A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Aula7

Pré-visualização | Página 1 de 1

PCS 502 – Conservação do solo e da água
Aula 7:
- PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS: MECÂNICAS, VEGETATIVAS E EDÁFICAS.
- SISTEMAS DE PREPARO E MANEJO DO SOLO.
- PLANTAS DE COBERTURA.
- ROTAÇÃO DE CULTURAS.
- SISTEMAS CONSERVACIONISTAS.
PROF. Dr. MARX LEANDRO NAVES SILVA
UFLA-DCS
- SISTEMAS CONSERVACIONISTAS.
- INDICADORES DA QUALIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE MANEJO.
- SISTEMAS DE MANEJO E POLUIÇÃO DO SOLO.
Práticas conservacionistas para o
controle da erosão hídrica
EDÁFICAS
Correção do solo
Adubação química
Adubação orgânica
Adubação verde
Evitar Queimadas
Plantas de cobertura (>30%)
VEGETATIVAS
MECÂNICAS
Plantas de cobertura (>30%)
Mata ciliar
Vegetação de topo
Reflorestamento/florestamento
Cordões de vegetação
Locação de estradas e carreadores
Terraceamento
Bacias de captação de água
Plantio em nível
PLANTAS DE COBERTURA NO CONTROLE DA 
EROSÃO HÍDRICA
Fitotecnicos
Índice de cobertura
Temperatura do solo
Umidade do solo
Perdas de solo
Perdas de água
Perdas de NutrientesPerdas de Nutrientes
Perdas de Carbono
Atributos Físicos
Atributos Químicos 
Experimento de erosão hídrica: Verão de 2007/2008
30/11/2007 02/01/2008 21/03/2008
Feijão de Porco
MILHETO FEIJÂO DE PORCO
GUANDU
CROTALÁRIA E MILHETO
GUANDU E MILHETO CROTALÁRIA
Perfis de turbidez e 
condutividade
julho/2000
HIDRELÉTRICA 
SERRA DA MESA (GO)
ASSOREAMENTO DE RIOS E RESERVATÓRIOS
ST:1.318.488 t ano-1
ÁREA: 660.900 ha
SDR: 2,0 t ha-1 ano-1
ST:719.955,5 t ano-1
ÁREA: 220.000 ha
Usina Hidrelétrica
do Funil
ST:504.623,9 t ano-1
ÁREA: 51.200 ha
SDR: 9,86 t ha-1 ano-1
ÁREA: 220.000 ha
SDR: 3,26 t ha-1 ano-1
Reservatório do Funil
99mm ano-1
1 g de solo por litro
1,5 milhões de litros
por segundo
130 mil toneladas
de solo por dia
50–100 ha por dia
...e isso só na Bacia do Rio Iguaçu!
50–100 ha por dia
• Perda de produtividade
• Perda de área
• Assoreamento (~10 cm/ano)
• Enchentes
• Custo do tratamento da água
INDICADORES DA QUALIDADE DO SOLO EM AGROECOSSISTEMAS 
Indicadores Atributos
FÍSICOS Textura do solo, profundidade do solo, profundidade de raízes, 
densidade do solo, porosidade do solo, encrostamento 
superficial, compactação do solo, permeabilidade do solo 
à água, capacidade de retenção de água no solo, 
temperatura do solo, módulo de ruptura, limites de 
consistência, índice de agregação, estabilidade de 
agregados, estrutura do solo e resistência do solo à 
penetração.
MORFOLÓGICOS Observações de campo da estrutura, porosidade do solo, 
atividade da fauna e flora no solo e cor do solo, cheiro do 
solo e observações em laminas micromorfológicas.solo e observações em laminas micromorfológicas.
QUÍMICOS Carbono orgânico total (COT), nitrogênio orgânico total, pH, 
PCZ, condutividade elétrica, disponibilidade de nutrientes, 
nitrogênio mineral (NH4
+, NO3
-), fósforo, potássio, 
capacidade de troca de cátions, saturação de bases, 
