A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
316 pág.
Corregeroria Geral da Justica

Pré-visualização | Página 32 de 50

a observância ao 
disposto nos arts. 886 e 887 do Código de Processo Civil, devendo o escrivão judicial, 
sob responsabilidade pessoal e indelegável, exceto em caso de afastamento, elaborar 
certidão pormenorizada do atendimento aos artigos acima mencionados, abrindo 
imediata conclusão ao juiz que responder pelo feito para que este determine a 
remessa dos autos aos Leilões Presenciais, garantido sempre o recurso 
correspondente à parte que se sentir prejudicada.2 
§ 2º As varas de numeração par farão designações nos dias pares e as de 
numeração ímpar nos dias ímpares, num limite máximo de 2 (duas) praças e 2 (dois) 
leilões por dia, para cada vara.3 
§ 3º Os autos serão entregues no último dia útil que anteceder a hasta, até 
às 12h30, no Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões Presenciais, mediante 
carga e termo de remessa elaborado pelo ofício de justiça.4 
 
Art. 284. A partir do recebimento dos autos e até devolução ao ofício de 
origem, os atos a que se referem os arts. 207 e 208 do Código de Processo Civil serão 
praticados pelo escrivão judicial do Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões 
Judiciais Presenciais.5 
 
Art. 285. Revogado.6 
 
Art. 286. Mediante escala, organizada pela Presidência do Tribunal de 
Justiça, serão designados juízes de direito, de preferência auxiliares da capital, que 
fiscalizarão, pessoalmente, a realização dos leilões presenciais feitos pelo Ofício da 
Portaria dos Auditórios e dos Leilões Presenciais.7 
§ 1º Funcionando como órgão administrativo e judicante, em virtude de 
designação da Presidência do Tribunal de Justiça, o juiz de direito designado poderá 
praticar atos jurisdicionais exclusivamente relacionados com o leilão, somente 
podendo sustá-los, motivadamente, por força de alguma ocorrência ligada a fatos 
ocorridos durante a realização da alienação judicial, vedada a apreciação de matéria 
processual antecedente à remessa do processo para leilão presencial , suscitada ou 
não pelas partes interessadas.8 
§ 2º Nas atribuições do juiz de direito designado na forma do caput deste 
artigo, e sem prejuízo do contido no § 1º, compreendem-se a presidência, a 
fiscalização e a resolução de todos os incidentes que ocorrerem durante a realização 
dos leilões, devendo assinar os respectivos autos, positivos ou negativos, elaborados 
e subscritos pelo escrivão judicial do Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões 
Presenciais.9 
§ 3º Realizado o leilão, mas sempre antes da confecção e assinatura dos 
respectivos autos, receberá o juiz de direito designado quaisquer requerimentos 
vinculados àqueles atos. Lavrados os autos com as devidas cautelas, o feito será 
remetido ao juiz da causa para apreciação.10 
 
1
 Prov. CG 17/2016. 
2
 Prov. CG 17/2016. 
3
 Prov. CGJ 2/89. 
4
 Prov. CG 17/2016. 
5
 Prov. CG 17/2016. 
6
 Prov. CG 24/2016. 
7
 Prov. CG 17/2016. 
8
 Prov. CG 17/2016. 
9
 Prov. CG 17/2016. 
10
 Prov. CG 17/2016. 
 
§ 4º Nos leilões realizados no local onde estiverem os bens, ou no indicado 
pelo juiz da causa, fora do recinto do Fórum, o juiz de direito designado destacará 
funcionários do Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões Presenciais para 
fiscalizar a sua regularidade.1 
§ 5º O juiz de direito designado zelará para que os leiloeiros devolvam, 
diariamente, os processos que lhes forem entregues, com a súmula assinada do 
resultado dos leilões.2 
 
Art. 287. Os autos de arrematação, ou de leilão negativo, serão lavrados 
imediatamente pelo Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões Presenciais, 
restituindo-se o feito ao ofício de origem, com as cautelas necessárias, no prazo 
máximo de 24 (vinte e quatro) horas.3 
 
Art. 288. O Ofício da Portaria dos Auditórios e dos Leilões Presenciais 
lavrará uma súmula, a ser subscrita pelo juiz fiscalizador, na qual constarão os atos 
praticados e as decisões proferidas enquanto o processo esteve sob sua 
responsabilidade, e que deverá será arquivada no próprio ofício, em ordem 
cronológica.4 
 
