A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
80 pág.
Sistema Sensoriais de Animais Domésticos

Pré-visualização | Página 2 de 3

sacarina
uma minoria de porcos a achou
desagradável em todas as concentrações
oferecidas. A maioria dos porcos, no
entanto, escolhe soluções de sacarina
mesmo em concentrações excessivamente
doces (2,5%) para seres humanos
OLFAÇÃO
Os órgãos do sentido do olfato se encontram na
cavidade nasal, a qual e revestida por um
epitélio secretor muco.
O órgão olfativo corresponde à mucosa que
reveste a parte superior das fossas nasais,
chamada mucosa amarela rica em terminações
nervosas.
O órgão olfativo
é a mucosa que forra a parte superior das fossas nasais -
chamada mucosa olfativa ou amarela, para distingui-la da
vermelha - que cobre a parte inferior.
A mucosa amarela é muito rica em terminações nervosas
do nervo olfativo. Os dendritos das células olfativas
possuem prolongamentos sensíveis (pêlos olfativos), que
ficam mergulhados na camada de muco que recobre as
cavidades nasais.
A mucosa vermelha é dessa cor por ser muito rica em
vasos sangüíneos, e contém glândulas que secretam
muco, que mantém úmida a região. Se os capilares se
dilatam e o muco é secretado em excesso, o nariz fica
obstruído.
Os odores são detectados pelas células sensoriais (quimioreceptores)
situadas no epitélio nasal. Entretanto, os bovinos possuem também um segundo
órgão olfatório: o órgão de Jacobson ou órgão Vomeronasal, que é usado em uma
comunicação entre indivíduos. Este órgão é situado no interior da boca na região
do palato superior. Sua utilização está relacionada ao comportamento característico
conhecido como “Reflexo de Flehmen” por meio do qual o animal levanta o nariz
com a boca ligeiramente aberta e, com lábio superior e a língua dobrados permite a
passagem de ar para o órgão
O olfato do equino é muito mais desenvolvido que o do ser
humano. Em situações de perigo, ele aspira o ar para detectar odores
estranhos no meio ambiente.
O chanfro comprido do cavalo provê uma grande superfície para a
mucosa olfativa e esta é ampliada por uma estrutura localizada sobre a
parte posterior da cavidade nasal, chamada placa cribriforme.
A sensação de sabor está intimamente vinculada à integração da
estimulação olfativa com a gustativa.
Em determinadas ocasiões, o cavalo bufa para tentar limpar as áreas
sensoriais das narinas.
Reflexo de Flemen
Ele recebe os sinais químicos
emitidos por outros cavalos através
de um órgão específico, chamado
vômer nasal.
Esse comportamento é mais
comum quando há éguas no cio nas
proximidades.
É um dos sentidos mais importantes nos suínos
Reconhecimento individual (cada animal possui, espalhadas pelo
corpo, nove glândulas que secretam substâncias odoríferas
fundamentais para coesão do grupo).
INTERACÃO SOCIAL
Hierarquia (liberação de Feromônios de submissão de
subordinado para o dominante).
FUNÇÕES EXPLORATÓRIA
Busca de alimentos;
Combate o narcotráfico (Europa);
Caça as trufas (fêmeas).
olfato pouco desenvolvido
as galinhas, que possuem
memória olfativa que as ajuda a
reconhecer odores familiares
MSC. ANA GABRIELA CARVALHO 
RODRIGUES 
VISÃO
 FUNÇÃO:
 PERCEPÇÃO VISUAL
• Localização Espacial
 • Medida de Intensidade
 • Discriminação das Formas
 • Detecção do Movimento
 • Visão da Cor
 ANATOMIA
 OLHO
Nossos olhos são quase esféricos e estão
alojados nas cavidades orbitais da face
SISTEMA SENSORIAL - VISÃO
ANATOMIA
OLHO
Cada olho é constituído por 3 túnicas (camadas):
Externa: Protetora. São a córnea e a esclera.
Média: Vascular. Compreende a íris, a coróide e
o corpo ciliar.
Interna: Nervosa. É a retina.
SISTEMA SENSORIAL - VISÃO
ESCLERA
CÓRNEA
ÍRIS
ANATOMIA
OLHO PARTE INTERNA
HUMOR VÍTREO
CRISTALINO
HUMOR AQUOSO
ANATOMIA
OLHO PROTEÇÃO
PALPEBRAS SUPERIORES E INFERIORES
CÍCILOS
GLÂNDULAS LACRIMAIS
SOBRANCELHAS
