A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Macroeconomia I - Tópico 04

Pré-visualização | Página 1 de 4

Análise Macroeconômica I Tópico 4
A inflação é definida como um aumento contínuo e generalizado de preços, ou seja, movimentos 
inflacionários representam elevações em todos os preços dos bens e serviços produzidos ela economia e não 
meramente o aumento de determinado preço. Outro aspecto que merece atenção é que o fenômeno inflacio-
nário exige a elevação contínua dos preços e não meramente uma elevação esporádica de preços. 
CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROBLEMA DA INFLAÇÃO
Conceito de Inflação
Ao longo da linha azul, a economia apresenta 
inflação porque o nível de preço apresenta-se 
continuamente ascendente. Ao longo da linha 
preta, verifica-se uma elevação isolada no ní-
vel de preços. 
90
100
110
120
AnoN
ív
el
 d
e 
P
re
ço
s 
–
D
ef
la
to
r 
d
o
 P
IB
–
2
0
0
0
 =
 1
0
0
130
140
Alta Isolada do 
Nível de Preços
Inflação em processo contínuo 
de elevação do nível de preços
1998 1999 2000 2001 2002 2003
Para medir a taxa de inflação, calculamos a mudança percentual no nível de preços. Por exemplo, 
se o nível de preço atual é 110 e o nível de preços anterior era 100, a taxa de inflação é de 10%, pois:
100)1
100
100110
( x
Análise Macroeconômica I Tópico 4
A inflação pode resultar de um aumento da demanda agregada ou de um aumento de custos 
(com a conseqüente redução da oferta agregada).
Inflação de Demanda
Inflação que resulta de um aumento inicial da demanda agregada é chamado inflação de demanda. 
Tal inflação pode surgir de qualquer fator que aumente a demanda agregada, tal como aumento da oferta de 
moeda, crescimento das compras do governo e elevação das exportações. 
100
105
110
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
120
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
DA0
OALP
115
DA1 100
105
110
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
120
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
OALP
115
DA1
OACP1
Aumento da Demanda Agregada eleva o 
nível de preço e aumenta o PIB real...
Eleva os salários, deslocando a OACP 
para a esquerda. O nível de preço sobe 
mais ainda e o PIB real cai
N
ív
el
 d
e 
P
re
ço
s 
–
D
ef
la
to
r 
d
o
 P
IB
–
2
0
0
0
 =
 1
0
0
Análise Macroeconômica I Tópico 4
Conseqüências sobre o Trabalho 
O PIB real não pode permanecer acima do PIB potencial. Com o desemprego abaixo de sua taxa 
natural, haverá escassez de trabalhadores, forçando a taxa de remuneração do trabalho para cima. À medida 
que o salário sobe, a oferta agregada de curto prazo diminui, deslocando a OACP para a esquerda, diminuin-
do o PIB real. Se não houver novo choque de demanda, os preços param de subir e o PIB real estaciona no 
nível inicial. O processo termina quando, para determinado aumento na demanda agregada, a taxa de salário 
é reajustado o suficiente para restabelecer a taxa de salário real a seu nível de pleno emprego.
O Processo de Inflação de Demanda
Para ocorrer inflação a demanda agregada deve-se aumentar continuamente. A única maneira 
disto acontecer é elevar também continuamente a quantidade de dinheiro. 
100
105
110
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
120
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
DA0
OALP
115
DA1
OACP1
OACP2
DA2
Espiral Inflacionária Provocada pela Demanda
Cada vez que há um aumento da oferta de moeda, a 
demanda agregada sofre uma elevação e sua curva 
move-se de DA0 para DA1 e assim por diante. Cada 
vez que o PIB real se situa acima do PIB potencial, 
e o desemprego encontra-se abaixo da taxa natural, 
a taxa de salário monetário sobe e a curva de OACP 
desloca-se para a esquerda de OACP0 para OACP1. 
Como a demanda agregada continua aumentando, o 
nível de preço sobe de 100 para 105, 112, 116 e as-
sim por diante, enquanto o PIB real oscila entre 1,8 e 
1,91 trilhões. 