saturação por alumínio, presença de metais pesados, 
presença de elementos radioativos e presença de 
defensivos.
BIOLÓGICOS Carbono da biomassa microbiana (COBM), nitrogênio e outros 
nutrientes da biomassa microbiana, nitrogênio 
potencialmente mineralizáveis, respiração do solo (RS), 
relação entre COT/COBM, relação RS/COBM, taxa de 
decomposição de resíduos biológicos, enzimas e 
população microbiana (fungos, micorrizas e outros). 
QUALIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE MANEJO
São João Del Rei, MG
15
20
25
120
160
200
REDUÇÃO DA PERMEABILIDADE EM 75%
REDUÇÃO DA MACROPOROSIDADE EM 44%
0
5
10
0
40
80
Macroporosidade (%) Permeabilidade (mm h-1)
(Silva et al. 2005)
CCB CCM PDM CE CNCCBAM 
Latossolo Vermelho-Amarelo Ácrico
SISTEMAS
C acumulado
0 – 30 cm
Estoque de C
Atual*
Tempo de
manejo
CCB
CCBAM
65,5
72,5
ESTOQUE E EMISSÃO DE CARBONO NO SOLO
------------- Mg ha-1 --------------
Taxa de C
anual
ano - Mg ha-1 ano -1 -
-12,1
- 6,1
1
2
-12,1
- 3,1
CCM
PDM
CCE
70,6
91,3
67,7
(Silva 2001)
- 8,0
+12,7
- 10,9
2
2
5
13
- 4,0
+ 2,5
- 0,84
*Valores negativos indicam perda de C em relação 
ao sistema em equilíbrio.
Perdas de solo e contaminação do sedimento e enxurrada
com atrazina em sistemas de cultivo 
(período de 1972 a 1991)
Perdas solo
Cont. Atrazina
Sistemas de Cultivo
Convencional1 Alternativo2
Perdas (t ha-1) 14,58 7,11
Sedimento (g ha-1)
Enxurrada (g ha-1)
0,50
27,10
0,015
1,75
1 Valores médios de perdas de solo e contaminação do sedimento e enxurrada no sistema de preparo 
convencional com cultivo contínuo de milho (aplicação de 1,75 kg ha-1 P.A de atrazina).
2 Valores médios de perdas de solo e contaminação do sedimento e enxurrada no sistema de preparo 
alternativo com preparo convencional, rotação de culturas (aplicação de 1,45 kg ha-1 P.A de atrazina).
Fonte: Adaptado de Koo & Diebel (1996).
VOÇOROCAS - MEDIDAS DE ESTABILIZAÇÃO E CONTROLE
REVEGETAÇÃO 
REGENERAÇÃO 
PALIÇADA
TERRAÇOS
BACIAS DE CAPTAÇÃO
MANTA VEGETAL
AGREGANTES
ESTIMULANTES
ISOLAMENTO
VERTEDOURO
FERTLIZAÇÃO
MECÂNICASVEGETATIVAS EDÁFICAS
QUEIMADAS
HIDROSEMEADURA
MICRORGANISMOS
TERRAÇOS
TALUDES
GABIÃO
MANTA VEGETAL
CANAIS DIVERGENTES
ESTIMULANTES
MANTA SINTÉTICA
ATERROS
SEMENTEIRA
BORDADURAS
PALHADA
DISSIPADORES
FAUNA
ADUBO VERDE
Plantio em Nível, Mata Ciliar, 
Vegetação de Topo e Terraceamento
Plantio Direto na Palha
USO DO VETIVER NA ESTABILIZAÇÃO DE TALUDES DE 
VOÇOROCAS
Hidrosemeadura
Paliçada
ESCADA HIDRÁULICA
Gabiões no Controle da Erosão Hídrica
EROSÃO HÍDRICA EM JAZIDAS DE EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO
AMAZONAS – VALE DO URUCU
ESTUDOS DE EROSÃO HÍDRICA E RECARGA DE ÁGUA
EM BACIAS HIDROGRÁFICAS
SERVIÇOS AMBIENTAIS - PRODUTOR DE ÁGUAS
EXTREMA, MG
EDUCAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO SOLO
PROJETO 
NAZARENO (MG)NAZARENO (MG)
PARCERIA
UFLA
MMA-FNMA
EMATER
PREFEITURA
CEMIG
COLETA DE ESGOTO EM AGROECOSSISTEMAS

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.