ANATOMIA
OLHO
ANATOMIA
ESCLERA
É a parte branca e opaca da camada externa do olho. É
conhecida popularmente como "branco do olho".
A esclera tem função protetora e ajuda a manter a forma do
olho.
CONJUNTIVA
É uma camada muito fina, transparente e com muitos
vasos, que recobre a esclera na parte anterior do olho e a
parte interna das pálpebras.
 ANATOMIA
 CÓRNEA
 É a parte transparente do olho, é como se
fosse um "vidro de relógio".
 A córnea é a superfície de maior poder de
refração do olho, visando formar a imagem
nítida na retina e protege a parte anterior do
globo ocular.
 ÍRIS
 É a parte colorida do olho, fica atrás da
córnea (é vista porque a córnea é
transparente).
 A íris possui em seu centro um orifício
chamado pupila.
 ÍRIS
 Ela regula a entrada de luz no olho; contraindo-
se em ambientes iluminados e aumentando
(dilatando) no escuro
 CORÓIDE
 É formada por vasos sangüíneos e
responsável por parte da nutrição do olho,
da retina
 CORPO CILIAR
É um tecido no interior do olho composto pelo músculo ciliar e
processos ciliares.
O corpo ciliar possui três funções:
acomodação, produção do humor aquoso e produção e manutenção
das zônulas do cristalino.
 CRISTALINO
 É uma lente transparente situada atrás da
íris. Modifica sua forma para dar maior
nitidez à visão (acomodação visual), -
permitindo a visão precisa de objetos
próximos e distantes.
 Estrutura elástica e transparente, cuja função
é focalizar a luz que entra no olho e que
formará as imagens na retina
 CRISTALINO
 HUMOR VÍTRIO
 Também conhecido por corpo vítreo do olho
ou simplesmente por vítreo, é a substância
gelatinosa e viscosa, formada por uma
substância amorfa semilíquida, fibras e
células, que se encontra no segmento
posterior, entre o cristalino e a retina, sob
pressão, de modo a manter a forma esférica
do olho
 HUMOR VÍTRIO
 RETINA
É a camada mais interna do olho. Formada por
receptores especiais sensíveis a luz
é a parte do olho responsável
pela formação de imagens.
É como uma tela onde se
projeta a luz: retém as imagens
e as traduz para o cérebro
através de impulsos elétricos
enviados pelo nervo óptico
 RETINA
É a camada mais interna do olho. Formada por
receptores especiais sensíveis a luz
 PONTO CEGO
O ser humano tem um pequeno ponto cego no olho. Fica
localizado no fundo da retina. Está situado ao lado da
fóvea e é o ponto que liga a retina ao nervo óptico.
Estranhamente é desprovido de visão
 HUMOR AQUOSO
 É o líquido incolor, constituído por água (98%) e sais dissolvidos
(2%) – predominantemente cloreto de sódio – que preenche as
câmaras oculares (cavidade do olho, entre a córnea e o cristalino).
 Ele é produzido incessantemente, com valor médio de 3 ml por
dia, no corpo ciliar.
 NERVO OPTICO
É formado a partir da retina e conduz o estímulo visual
ao cérebro
 CELULAS NERVOSAS -
FOTORECEPTORAS
ANATOMIA MICROSCÓPIICA
CONES E BASTONETES
Existem cerca de 125 milhões de bastonetes e cones dentro da
retina.
Os bastonetes são os mais numerosos entre os dois
fotorreceptores (superando os cones numa proporção de 18 para 1)
e funcionam mesmo com pouca luz criando imagens em preto e
branco na penumbra.
Mas quando há bastante luz (por exemplo, a luz do dia ou luz
artificial numa sala), são os cones que entram em ação e nos dão a
capacidade de ver cores e detalhes de objetos.
As informações recebidas pelos bastonetes e cones são
transmitidas, interpretam as mensagens enviadas e reenviam essas
informações para o cérebro pelo nervo óptico.
 CONES - FOTORECEPTORAS
ANATOMIA MICROSCÓPIICA
Formada por proteínas iodoopsinas – diferentes sensibilidades
espectrais – Visão a cores
VISÃO TRICROMÁTICA
Cones com diferentes pigmentos fotossensíveis
azul, verde e vermelho
 CONES - FOTORECEPTORAS
ANATOMIA MICROSCÓPIICA
 CONES - FOTORECEPTORAS

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.