A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
Atividade pratica eletricidade

Pré-visualização | Página 1 de 2

http://www.grupomozarteum.com.br/famosp/wp-content/uploads/2015/01/Logo_UNINTER.jpg
		G.A. Pereira de Souza
Centro universitário Uninter
Pap-Rua Sergipe,34 Marilía –SP-Brasil
E-mail :gaps30@terra.com.br
ATIVIDADE PRÁTICA DE ELETRICIDADE
tupã-sp
2018
SUMÁRIO
Resumo	3
1 introdução EXPERIÊNCIA 1	4
2 INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 2	8
3 INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 3	12
4 INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 4	15
5 INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 5	20
RESUMO
	Essa atividade tem como intuito colocar em prática todos os conceitos abordados na disciplina de eletricidade, como lei de Ohm, leis de Kirchhoff, divisor de tensão, divisor de corrente, funcionamento de resistores, capacitores e indutores.
	Palavra-chave: (Lei de Ohm, Divisor de Tensão, Divisor de Corrente)
1	INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA
Apesar de alguns físicos não a considerarem como lei, porque ela não se aplica a diodos e transistores, ela tem essa denominação por apresentar aplicabilidade aos demais condutores metálicos. Ela consiste na interação de corrente (i) e tensão (V) sob a presença de uma constante que se denomina resistência elétrica (Ω).
	Georg Simon Ohm através de seus experimentos constatou que a corrente através de um dispositivo é sem pre diretamente proporcional à diferença de potencial aplicada no dispositivo.
EXPERIÊNCIA 1: LEI DE OHM
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_153754.jpg
Figura 1: Circuito montado resistor 560 ohms
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_155205.jpg
Figura 2: V1 5 Volts
C:\Users\Gilson\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\20180320_155927.jpg
Figura 3: Realizando a medida de corrente elétrica do circuito 560 Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_160544.jpg
Figura 4: R1-100 k Ω(5Volts)
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180323_080931.jpg
Figura 5 R1-560Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180323_081200.jpg
Figura 6: R1-100k Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180323_081030.jpg
Figura 7: R1-560 Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180323_081144.jpg
Figura 8: R1- 100k Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_155149.jpg
Figura 9: V1 10 Volts
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_155944.jpg
Figura 10: V1 10Volts R1-560 Ω
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180320_160604.jpg
Figura 11: V1 10 Volts R1-100k Ω
	
