A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Macroeconomia I - Tópico 01

Pré-visualização | Página 1 de 3

Análise Macroeconômica I Tópico 1
O QUE É MACROECONOMIA? 
É o estudo da determinação e do comportamento dos grandes agregados de 
uma economia. 
PRINCIPAIS QUESTÕES ESTUDADAS PELA MACROECONOMIA 
- Determinação do PIB
- Desemprego 
- Taxa de Inflação
- Balanço de Pagamentos
OBJETIVOS DA POLÍTICA MACROECONÔMICA 
- Impulsionar o crescimento econômico
- Manter a estabilidade de preços
- Geração de Empregos 
- Manter as contas do governo e as contas externas sob 
controle.
- Distribuição justa de Renda
Análise Macroeconômica I Tópico 1
1.1.4 - Instrumentos de Política Macroeconômica
Política Econômica: Atuação integrada do governo sobre a capacidade produtiva (oferta
agregada) e despesas planejadas (demanda agregada), com o objetivo de permitir à economia
operar a pleno emprego, com baixas taxas de inflação e distribuição de renda. Seus principais
instrumentos são:
* Política Fiscal: Refere-se aos instrumentos de que o governo dispõe para a arrecadação
de tributos (política tributária) e controle de suas despesas (política de gastos) para alcançar
determinado objetivo macroeconômico.
Se o objetivo for geração de empregos, a política fiscal será no sentido de aumentar 
a demanda agregada. 
Se o objetivo for controle da inflação, a política fiscal será no sentido de reduzir
a demanda agregada.
* Política Cambial e Comercial: Políticas que afetam o setor externo da economia.
A política cambial refere-se aos objetivos do governo sobre a taxa de câmbio.
Exemplo de objetivos de política cambial: câmbio fixo, câmbio flutuante, etc...
A política comercial diz respeito aos instrumentos do governo para estimular 
as exportações e estímulo/desestímulo das importações. Instrumentos: Cotas de importação, 
Impostos de importação, barreiras comerciais, etc...
Análise Macroeconômica I Tópico 1
* Política Monetária: Refere-se à atuação do governo sobre a quantidade de moeda, 
crédito e taxa de juros.
Se o objetivo for o controle da inflação, as medidas tomadas serão no sentido de 
reduzir a quantidade de moeda e/ou crédito.
Se o objetivo for aumento de emprego as medidas serão no sentido de aumentar 
a quantidade de moeda e/ou crédito.
* Política de Renda (ou controle de preços e salários) : Os agentes econômicos ficam 
impedidos de levar a cabo o que fariam em resposta a influências normais de mercado, por 
exemplo, congelamento de preços, fixação da política salarial. Esses controles afetam 
diretamente a formação de preços, salários, juros, aluguéis, lucros.
Chamam-se “políticas de rendas” por atuarem diretamente sobre a formação da renda, 
e não por referir-se à distribuição de renda.
Análise Macroeconômica I Tópico 1
1.1.3 Estrutura da Análise Macroeconômica: Divide a economia em duas partes:
uma real e outra monetária. O esquema abaixo demonstra essa divisão:
Parte Real
da Economia
Mercado de
Bens e Serviços
Mercado de
Trabalho
Produto Interno Bruto
Nível Geral de Preços
Nível de Emprego
Salários
Parte Monetária
da Economia
Mercado 
Financeiro
(Moeda, Títulos)
Mercado de
Divisas
Taxa de Juros
Estoque de Moeda
Taxa de Câmbio
Análise Macroeconômica I Tópico 1
CLÁSSICOS
KEYNESIANOS
Neo Clássicos
Pós Keynesianos
Neo Ricardianos
Fundamentalistas
Regulacionistas
Institucionalistas
Novos Clássicos
Novos Keynesianos
Não existem meca-
nismos capazes de 
aumentar ou dimi-
nuir o nível de em-
prego em relação ao 
equilíbrio de LP.
A economia pode gerar 
equilíbrios 
de pleno emprego.
Ao princípio da DA deve ser acrescida 
uma análise da distribuição de renda e 
determinantes do valor das mercadorias.
Privilegiam o papel das expectativas na 
análise, reconhecendo a natureza instável 
e imprevisível desta variável econômica.
