A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
apol 1111

Pré-visualização | Página 1 de 2

Questão 1/5 - Antiguidade Oriental
Considere a seguinte citação: 
“Uma importante função do governo era a localização e coleta dos recursos necessários para sustentar a Corte e seus projetos [...]. A segunda maior área do governo era a administração do Direito e da justiça, uma obrigação cuja justificativa encontrava-se no conceito egípcio de maat”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: KEMP, Barry. From Old Kingdom to Second Intermediate Period. In.: KEMP, Barry; TRIGGER, Bruce; O’CONNOR, David; LLOYD, David. Ancient Egypt: a Social History. Cambridge: Cambridge University Press, 1983. p. 82, 83. 
Tendo em vista a citação e os conteúdos do livro-base Tópicos de História Antiga Oriental sobre o conceito egípcio de maat, analise as afirmações:
I. Maat era uma espécie de rede de forças que regia o mundo, a qual era bastante frágil e precisava ser constantemente reassegurada por meio de rituais.
II. O conceito de maat é oposto ao conceito de isfet, que representa o caos.
III. Os egípcios acreditavam que o faraó era o responsável dos deuses por manter maat, ou seja, a ordem, no mundo terreno.
IV. O conceito de maat era personificado por meio de uma deusa alada de mesmo nome. 
São corretas as afirmativas:
Nota: 0.0
	
	A
	I, II e III
	
	B
	I, III e IV
	
	C
	I, II e IV
	
	D
	II, III e IV
	
	E
	I, II, III e IV.
A afirmativa I é correta, pois maat era o princípio fundamental da visão de mundo dos egípcios, a qual representava um equilíbrio constantemente ameaçado pelo caos. A afirmativa II é correta, pois isfet, em egípcio, significa caos e esse conceito era o antagônico ao de maat. A alternativa III está correta, pois o poder do faraó era legitimado por sua condição divina, como um representante dos deuses que, junto a eles, deveria manter maat na Terra. A alternativa IV é correta, pois, no Egito, os deuses eram também personificação de conceitos e Maat, a deusa alada com a pluma da justiça, personifica o conceito homônimo (livro-base, p. 20). Dessa forma, “a legitimidade da monarquia faraônica repousava em um princípio importantíssimo que regia todo o mundo egípcio: a maat. Esse é um termo que, genericamente, pode ser traduzido por ‘verdade’, ‘justiça’ e ‘ordem’, mas que, na realidade, comporta uma série de princípios éticos, religiosos e filosóficos [...]. À maat, a ordem, era oposto o caos, chamado pelos egípcios de isfet [...]” (p. 20).
Questão 2/5 - Antiguidade Oriental
Considere a seguinte citação: 
“Em um processo cujas origens encontramos no alvorecer do Neolítico, a sociedade protourbana mesopotâmica emergia como uma organização política complexa, hierárquica, em que a noção de controle era o paradigma da coesão social”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: GROF, Gabriel. Práticas administrativas em Uruk entre 3500 e 2900 a.C. Dissertação (Mestrado). São Paulo, USP, 2013, p. 5. 
Considerando as informações e os conteúdos do livro-base Tópicos de História Antiga Oriental sobre as primeiras formas de organização política na antiga Mesopotâmia, assinale a alternativa correta:
Nota: 20.0
	
	A
	Os primeiros a se estabelecerem no território mesopotâmico foram os sumérios que, desde o início da sua história, instituíram um governo unificado como sistema político.
	
	B
	O primeiro período da história política da Mesopotâmia é marcado pela existência de cidades-Estado independentes, cujos governantes eram divinizados, detentores do poder político, militar e econômico.
Você acertou!
“O primeiro período da história da Mesopotâmia é chamado de Período Sumério Antigo [...]. Os sumérios, povo que ocupou a parte sul da região (chamada também de Baixa Mesopotâmia), foram os responsáveis pela fundação de cidades-Estado independentes entre si, cujo centro era o templo (só muito posteriormente substituído pelo palácio). [...] Como sumo sacerdote do deus local e governante da cidade estava o en (ensi ou lugal [...]), uma espécie de rei que agia nos limites da cidade” (livro-base, p. 32, 33).
	
