Resumo Sistema de Informações Gerenciais
6 pág.

Resumo Sistema de Informações Gerenciais


DisciplinaAdministrcao Sistema de Informacoes Gerenciais26 materiais229 seguidores
Pré-visualização3 páginas
CAPÍTULO 1 \u2013 A INFORMAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES
A informação é a medida da redução da incerteza sobre um determinado estado de coisas por meio de uma mensagem. A informação usa o dado, fato bruto. Diferencial competitivo de uma organização.
Informações operacionais: geradas no dia a dia da empresa, nível operacional, como formulários de pedidos de vendas ou compras, notas fiscais e requisições internas.
Informações gerenciais: utilizadas para tomada de decisões em nível tático ou gerencial, com finalidade de acompanhamento e planejamento, como relatórios gerenciais de vendas.
Gestão da informação: conjunto estruturado de atividades que incluem o modo como as organizações obtêm, distribuem e usam a informação. Determinar exigências (informações estruturadas e não estruturadas \u2013 exigências) > Obtenção da Informação (categorizar) > Distribuição da Informação (Divulgação) > Utilização da Informação (Monitorar utilização, controle)
Descentralização da informação: CPD (Centro de processamento de dados), uso de mainframes que descentralizou e mudou pelo PC e pela rede de computadores. Mudança na administração de empresas (downsizing).
Valor da informação: ligado diretamente à maneira como ela ajuda os tomadores de decisões a atingirem as metas da organização. Conhecimento, seleção e uso. 
Qualidade da informação: precisa (sem erros), completa (contém todos os dados importantes), flexível (pode ser usada para várias finalidades), verificável (checada em várias fontes), simples (sem sobrecarga de dados), geradas em tempo hábil e no nível de detalhe adequado.
CAPÍTULO 2 \u2013 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Tecnologia da Informação: telemática (telecomunicação e informática), hardware, software, banco de dados e rede de computadores. Se refere a todo e qualquer dispositivo que tenha capacidade de tratar dados ou informações de forma sistêmica e esporádica.
Hardware: Qualquer tipo de equipamento eletrônico utilizado para processar dados e informações e tem a função principal de receber dados de entrada, processar dados de um usuário e gerar saídas em formatos solicitados. CPU processa informações pelas arquiteturas Cisc e Risc; a memória manipula informação, pode ser RAM (memória de acesso aleatório, volátil, rápida mas apaga quando o computador é desligado), ROM (somente leitura, integrada à placa mãe, leitua da Bios) e cache (utilizada pela RAM para acelerar o processamento de informações).
Dispositivos de entrada introduzem dados, imagens ou sons (Teclados, mouses, microfones) e de saída permitem a visualização de informações geradas após o processamento (monitores, impressora, caixas de som). Os dispositivos de comunicação são responsáveis pelas interfaces diversas de um sistema de computador, como caixa de som, placa de rede, de vídeo. As portas fazem a comunicação com periféricos externos, como impressoras. Os dispositivos de armazenamento recuperam informações específicas (hard disc,disquete, gravador de CD e DVD, Zip Drive.
Computador de grande porte mainframes, médio porte workstation utilizados por universidades e pequeno porte microcomputadores populares.
Software é um conjunto de instruções geradas por linguagens de programação que orientam o processamento do hardware. Podem ser de sistemas (gerencia a interface com o usuário, sistema operacional) e aplicativo (programas)
Banco de Dados são responsáveis por armazenamento de dados de uma empresa. Os sistemas gerenciadores de bancos de dados SGBD são programas específicos que gerenciam a interface entre sistemas, aplicativos e usuário. A linguagem de consulta de dados se chama SQL.
