
136 
 
administração pública. Nessa situação, o plenário da CPI poderia 
decretar a quebra do sigilo bancário de Antônio. 
532. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Acerca do procedimento 
comum ordinário, o juiz deverá, inicialmente, interrogar o 
acusado, para, em seguida e sucessivamente, ouvir as 
testemunhas e o ofendido. 
533. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Acerca do procedimento 
comum ordinário, em regra, as alegações finais serão orais, mas 
o juiz poderá, considerada a complexidade do caso ou o número 
de acusados, conceder às partes o prazo de cinco dias 
sucessivamente para a apresentação de memoriais. 
534. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Acerca do procedimento 
comum ordinário, na instrução, poderão ser inquiridas até oito 
testemunhas arroladas pela acusação e oito, pela defesa, 
compreendidas nesses números aquelas que não prestem 
compromisso. 
535. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Acerca do procedimento 
comum ordinário, a parte poderá desistir da inquirição de 
qualquer das testemunhas arroladas, inclusive as testemunhas 
do juízo. 
536. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A respeito do procedimento 
relativo aos processos da competência do Tribunal do Júri, na 
audiência de instrução, serão ouvidas as testemunhas de 
acusação, as de defesa, o ofendido e o acusado, nessa ordem. 
537. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) No que concerne ao 
procedimento do júri, o desaforamento é cabível quando houver 
dúvida quanto à imparcialidade do júri ou quanto à segurança 
pessoal do acusado ou ainda quando o julgamento não se 
realizar no período de um ano, desde que, para a demora, não 
haja concorrido o réu ou a defesa, independentemente da 
comprovação de excesso de serviço. 
538. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) No procedimento comum 
ordinário, não há a obrigatoriedade da incomunicabilidade entre 
as testemunhas a serem ouvidas em um mesmo processo, 
diferentemente do que ocorre no procedimento do júri. 
539. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Na inquirição das 
testemunhas, o CPP adota o sistema presidencialista. 
540. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A falta de comparecimento 
do defensor, ainda que motivada, não determinará o adiamento 
de ato algum do processo, devendo o juiz nomear substituto, 
ainda que provisoriamente ou apenas para o efeito do ato. 
541. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A respeito do procedimento 
relativo aos processos da competência do tribunal do júri, ao 
receber a denúncia ou queixa, o juiz determinará a citação do 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
137 
 
acusado, para oferecer resposta escrita, no prazo de dez dias. 
Apresentada a resposta, o juiz designará audiência de instrução 
e determinará a realização das diligências requeridas pelas 
partes, ainda que o acusado suscite questões preliminares. 
542. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A respeito do procedimento 
relativo aos processos da competência do tribunal do júri, 
encerrada a instrução criminal, mandará o juiz dar vista dos 
autos, para alegações, ao MP, pelo prazo de cinco dias, e, em 
seguida, por igual prazo, e em cartório, ao defensor do réu. 
543. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A respeito do procedimento 
relativo aos processos da competência do tribunal do júri, caso 
não se convença da materialidade do fato ou da existência de 
indícios suficientes de autoria ou de participação, o juiz deve 
absolver sumariamente o acusado. 
544. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) A respeito do procedimento 
relativo aos processos da competência do tribunal do júri, em 
caso de inimputabilidade por doença mental do réu, o juiz não 
deverá absolvê-lo sumariamente se a defesa sustentar a tese de 
legítima defesa. 
545. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) No que tange ao 
procedimento do júri, a intimação da sentença de pronúncia 
sempre será feita pessoalmente ao acusado. Não sendo este 
encontrado, dá-se o que a doutrina chama de crise de instância, 
que inviabiliza a realização do júri. 
546. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) No que concerne ao 
procedimento do júri, se houver dúvida quanto à imparcialidade 
do júri, o juiz competente poderá representar ao tribunal de 
justiça, o qual poderá determinar o desaforamento do 
julgamento para outra comarca da mesma região, onde não 
existam os motivos da dúvida, dando-se preferência às mais 
próximas. 
547. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) O libelo-crime acusatório é 
peça obrigatória, devendo o promotor apresentá-lo após a 
preclusão da decisão de pronúncia. 
548. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Preclusa a decisão de 
pronúncia, ainda que haja circunstância superveniente que 
altere a classificação do crime, o juiz deverá aguardar a 
realização do júri. 
549. (CESPE/Juiz Substituto-TJAL/2008) Gera preclusão a decisão 
judicial de arquivamento do inquérito policial a requerimento do 
MP. 
550. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) O crime de injúria 
qualificada por preconceito de raça segue o procedimento 
especial dos crimes contra a honra previstos no CPP. 
1001 Questões Comentadas – Direito Processual Penal – CESPE 
Prof. Nourmirio Tesseroli Filho 
138 
 
551. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) No procedimento dos 
crimes funcionais afiançáveis, é desnecessária a apresentação 
da defesa preliminar se a ação penal for instruída com inquérito 
policial. 
552. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) O procedimento sumário 
aplica-se aos crimes apenados com detenção e cujo máximo da 
pena privativa de liberdade seja superior a dois anos. 
553. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) No procedimento do crime 
de tráfico de drogas, a falta de oportunidade ao acusado de 
apresentação de defesa preliminar antes do recebimento da 
denúncia constitui nulidade relativa e depende do 
reconhecimento do efetivo prejuízo. 
554. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) O procedimento de ofício 
se aplica aos crimes falimentares e contra a economia popular. 
555. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) No julgamento pelo júri, 
ocorre mera irregularidade quando os quesitos da defesa não 
precedem aos das circunstâncias agravantes. 
556. (CESPE/Juiz Substituto-TJSE/2008) É anulável o julgamento 
ulterior pelo júri com a participação de jurado que funcionou em 
julgamento