Petição Inicial - Inventário - MODELO
10 pág.

Petição Inicial - Inventário - MODELO


DisciplinaDireito Civil VI5.668 materiais34.177 seguidores
Pré-visualização2 páginas
DOUTO JUÍZO DA VARA DA FAMÍLIA E SUCESSÕES DA COMARCA DE 
SÃO PAULO, SÃO PAULO. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
HELENA SOARES ROCHA LIMA, (nacionalidade), 
(naturalidade), viúva, médica, portadora do RG nº ................-..... ......./... e 
inscrita no CPF/MF .......................-..., titular do email 
..........................@..........., na qualidade de cônjuge supérstite e CAMILA 
ROCHA LIMA, (nacionalidade), (naturalidade), solteira, estudante, portadora 
do RG nº ................-..... ......./... e inscrita no CPF/MF .......................-..., titular 
do email ..........................@..........., na qualidade de herdeira, ambas 
residentes e domiciliadas nesta cidade de São Paulo/SP, na Rua ................, 
nº ..., apto........, bairro ...., CEP nº ............, vêm, por meio de sua advogada, 
legalmente constituída, conforme procuração em anexo, que ao final 
subscreve, e que recebe intimações e notificações no escritório profissional 
com sede na Rua \u2026., n°\u2026, bairro\u2026., cidade\u2026., Estado\u2026, CEP nº\u2026, muito 
respeitosamente perante Vossa Excelência, requerer: 
 
ABERTURA DE INVENTÁRIO 
 
Com fulcro nos artigos 610 e seguintes do Código de Processo 
Civil, dentre outras disposições legais aplicáveis à espécie, o que faz pelas 
seguintes razões de fato e de direito adiante expostas: 
 
 
DOS FATOS 
 
No dia 05 de maio de 2016, Helena, em consulta com sua 
advogada, contou que seu marido Henrique, engenheiro civil, faleceu em razão 
de um acidente de carro no dia 20 de abril de 2016, na cidade de Belo 
Horizonte/MG. 
 
Declarou que tinham dois filhos e eram casados há 25 (vinte e 
cinco) anos, sob o regime da separação convencional de bens. 
 
O casal domiciliava em São Paulo/SP junto com a filha Camila, 22 
(vinte e dois) anos, solteira, estudante de Arquitetura, enquanto o filho Rogério, 
29 (vinte e nove) anos, divorciado, engenheiro mecânico domiciliava em 
Campinas/SP. 
 
Relatou que tinha conhecimento do patrimônio dele e do que fazia 
para administrá-lo, mas não tinha todas as informações e documentos atuais 
sobre os bens. 
 
Contudo, sabia que deixou como bens um apartamento em São 
Paulo/SP, onde domiciliavam; um apartamento em Ubatuba/SP; uma sala 
comercial em São Paulo/SP; uma casa em Belo Horizonte e uma quantia 
depositada em um fundo de investimento. 
 
Tinha informações de que os imóveis vinham sendo alugados, 
totalizando um montante de R$ 8.500,00 (oito mil e quinhentos reais) por mês, 
o que garantia o pagamento das parcelas de IPTU e encargos condominiais do 
apartamento de São Paulo, bem como ajudava no pagamento da mensalidade 
da faculdade da filha Camila. 
 
Declarou ter procurado a imobiliária para receber os valores dos 
aluguéis, mas não admitiram lhe informar, pois Helena não tinha nenhum 
documento que legitimasse seu interesse na informação. 
 
Além disso, entrou em contato com a instituição financeira para 
tomar conhecimento dos valores junto ao fundo de investimento, tendo sido 
negado sob o mesmo motivo. 
 
Ademais, deixou uma dívida devida a Joaquim Araújo Santos, 
representada por nota promissória, no valor de R$ 150.000,00 (cento e 
cinquenta mil reais). 
 
Embora não tivesse certeza, Helena estimava que o patrimônio a 
ser partilhado, após abatimento da dívida, alcançaria o montante de 
R$2.700.000,00 (dois milhões e setecentos mil reais), aproximadamente. 
 
Após o exposto, as requerentes querem receber e dividir entre 
eles todos os bens, também desejam continuar a receber os aluguéis, bem 
como tomar conhecimento das informações e documentos necessários para 
administrar os bens. 
 
