AULA 03   NOME EMPRESARIAL
9 pág.

AULA 03 NOME EMPRESARIAL


DisciplinaDireito Empresarial I21.436 materiais91.864 seguidores
Pré-visualização1 página
NOME EMPRERIAL
O nome empresarial tem a função de identificar o empresário perante o mercado consumidor e diferenciá-lo de seus concorrentes.
 De acordo com o art. 34 da lei 8.934/94, o nome empresarial é regido por dois princípios:
a) Princípio da Veracidade: Sob a ótica deste princípio, o nome empresarial tem que ser compatível com:
a.1) a atividade exercida \u2014 Não é possível ter um bar chamado Escolinha Raio de Sol, pois através desse nome não é possível identificar corretamente a atividade desenvolvida;
a.2) o quadro social \u2014 Não é possível ostentar no nome empresarial o nome de sócio que não faça parte do quadro social.
b) Princípio da Novidade: Por este princípio o nome empresarial tem que se diferenciar de qualquer outro existente, tem que ser inédito.
 O nome empresarial é um dos elementos do estabelecimento.
 O caput do art. 1.164 veda expressamente a alienação do nome empresarial. Isso acontece porque pode haver o nome civil dos sócios na formação do nome empresarial, e o nome civil, como direito da personalidade, é inalienável.
 Não existe um registro próprio para o nome empresarial. O nome consta dos atos constitutivos, e estes é que são levados ao registro. 
 A proteção ao nome empresarial decorre da inscrição dos atos constitutivos no registro competente, conforme leciona o caput do art. 1.166 do CC. Sendo assim, a proteção ao nome empresarial se dá em âmbito estadual. 
 
 Entretanto, é possível requerer proteção em todo o território nacional se houver registro na forma de lei especial.
 Caso alguém se sinta prejudicado pelo uso de algum nome empresarial, poderá pleitear sua anulação a qualquer tempo. Destaque-se que o uso indevido do nome configura crime de concorrência desleal, previsto no art. 195, V da lei n. 9.279/96.
Espécies de nome empresarial
 Nome empresarial é gênero, do qual são espécies a firma e a denominação.
 A firma tem por base o nome civil, e geralmente é usada por sociedades que tem sócios com responsabilidade ilimitada. Na firma o objeto (ramo de atividade) é de uso facultativo.
 Já a denominação tem como elemento obrigatório o objeto (ramo de atividade), mas há a possibilidade de se incluir o nome dos sócios. Geralmente, as sociedades que adotam denominação têm sócios de responsabilidade limitada. 
 Na denominação é possível inserir o elemento fantasia (nome fantasia).
 Importante salientar que toda pessoa jurídica tem um nome através do qual é identificada perante a comunidade e perante o mercado. Embora a sistemática do nome empresarial se destine aqueles que desenvolvem atividade empresária, para afeitos de proteção, seus efeitos se estendem também a não empresários. 
 Sendo assim, associações, fundações e sociedades simples devem adotar denominação para ter seu nome protegido, conforme parágrafo único do art. 1.155 do CC.