A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
ÔNTICO E ONTOLÓGICO

Pré-visualização | Página 1 de 1

ÔNTICO E ONTOLÓGICO
	Vimos que a palavra ontológico deriva do particípio presente do verbo einai (ser), isto é, de on (“ente”) e tà onta (“as coisas, os entes”), dos quais vem o substantivo tò on: “o Ser”.
	O filósofo alemão Martin Heidegger propõe distinguir duas palavras: ÔNTICO E ONTOLÓGICO. Ôntico se refere à estrutura e à essência própria de um ente, aquilo que ele é em si mesmo, sua identidade, sua diferença em face de outros entes, suas relações com outros entes.
	Ontológico se refere ao estudo filosófico dos entes, à investigação dos conceitos que nos permitam conhecer e determinar pelo pensamento em que consistem as modalidades ônticas, quais os métodos adequados para o estudo de cada uma delas, quais as categorias que se aplicam a cada uma delas.
	Em resumo: ôntico diz respeito aos entes em sua existência própria; ontológico diz respeito aos entes tomados como objetos de conhecimento. Como existem diferentes esferas ou regiões ônticas, existirão ontologias regionais que se ocupam com cada uma delas.
 Em nossa experiência cotidiana, distiguimos espontaneamente cinco grandes estruturas ônticas:
Os entes materiais ou naturais que chamamos de coisas reais (frutas, árvores, pedras, rios, estrelas, areia, o Sol, a Lua, metais, etc.);
Os entes materiais artificiais que também chamamos de coisas reais (nossa casa, mesas, cadeiras, automóveis, telefone, computador, lâmpada, chuveiro, roupas, calçados, pratos, talheres, etc.); 
Os entes ideais, isto é, aqueles que não são coisas materiais, mas ideias gerais, concebidas pelo pensamento lógico, matemático, científico, filosófico e aos quais damos o nome de identidades (igualdade, diferença, número, raiz quadrada, círculo, conjuto, classe, função, variável, frequência, animal, vegetal, mineral, físico, psíquico, matéria, energia, etc.);
Os entes que podem ser valorizados positiva e negativamente e aos quais damos o nome de valores (beleza, feiúra, vício, virtude, raro, comum, bom, mal, justo, injusto, difícil, fácil, possível, impossível, verdadeiro, falso, desejável, indesejável, etc.);
Os entes que pertencem a uma realidade diferente daquela que pertencem as coisas, as identidades e os valores e aos quais damos o nome de metafísico (a divindade ou o absoluto; o infinito e o nada; a morte e a imortalidade; a identidade e a alteridade; o mundo como unidade, a relação e diferenciação de todos os entes ou de todas as estruturas ônticas, etc.).