Rede de computadores: network, dois ou mais computadores conectados que compartilham informações por meio de protocolos (TCP/IP)
CAPÍTULO 3 \u2013 A EMPRESA E OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
Empresa como sistema: é um sistema aberto pois interage constantemente com o meio ambiente. Componentes básicos: objetivo (razão de ser do sistema), entradas (matéria-prima, materiais, equipamentos, energia, etc), processamento (transformação de insumos em produto, serviço ou resultado), saídas (produtos, bens ou serviços), controles e avaliações (alinha a saída com os objetivos) e retroalimentação (feedback do sistema, nova entrada, denota se há sucesso na saída).
Sistema de informação na empresa: processo de transformação dos dados em informações que podem ser utilizadas na estrutura decisória da empresa, a fim de proporcionar sustentação administrativa para otimizar os resultados esperados.
Sistemas empresariais básicos: nível organizacional se desmembra em operacional (atividades rotineiras ou repetitivas), tático ou gerencial (tomada de decisão) e estratégico (problemas não estruturados voltados à alta direção). Além disso, a área funcional abrange a produção, finanças, contabilidade, RH, vendas e marketing. 
Sistemas na indústria: fornecer subsídios ao gestor da organização por meio de atividade de planejamento e previsão das necessidades de produção, monitoramento e acompanhamento do estoque, e ainda, controle e acompanhamento de processos.
Sistema de informação de finanças: forneces subsídios ao gestor de finanças por meio de análises históricas e atuais das atividades financeiras, projeção de necessidades futuras, e ainda, monitoramento e controle do uso de recursos da empresa.
Sistemas de informação de recursos humanos: Fornece subsídios ao gestor de pessoas por meio de atividades de planejamento e previsão de necessidades de contratação, treinamento e desenvolvimento de pessoas, preparação e emissão de folha de pagamento, controle e mapeamento de competências e habilidades.
Sistemas de informação de marketing: fornece subsídios ao gestor de marketing com atividades de planejamento e previsão das necessidades dos clientes, monitoramento e acompanhamento do ambiente externo e planejamento e acompanhamento das forças de vendas.
CAPÍTULO 4 \u2013 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
De acordo com a área funcional, podem ser SI financeira, contábil, industrial, marketing e RH. A nível operacional (atividades rotineiras e repetitivas), podem ser operacionais, táticos ou gerenciais e estratégicos.
Sistemas de processamento de transações (SPT): nível operacional, processamento de transações, monitora, armazena, processa e dissemina a informação para todas as transações rotineiras da empresa. Compõe a principal base de dados da empresa. Eles entram, são processados ou armazenados e geram documentos ou relatórios. O processamento pode ser batch (a empresa coleta uma quantidade de dados e os agrupa, onde o sistema processa posteriormente) ou on-line (dados liberados junto com a transação). Exemplos: contas a pagar e receber e folha de pagamento. 
Sistema de informações gerenciais \u2013 SIG: ajudar a organização a atingir suas metas, fornecendo aos administradores uma visão das operações regulares da empresa. Área funcional. Procura suprir as necessidades dos gerentes por meio de diversos relatórios que demonstram o desempenho passado e presente da empresa. Suas entradas possuem arquivos SPT e suas saídas são relatórios programados (produzidos periodicamente pelo sistema), sob demanda (necessidade específica) e de exceção (automaticamente em caso se situação crítica ou incomum)
Sistema de suporte à decisão \u2013 SSD: sistemas de apoio à decisão, interativos, oferecem dados e modelos.
Sistema de suporte executivo \u2013 SSE: sistema de informações executivas, destina-se à atender às necessidades informacionais do nível diretivo ou da alta gerência de uma empresa. Orientados para gráficos, computação generalizada e recursos de telecomunicações para monitoramento e controle de uma empresa. Painéis de bordo: dados sumarizados apresentados na tela orientado por cores (vermelho \u2013perigo, amarelo-atenção e verde-normalidade). Gera gráficos específicos, e não relatórios.
CAPÍTULO 5 \u2013 SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO
As distintas bases de dados muitas vezes geram redundância de dados, retrabalho e falta de integridade das informações. A integração reduz a duplicação de esforços e gera benefícios