Características atuais do processo de acu-
mulação de capital provoca importantes 
alterações na organização econômica dos 
países industrializados
Privilegiam a análise do papel das 
instituições e da tecnologia na formação 
dos preços.
Procura explicar por-
que existem certos 
preços rígidos que 
provoca desequilíbrios 
em alguns mercados
A economia não tem capacidade de 
atingir o pleno emprego automatica-
mente devido à rigidez de preços no 
curto prazo, abrindo espaço para 
ações do governo na economia.
Os mercados tem 
capacidade de 
adaptar-se rapida-
mente em direção 
ao equilíbrio. Lei 
de Say: “A oferta 
cria sua própria 
procura”.
Não aceitam a hipótese 
de pleno emprego no 
curto nem no longo 
prazo e acreditam que 
flutuações de renda e 
produto devam ser 
corrigidas por ajustes 
de DA e OA de cada 
bem.
EVOLUÇÃO DA MACROECONOMIA
Análise Macroeconômica I Tópico 1
Mercado de 
Fatores
Mercado de 
Bens
Mercados
Financeiros
Famílias
Governos
Empresas
Resto do
Mundo
Empréstimos para Empresas
Empréstimos 
para o 
Exterior
Empréstimos 
para o 
Governo
Poupança da FamíliaP
IL
BD
EL
D
B
EL
I
I
R
R
Recurso
No fluxo circular de renda e dispêndio,as famílias recebem renda ( R ) das empresas (fluxo azul) e fazem dispêndios de 
consumo (D); As empresas fazem investimentos ( I ); os governos fazem compras de bens e serviços ( B ); O resto do 
mundo importa e exporta, caracterizando exportações líquidas (EL) (fluxo preto). A renda agregada (fluxo azul) é igual ao 
dispêndio agregado (fluxos cinza). A poupança das famílias ( P ) e os impostos líquidos ( IL ) saem do fluxo circular. As
empresas fazem empréstimos para financiar seus investimentos, e os governos e o resto do mundo fazem empréstimos para 
financiar seus déficits ou emprestam seus superávits (fluxo vermelho) 
Fluxo Circular de 
Renda e Dispêndio.
Análise Macroeconômica I Tópico 1
CONCEITOS BÁSICOS DE MACROECONOMIA
* PRODUTO INTERNO BRUTO e PRODUTO NACIONAL BRUTO: São as duas mais importantes 
medidas de toda a atividade econômica de uma economia. 
PIB é o valor total da produção atual de bens e serviços finais obtidas dentro dos limites 
geográficos de uma economia, num determinado período de tempo, de acordo com os preços de mercado. 
PNB é o valor total da renda que os residentes recebem num determinado período de tempo. 
Como o PNB mede a renda dos residentes da economia, não importa se essa renda é obtida na produção 
doméstica ou em produção externa. Assim, a identidade do PNB é a seguinte: 
PNB = PIB + Renda Líquida Recebida do Exterior
•Renda Líquida ao Exterior: Parte do que produz-se no país não pertencem aos residentes, principal-
mente capital e tecnologia. A remuneração destes fatores vai para fora do país, na forma de remessa de 
lucros, royalties, juros (são chamados serviços de fatores). Todavia o país também recebe rendas de 
juros, lucros, royalties do exterior. A diferença entre o envio e os Recebimentos do exterior é conhe-
cido como RLRE.
Observação: Diferença entre Fluxo e Estoque: Muitas variáveis utilizadas pelos economistas envolvem 
quantidade de alguma coisa (dinheiro, mercadorias, assim por diante). Distingue-se estas variáveis de 
quantidade em estoques e fluxos. Um estoque é uma quantidade medida em determinado ponto do tempo, 
enquanto um fluxo é uma quantidade medida por unidade de tempo. 
* A riqueza de uma pessoa é um estoque; sua renda e gastos são fluxos
* Número de pessoas desempregadas é um estoque; número de pessoas que estão sendo
demitidas é um fluxo. 
* Quantidade de capital é um estoque; quantidade de investimento é um fluxo.
* Dívida do governo é um estoque; déficit orçamentário é um fluxo.