Todavia, Rogério sustentou que sua mãe não teria direito a herdar 
nenhum bem, em razão do regime de bens do casal. 
 
Contudo, Helena e Camila solicitam que sejam tomadas as 
providências necessárias de imediato, sobretudo, para que sejam recebidos os 
aluguéis, bem como obtidas todas as informações sobre os bens deixados. 
 
 
 
 
DO DIREITO 
 
De acordo com o art. 611 do Código de Processo Civil e art. 1.997 
do Código Civil, os interessados devem, no prazo de 02 (dois) meses contados 
da data do falecimento do autor da herança, providenciar a instalação do 
processo de inventário, onde os bens serão arrolados e partilhados entre os 
herdeiros, após o pagamento dos possíveis credores. 
 
Tendo em vista o prazo respeitado e que as Requerentes têm 
legitimidade para requerer a abertura do inventário, nos termos do art. 616, 
inciso I e art. 616, inciso II do mesmo diploma legal, pede-se a instauração de 
tal procedimento. 
 
 
I - DO AUTOR DA HERANÇA 
 
Consoante se infere da análise da Certidão de Óbito anexa, 
exarada pelo .... Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais da Cidade de 
........, em data de 20 de abril de 2016, faleceu, em razão de um acidente 
automobilístico, na cidade de Belo Horizonte/MG, \u201cab intestato\u201d, Henrique 
Andrade Lima. Era (nacionalidade), (naturalidade), casado, engenheiro civil, 
portador do RG nº ................-..... ......./... e inscrito no CPF/MF .......................-
...... 
 
Deixou bens e herdeiros conforme provam as certidões anexas. 
 
 
II - DA ESPOSA SUPÉRSTITE 
 
O falecido era casado com Helena Soares Rocha Lima, já 
qualificada, entre o período compreendido do ano de 1991 até a data de seu 
falecimento, em Regime de Separação Convencional de Bens, conforme 
certidão de anexa. 
 
Desde o falecimento do autor da herança, a requerente se acha 
na posse e na administração da herança, é a administradora provisória 
natural do espólio, cabendo-lhe representá-lo ativa e passivamente. 
 
Helena requer, dessa forma, a abertura do inventário do bem 
deixado por seu falecido marido. 
 
Requer, ainda, nos termos do art. 617, inciso I do Código de 
Processo Civil, sua nomeação como inventariante, devendo ser intimada para 
compromisso de bem e fielmente desempenhar o cargo e dar prosseguimento 
ao inventário até a final partilha. 
 
 
III - DOS HERDEIROS 
 
O falecido deixou dois filhos (certidões de nascimento anexas), a 
seguir relacionados: Camila Rocha Lima, já qualificada, e Rogério Rocha Lima, 
(nacionalidade), (naturalidade), divorciado, engenheiro mecânico, portador do 
RG nº ................-..... ......./... e inscrito no CPF/MF .......................-..., titular do 
email ..........................@..........., residente e domiciliado na cidade de 
Campinas/SP, na Rua ................, nº ..., apto........, bairro ...., CEP nº ............, 
não tendo este manifestado interesse concorde em requerer a abertura do 
inventário, razão pela qual deverá ser citado para os termos do inventário e 
partilha. 
 
 
IV - DA NOMEAÇÃO DE INVENTARIANTE 
 
Como já dito acima, a Requerente Helena é viúva do "de cujus", 
estando, desde o seu falecimento, na posse e administração de seus bens. 
 
O art. 617, inciso I do Código de Processo Civil, dispõe: "O juiz 
nomeará inventariante na seguinte ordem: I - o cônjuge ou companheiro 
sobrevivente, desde que estivesse convivendo com o outro ao tempo da morte 
deste\u201d. 
 
Assim, tendo em vista que o "de cujus" convivia com a esposa 
quando de seu falecimento, requer a nomeação da Requerente Helena como 
inventariante dos bens de seu falecido esposo, prestando compromisso para 
tanto. 
 
V - DO ESPÓLIO 
 
O espólio é composto pelos bens a serem descritos 
oportunamente que será, segundo o art. 1.829 do Código Civil, deferido aos 
descendentes, em concorrência com o cônjuge sobrevivente. 
 
 
VI - DA DESCRIÇÃO DOS BENS 
 
O inventariado