	C
	Durante o primeiro período sumério, é possível observar a existência de uma intensa rede de relações internacionais com outros reinos da Antiguidade, como o Egito.
	
	D
	A constituição do sistema político da Mesopotâmia guarda semelhanças com o processo de mesma natureza ocorrido no Egito, especialmente no que diz respeito à existência de um rei que administrava todo o território.
	
	E
	Os templos exerciam, nesse primeiro momento, papel muito reduzido na vida politica da Mesopotâmia, a qual estava concentrada nos palácios, tendo em vista o papel central desempenhado pelos monarcas do período.
Questão 3/5 - Antiguidade Oriental
Observe a imagem a seguir:
 
Após esta avaliação, caso queira ler acessar a imagem, ela está disponível em: <http://www.gettyimages.pt/fotos/túmulo-de-sennedjem?excludenudity=true&sort=mostpopular&mediatype=photography&phrase=túmulo%20de%20sennedjem>. Acesso em 11 set. 2017. 
A imagem reproduz uma cena de uma famosa tumba egípcia, pertencente a Sennedjem. A partir da leitura do livro Tópicos de História Antiga Oriental e da interpretação da imagem, é possível afirmar, sobre a economia no Antigo Egito, que:
Nota: 20.0
	
	A
	Os animais sofriam maus-tratos constantes, como se observa pelo chicote na mão do homem.
	
	B
	Os camponeses viviam em péssimas condições de vida, pois não poderiam adquirir nem mesmo roupas que cobrissem o corpo todo
	
	C
	Havia uma integração entre agricultura e pecuária, pois animais eram usados para puxar o arado.
Você acertou!
“Na cena mostrada, vemos como o boi era utilizado no trabalho dos campos, no caso, puxando o arado. Entre as criações de animais mais importantes do Antigo Egito estavam o gado bovino e, em maior escala, ovelhas, cabras, porcos e asnos” (livro-base, p. 63, 64).
	
	D
	O uso de animais era prejudicial à agricultura, pois eles pisavam nas áreas de cultivo, destruindo as plantações.
	
	E
	Só homens trabalhavam no campo e as mulheres estava excluídas do trabalho agrícola.
Questão 4/5 - Antiguidade Oriental
Considere a seguinte citação: 
“A Arqueologia é uma ciência autônoma ou uma disciplina ‘auxiliar’ da História?”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: JORGE, Vitor Oliveira. Arqueologia e História: algumas reflexões prévias. Revista da Faculdade de Letras, Porto, 1990, p. 367. 
Considerando a citação e os conteúdos do livro-base Tópicos de História Antiga Oriental a respeito da relação entre História e Arqueologia, analise as afirmativas e, em seguida, assinale V para as asserções verdadeiras e F para as  falsas :
(  ) Os registros arqueológicos só devem ser utilizados no caso de não existirem documentos escritos para o contexto estudado.
(  ) Dependendo do que deseja saber, o pesquisador selecionará, entre as fontes arqueológicas e históricas, as que melhor ajudarão a esclarecer seus questionamentos.
(   ) Inexiste uma hierarquia entre Arqueologia e História, sendo errôneo, portanto, definir a primeira como “auxiliar” da segunda.
(  ) O historiador deve priorizar os registros escritos, cuja análise é complementada com o estudo de material arqueológico. 
Agora, assinale a alternativa que contém a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	V – V – V – V
	
	B
	V – V – F – V
	
	C
	F – V – V – V
	
	D
	F – V – V – F
Você acertou!
A afirmativa I é falsa, pois “devemos tomar cuidado, porém, para não achar que os dados arqueológicos só devem ser usados no caso de não haver registros escritos, como se eles fossem os detentores da ‘verdade’” (livro-base, p. 111).  A afirmativa II é verdadeira, pois “mesmo quando há, ao mesmo tempo, abundância de fontes escritas e arqueológicas, dependendo do tipo de pergunta que o historiador visa responder, para sele seja, talvez, mais interessante, debruçar-se sobre os dados arqueológicos” (p. 111). A afirmativa III é verdadeira, uma vez que não é possível