A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
316 pág.
Corregeroria Geral da Justica

Pré-visualização | Página 33 de 50

III 
 
Da Inutilização e Encaminhamento à Reciclagem de Autos de 
Execuções Fiscais Findas 
 
Art. 296. Os autos de processos de execuções fiscais arquivados há mais 
de 1 (um) ano, em virtude de anistia, pagamento ou qualquer outro fato extintivo, serão 
inutilizados e encaminhados à reciclagem, observado o procedimento previsto em 
regulamentação própria.6 
 
Art. 297. A inutilização e o encaminhamento à reciclagem de autos serão 
 
1
 Provs. CGJ 11/2002 e 10/2009. 
2
 Provs. CGJ 11/2002 e 10/2009. 
3
 Provs. CGJ 11/2002 e 10/2009. 
4
 Provs. CGJ 47/89, 17/2001, 26/2003 e 23/2010. 
5
 Prov. CGJ 36/2007. 
6
 Vide Prov. CSM 1676/2009 e Comunicado SAD nº 11/2010. 
 
precedidos de autorização do Juiz Corregedor Permanente, exarada em expediente 
próprio, no qual: 
I - o escrivão judicial ou o responsável pela unidade judicial prestará 
informações, relacionando, pelos números dos respectivos processos, os feitos que se 
encontrem nas condições do artigo precedente;1 
II - em seguida, colher-se-á manifestação da Fazenda e subsequente 
publicação de edital, com prazo mínimo de 30 (trinta) dias, para conhecimento de 
terceiros, decidindo o Juiz Corregedor Permanente acerca de eventual reclamação, 
cabendo recurso no prazo de 15 (quinze) dias à Corregedoria Geral da Justiça;2 
III - esgotado o prazo do edital, sem nenhuma reclamação, os autos 
destinados à eliminação serão entregues à Administração de cada prédio, 
acompanhados de relação de controle por número do processo. 
Paragrafo único. Os expedientes serão mantidos em arquivo pelo prazo de 
2 (dois) anos, após os quais serão inutilizados mediante autorização do Juiz 
Corregedor Permanente. 
 
Art. 298. Anotar-se-á na base de dados do sistema informatizado oficial, 
relativa a cada uma das execuções, tudo a servir de base para futura expedição de 
certidões: 
I - o número do expediente mencionado no art. 297 e o teor da 
correspondente decisão judicial, antes que a eliminação seja efetivada; 
II - a remessa dos autos à Administração Geral do Fórum; 
III - a data da fragmentação ou descaracterização do processo 
encaminhado a reciclagem. 
 
Seção VI 
 
Dos Ofícios Judiciais das Varas das Execuções Fiscais da Fazenda 
Pública da Comarca da Capital 
 
Subseção I 
 
Dos Livros e Classificadores Obrigatórios 
 
Art. 299. Os ofícios de justiça das Varas das Execuções Fiscais da Capital 
escriturarão os livros comuns e obrigatórios aos ofícios de justiça em geral.3 
 
Art. 300. Revogado.4 
 
Art. 301. Nas remessas internas de autos entre as diversas seções dos 
ofícios de justiça fica dispensada a emissão de livros de carga e de protocolo de autos, 
lançando-se a carga e recebimento no sistema informatizado, expedindo-se relatórios 
de conferência dos autos recebidos e remetidos, a critério do escrivão judicial, quando 
tal se mostrar necessário à segurança do serviço. 
 
Art. 302. O livro de registro de sentenças poderá ser constituído por 
relações de sentenças resumidas5, enquanto o ofício de justiça não estiver integrado 
ao sistema informatizado SAJ. 
§ 1º O registro conterá:6 
 
1
 Provs. CSM 485 e CGJ 22/92. 
2
 Provs. CSM 485 e CGJ 22/92. 
3
 Prov. CG 47/2015. 
4
 Prov. CG 47/2015. 
5
 Provs. CGJ 11/2002 e 10/2009. 
6
 Provs. CGJ 11/2002 e 10/2009. 
 