N
ív
el
 d
e 
P
re
ço
s 
–
D
ef
la
to
r 
d
o
 P
IB
–
2
0
0
0
 =
 1
0
0
Análise Macroeconômica I Tópico 4
A inflação resultante de um aumento inicial de custos é chamada de inflação de custo. As duas 
principais fontes de aumento de custo são:
1. Aumento nas taxas de salário monetário
2. Aumento nos preços monetários das matérias-primas.
A qualquer nível de preços, quanto mais alto o custo de produção, menor é a quantidade que as 
empresas estão dispostas a produzir. Assim, aumento nos salários ou das matérias-primas provocam redução 
na oferta agregada.
100
105
110
120
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
DA0
OALP
115
OACP1
O preço dos recursos sobe, deslocando OACP 
para a esquerda e provoca estagflação.
Imaginemos um aumento do nível de preços de algumas 
matérias-primas provocadas, por exemplo, pela desvaloriza-
ção da moeda nacional. Este aumento nominal da matéria-
prima provoca uma redução da OACP, diminuindo o PIB 
real. A combinação de elevação no nível de preços e dimi-
nuição no PIB real é chamado de estagflação. Esse fenômeno 
é uma elevação isolada no nível de preços. Um choque de 
oferta não pode, sozinha, provocar inflação, algo mais deve 
ocorrer para que isto se converta em um processo de cresci-
mento da oferta de moeda e inflação contínua. A oferta de 
moeda deve aumentar persistentemente.
N
ív
el
 d
e 
P
re
ço
s 
–
D
ef
la
to
r 
d
o
 P
IB
–
2
0
0
0
 =
 1
0
0
Inflação de Custos
Análise Macroeconômica I Tópico 4
Resposta da Demanda Agregada
Quando o PIB real cai, a taxa de desemprego sobe acima da taxa natural. Em tal situação, há nor-
malmente grande preocupação e uma expectativa de que se promovam ações para que o pleno emprego seja 
restabelecido. Imagine um aumento da oferta monetária, aumentando a demanda agregada, restabelecendo o 
pleno emprego e aumentando o nível de preços.
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
DA0
OALP
115
OACP1
DA1
N
ív
el
 d
e 
P
re
ço
s 
–
D
ef
la
to
r 
d
o
 P
IB
–
2
0
0
0
 =
 1
0
0
100
105
110
120
Um aumento da Oferta Monetária aumenta a de-
manda agregada, restabelecendo o pleno empre-
go, com o nível de preços subindo novamente.
O aumento de custo desloca OACP0 para a esquerda, 
aumentando o preço e diminuindo o PIB real. O banco 
central aumenta a oferta de moeda, deslocando a de-
manda agregada de DA0 para DA1 provocando novo 
aumento de preços. O processo se repete, criando uma 
espiral de inflação custo-preço.
100
105
110
Pib Real (trilhões de Reais 2000)
120
0 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9
OACP0
2,0 2,1
DA0
OALP
115
DA1
OACP1
OACP2
DA2
Espiral Inflacionária Provocada pelo Custo
Resposta da DA ao aumento no nível de preços
provocados pelo custo
Análise Macroeconômica I Tópico 4
Distorções Provocadas por Altas Taxas de Inflação
O processo inflacionário, especialmente aqueles caracterizados por altas taxas e particularmente 
quando estas taxas oscilam, tem sua previsibilidade dificultada por parte dos agentes econômicos e promove 
profundas distorções na estrutura produtiva. Os principais efeitos são:
Efeito Sobre a Distribuição de Renda: É a distorção mais séria provocada pela inflação e diz 
respeito à redução relativa do poder aquisitivo das classes que dependem de rendimentos fixos, que possuem 
prazos legais de reajustes. Assim, os assalariados vão ficando com seus orçamentos cada vez mais reduzidos 
até a chegada do novo reajuste.
Efeito Sobre a Balança de Pagamentos: Taxas de inflação em níveis superiores ao aumento de 
preços