	
	I(A)
	%Erro
	V1(V)
	R1
	A
Teórica
calculada
	B
Simulada
Multisim
	C
Experimental
Prática
	D
Erro experimental
%Erro
	5v
	560
	8.9mA
	8.9mA
	8,87mA
	0,33
	10v
	560
	17mA
	17mA
	17mA
	0
	5v
	100K
	50uA
	50uA
	40uA
	20
	10v
	100K
	100uA
	100uA
	90uA
	10
Justifique a diferença entre os valores experimentais e teóricos:
	Devido a precisão do programa Multisim Blue e nos Cálculos teóricos os valores são mais precisos, já na montagem circuito prático a energia tem a oscilação da rede, existindo então a falta de exatidão nos valores, que quando calculados com a fórmula de % erro ficam próximos;
	O resistor 100k Ω na escala do enunciado do exercício constou valor 0, mudando a escala para 2 m conseguimos um valor de aferição.
Observação: utilizando a Lei de ohm I=V/R exemplo: I=5/100k=50 uA
2	INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 2
	O divisor de tensão é um circuito que nos permite conseguir tensões menores
do que a tensão de um gerador disponível.
EXPERIÊNCIA 2: DIVISOR DE TENSÃO
Figura 12:Circuitodivisor de tensão
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_091208.jpg
Figura 13: Montagem circuito
Calcule o valor teórico de cada uma das tensões e corrente solicitadas.
	Valores teóricos
	V1(V)
	VR1(V)
	VR2(V)
	VR3(V)
	I(A)
	2
	200mv
	440mv
	1,36v
	200uA
	5
	500mv
	1,1v
	3,4v
	500uA
	7
	700mv
	1,54v
	4,76v
	700uA
	10
	1v
	2,2v
	6,8v
	1mA
	Utilizando o MultiSIM Blue, simule o circuito modificando os parâmetros de tensão e preenchaa tabela.
	Valores teóricos
	V1(V)
	VR1(V)
	VR2(V)
	VR3(V)
	I(A)
	2
	200mv
	440mv
	1,36v
	200uA
	5
	500mv
	1,1v
	3,4v
	500uA
	7
	700mv
	1,54v
	4,76v
	700uA
	10
	1v
	2,2v
	6,8v
	1mA
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_091312.jpg
Figura 14: Voltagem 2V
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_091923.jpg
Figura 15: Vr1 2Volts
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_091955.jpg
Figura 16: Vr2 2Volts
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_092011.jpg
Figura 17: Vr3 2Volts
C:\Users\Gilson\Desktop\Camera\20180324_092245.jpg
Figura 18: I (a) 2Volts
Valore obtidos experimentalmente:
	Valores experimentais
	V1(V)
	VR1(V)
	VR2(V)
	VR3(V)
	I(A)
	2
	0,198
	0,436
	1,390
	0,19mA
	5
	0,480
	1,070
	3,430
	0,49mA
	7
	0,680
	1,510
	4,830
	0,69mA
	10
	0,980
	2,160
	6,900
	0,99mA
Calcule o Erro Experimental:
%Erro=ITeórico-IExperimentalx 100
ITeórico
	%Erro
	V1(V)
	%Evr1(v)
	%Evr2(v)
	%Evr3(v)
	%E corrente
	2
	1
	-9
	-2,2
	5
	5
	4
	2,7
	-0,88
	2
	7
	2,8
	1,94
	-1,47
	1,4
	10
	2
	1,81
	-1,47
	1
Justifique a diferença entre os valores experimentais e teóricos.
	Quando os resistores são todos ligados em série uma única corrente Circula, mas a tensão vai caindo a cada resistor atravessado.
Concluímos que a montagem de um circuito depende de sua finalidade e que cada um possui uma particularidade.
3	INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 3
O Divisor de Corrente serve para fornecer parte da corrente total do circuito, paraum componente.
EXPERIÊNCIA 3: DIVISOR DE CORRENTE
Figura 19: Montagem docircuito para o experimento de divisor de corrente
	Valores Teóricos
	V1(V)
	Ir1(A)
	Ivr2(A)
	Ivr3(A)
	2
	2mA
	909uA
	294uA
	5
	5mA
	2,27mA
	735uA
	7
	7mA
	3,18mA
	1,02mA
	10
	10mA
	4,54mA
	1,47mA
Calcule a tensão teórica de cada uma das tensões e corrente solicitadas.
	Utilizando o MultiSIM Blue, simule o circuito modificando os parâmetros de tensão e preenchaa tabela.
Figura 20: Conexão do multímetro no circuito para obter os valores de corrente
	Valores Simulados
	V1(V)
	Ir1(A)
	Ivr2(A)
	Ivr3(A)
	2
	2mA
	909uA
	294uA
	5
	5mA
	2,27mA
	735uA
	7
	7mA
	3,18mA
	1,02mA
	10
	10mA
	4,54mA
	1,47mA
Figura 21: Resultado corrente no programa multisim
C:\Users\Gilson\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\20180326_151758.jpg
Figura 22: Ir1 2Volts
C:\Users\Gilson\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\20180326_151844.jpg
Figura 23: Ir2 2Volts
C:\Users\Gilson\AppData\Local\Microsoft\Windows\Temporary Internet Files\Content.Word\20180326_151918.jpg
Figura 24: Ir3 (A) 2Volts
	Valores Experimentais
	V1(V)
	Ir1(A)
	Ivr2(A)
	Ivr3(A)
	2
	2,04mA
	930uA
	290uA
	5
	5,03mA
	2,30mA
	720uA
	7
	7,07mA
	3,25mA
	1,01mA
	10
	10,03mA
	4,62mA
	1,44mA
Calcule o erro experimental:
%Erro=ITeórico-IExperimentalx 100
ITeórico
	%Erro
	V1(V)
	%Eir1(v)
	%Eir2(v)
	%Eir3(v)
	
	2
	-2
	0,66
	1,36
	
	5
	-0,59
	-1,3
	2,04
	
	7
	-1
	-2,2
	-0,99
	
	10
	-0,3
	-1,76
	2,04
	
Justifique a diferença entre os valores experimentais e teóricos.
	Em um circuito em paralelo o valor da diferença de potencial é constante em todo o circuito e os valores da corrente e da resistência são proporcionais entre si.
	Concluímos também que para realizarmos uma correta medição utilizando o amperímetro devemos utilizá-lo em série e devemos utilizar o voltímetro em paralelo para registrarmos um correto valor da voltagem em um circuito em paralelo.
4	INTRODUÇÃO EXPERIÊNCIA 4
	Esta é uma das formas mais eficientes de se interpretar o funcionamento de umcircuito eletrônico, através da análise das formas de onda.
EXPERIÊNCIA 4: FORMAS DE ONDA
	Utilizando o simulador MultiSIM Blue, montar os circuitos das