Art. 289. Sempre que o juiz da vara onde se processe a execução sustar o 
leilão, o ofício respectivo comunicará o fato, por escrito, ao Ofício da Portaria dos 
Auditórios e dos Leilões Presenciais, antes da data designada, para as anotações 
necessárias.5 
 
Seção V 
 
Das Execuções Fiscais 
 
Subseção I 
 
Dos Ofícios de Justiça, Serviços Anexos Fiscais e Setores de 
Execuções Fiscais 
 
Art. 290. As execuções fiscais, na Comarca da Capital, serão processadas 
pelo Ofício da Vara das Execuções Fiscais Estaduais ou pelo Ofício da Vara das 
Execuções Fiscais Municipais. 
Parágrafo único. Nas demais Comarcas, as execuções fiscais serão 
processadas pelo Ofício de Justiça, Serviço Anexo Fiscal ou Setor das Execuções 
Fiscais, autorizados pelo Conselho Superior da Magistratura. 
 
Subseção II 
 
Das Disposições Gerais sobre o Serviço 
 
Art. 291. Serão cadastrados no sistema informatizado, para cada processo: 
a data da distribuição; a qualificação dos executados, com os nomes completos e 
número do RG e do CPF, se pessoas físicas, firma ou denominação e CNPJ, se 
pessoas jurídicas; o endereço dos executados; a natureza da ação; o número do 
processo; o número da certidão da dívida ativa; o valor da causa; a natureza do crédito 
em execução; número do registro, do livro e das folhas do registro de sentença, 
 
1
 Prov. CG 17/2016. 
2
 Prov. CSM 54/74. 
3
 Prov. CG 17/2016. 
4
 Prov. CG 17/2016. 
5
 Prov. CG 17/2016. 
 
quando adotado; o inteiro teor de pronunciamentos judiciais, quando em sentido 
diverso não dispuserem estas Normas de Serviço; anotações sobre recursos; a data 
do trânsito em julgado da sentença ou acórdão; o arquivamento; e outras informações 
que se entender relevantes.1 
§ 1º Os dados mencionados neste artigo, relativos às partes, causa de 
pedir, e pedido, sempre constarão das petições iniciais, materializadas ou enviadas 
por mídias eletrônicas, salvo absoluta impossibilidade de seu fornecimento pela 
exequente. 
§ 2º As anotações relativas ao andamento dos processos serão fidedignas, 
claras e atualizadas, observado o padrão de andamento, de forma a refletir o atual 
estado do processo.2 
§ 3º A anotação relativa a arquivamentos mencionará a data deste, seu 
fundamento legal e o número do pacote.3 
 
Art. 292. Os livros de registro de execuções fiscais, empregados pelos 
ofícios judiciais anteriormente à implantação do sistema informatizado oficial, serão 
conservados por tempo indeterminado, admitindo-se, todavia, sua inutilização, desde 
que todos os dados deles constantes sejam anotados no sistema, de forma a 
possibilitar a extração de certidões. 
 
Art. 293. Nas execuções fiscais será anotado na capa ou na etiqueta da 
atuação, em moeda nacional corrente, o valor de alçada recursal (art. 34, caput e § 1º, 
da Lei nº 6.830/80), apurado segundo critério de atualização definido pelo juiz do 
processo.4 
 
Art. 294. Desde que haja expressa autorização da Corregedoria 
Permanente, a própria exequente, após a distribuição do pedido inicial e a ordem de 
citação, individual ou coletiva, poderá providenciar a expedição da carta de citação, 
com o endereço do juízo para devolução do comprovante. A expedição da carta de 
citação e sua data serão comunicadas ao juízo por meio de relação, que será 
arquivada em classificador próprio.5 
 
Art. 295. Sempre que o número de execuções fiscais em tramitação 
recomendar, deverão os ofícios de justiça, em relação aos feitos que estejam na 
mesma fase e contenham pedidos/providências idênticos, proceder ao processamento 
dos autos em lotes, conforme o art. 314 e fluxo aprovado pela Corregedoria Geral da 
Justiça. 
 
Subseção