I - certidão de que estão sendo registradas as sentenças relacionadas, 
com o nome e número de matrícula de quem as registrou e a data em que praticou o 
ato; 
II - número do livro de registro; 
III - indicação resumida do fundamento da extinção; 
IV - nomes das partes e número do processo; 
V - nomes dos juízes que prolataram as sentenças; 
VI - número do registro individualmente consignado. 
§ 2º Dispensa-se a certificação, nos autos das execuções, do número do 
registro, do livro e das folhas em que a sentença foi registrada, se o ofício de justiça 
mantiver sistema informatizado que possibilite a busca imediata desses dados. Nesta 
hipótese, lançar-se-á certidão somente nas hipóteses de recurso, determinação 
judicial ou requerimento verbal de qualquer uma das partes. 
 
Art. 303. O registro das sentenças, enquanto o ofício de justiça não estiver 
integrado ao sistema informatizado SAJ, poderá ser feito em meio digital, com cópias 
de segurança, correspondendo cada mídia a um livro, devidamente numerado, 
mantida a ordem sequencial e com sistema de consulta às sentenças nele registradas. 
Parágrafo único. Poderão ser digitalizados os livros de registro de 
sentença que não forem feitos desde logo em meio magnético ou digital, mantida a 
numeração, com cópias de segurança, índice e mecanismos de consulta.1 
 
Art. 304. As sentenças cadastradas no sistema informatizado oficial com 
assinatura digital ficam dispensadas da funcionalidade do registro, bem como da 
elaboração de livro próprio e da certificação prevista no art. 302.2 
 
Art. 305. O registro de autos incinerados ou inutilizados será mantido em 
meio informatizado próprio, com cópias de segurança, dispensadas as anotações 
previstas no art. 254, enquanto o ofício de justiça não estiver integrado ao sistema 
informatizado SAJ, sem prejuízo da observância do procedimento para a eliminação 
de autos de execuções fiscais.3 
 
Art. 306. Os ofícios de justiça das Varas das Execuções Fiscais da 
Fazenda Pública da Capital possuirão os seguintes classificadores: 
I – para atos normativos e decisões da Corregedoria Permanente; 
II - para cópias de ofícios expedidos; 
III - para ofícios recebidos; 
IV - para guias de recolhimento de diligências do oficial de justiça; 
Parágrafo único. Aplicam-se aos classificadores as disposições constantes 
da Subseção II, da Seção VI, do Capítulo III, destas Normas de Serviço. 
 
Subseção II 
 
Da Ordem Geral dos Serviços 
 
Art. 307. Além das regras atinentes aos ofícios de justiça em geral e aos 
ofícios de justiça cível, naquilo que for compatível, os ofícios de justiça das Varas das 
Execuções Fiscais das Fazendas Públicas da Comarca da Capital observarão, 
primordialmente, quanto à ordem geral dos serviços, o disposto nesta Subseção e os 
da Seção anterior. 
 
 
1
 Prov. CGJ 11/2002. 
2
 Prov. CG 27/2016. 
3
 Vide Prov. CSM 1676/2009 e Comunicado SAD nº 11/2010. 
 
Art. 308. As intimações pelo Diário da Justiça Eletrônico observarão o 
disposto no art. 27 da Lei nº 6.830/80, autorizada a utilização de certidão única de 
remessa à imprensa oficial e da publicação, consignando a data desta.1 
 
Art. 309. A afixação de editais de qualquer natureza será efetivada e 
certificada pelo chefe de seção judiciária.2 
Parágrafo único. Extraído o edital, conferido e assinado, serão 
autenticadas as respectivas folhas com a rubrica do chefe de seção judiciária 
responsável pela seção.3 
 
Art. 310. Em todos os mandados expedidos será anotado o número do 
respectivo processo, dispensada a anotação do número de ordem da carga, se esta 
informação constar do sistema informatizado do setor e estiver disponível para 
consulta e verificação correcional.4 
§ 1º Será certificada nos autos a expedição e a feitura da carga do 
mandado ao oficial de justiça, que assinará o livro respectivo. 5 
§ 2º Existindo seção designada para a feitura das cargas, será certificada 
nos autos tão-somente a expedição do mandado, remetendo-o logo em seguida à 
referida seção, que velará pelo lançamento da assinatura do oficial de justiça no livro 
próprio.6 
§ 3º No sistema informatizado serão anotados a data da distribuição do 
mandado ao oficial e o nome deste, para consulta e controle de prazos.7 
§ 4º Ressalvados os mandados urgentes, em razão