A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
4.0   Dinâmica de rotações

Pré-visualização | Página 1 de 1

Conceituação
Translação	→ um objeto de movendo ao longo de uma curva ou linha reta
Rotação	→ um objeto se movendo em torno de um eixo 
Partículas não giram em torno do seu próprio eixo, então agora só estudamos movimentos de e circulares)
Porém agora analisaremos corpos extensos em movimentos de rotação 
Utilizaremos os mesmos conceitos da cinemática de translação circular
Comparando movimentos de translação e rotação:
	Translação
	Rotação
	Massa
	Momento de inercia (I)
	Posição 
	Posição angular ()
	Velocidade 
	Velocidade angular (
	Aceleração
	Aceleração angular ()
	
	Torque ()
	
	
	Momento linear (
	Momento angular (
	Força é a derivada do M. linear ()
	Toque é a derivada do M. angular ()
	Se → M. linear se conserva 
	Se → M. angular se conserva
Momento de inercia
Grandeza escalar e sempre positiva
Tendência do corpo de continuar girando
Se quanto mais afastada a massa estiver do eixo de rotação maior o I, então I dependerá da distribuição de massa do corpo 
Tabelados → https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_momentos_de_in%C3%A9rcia 
Teorema dos eixos paralelos
Seja o momento de inércia de um corpo em relação a um eixo z que passa pelo centro de massa
Podemos calcula em relação a um eixo qualquer paralelo à z sabendo a distância perpendicular h entre eles:
Torque
Ou momento de alavanca ou simplesmente momento.
Grandeza física que causa a aceleração angular em um corpo
Ou seja, muda a taxa de variação da velocidade angular do corpo
SI Newton por metro
Apenas a componente perpendicular ao raio de rotação irá causar torque
Podemos, ao invés de calcular pela componente perpendicular da força, calcular pela componente perpendicular do raio , chamada de braço de alavanca
De forma análoga à segunda lei de newton para movimentos lineares, podemos escrever:
Podemos trabalhar de forma escalar e convencionar que:
Força no sentido anti-horário	 torque positivo
Força no sentido horário		 torque negativo
Exemplo: máquina de Atwood
As trações já não serão iguais
A aceleração dos blocos e a aceleração tangencial da polia serão iguais 
Considerando a polia como um disco uniforme e “a” a aceleração dos blocos:
Equipamentos práticos de torque: 
Energia cinética de rotação
Para um corpo em rotação pura, a velocidade do centro de massa é zero e, portanto, a energia cinética linear será zero
A energia cinética de rotação será dada pelo cálculo infinitesimal das velocidades lineares associadas a cada pedacinho de massa do corpo 
Força central → atua sobre o centro e não produz torque 
Analogamente ao movimento linear, podemos definir o trabalho como a integral do torque: