A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Recursos Minerais

Pré-visualização | Página 1 de 12

See	discussions,	stats,	and	author	profiles	for	this	publication	at:	https://www.researchgate.net/publication/317497896
RECURSOS	MINERAIS
Chapter	·	January	2012
CITATIONS
0
READS
333
1	author:
Some	of	the	authors	of	this	publication	are	also	working	on	these	related	projects:
Ground	and	air	Magnetometry	application	for	Mineral	Exploration	View	project
João	Batista	Guimarães	Teixeira
26	PUBLICATIONS			272	CITATIONS			
SEE	PROFILE
All	content	following	this	page	was	uploaded	by	João	Batista	Guimarães	Teixeira	on	10	June	2017.
The	user	has	requested	enhancement	of	the	downloaded	file.
814 Geologia do Brasil
Recursos minerais são concentrações de materiais 
rochosos que podem ser utilizados pelo homem. Eles são 
fonte de grande parte dos materiais que compõem a base 
da sociedade industrial moderna. Entre esses encontram-
-se ferro, cobre, alumínio, zinco, ouro, materiais de cons-
trução e muitas outras substâncias metálicas e não me-
tálicas. Petróleo, gás natural, carvão mineral e minerais 
radioativos (que contêm urânio e tório) estão incluídos no 
grupo dos recursos energéticos.
Depósitos minerais são tipos especiais de rochas, 
as quais, assim como todas as demais, têm sido continua-
-mente criadas e destruídas pelos processos geológicos 
que atuam no interior e na superfície do planeta Terra. 
Esses processos, chamados metalogenéticos, compre-
endem mudanças químicas nos quais os elementos ou os 
compostos que estavam dispersos em grandes volumes de 
rochas foram coletados e concentrados em espaços rela-
tivamente pequenos para formar as zonas mineralizadas. 
O tempo de formação de um depósito mineral pode se 
estender por milhões de anos, muito além, portanto, da 
escala de tempo utilizada pela humanidade. Por essa razão 
os recursos minerais são chamados “não renováveis”, dife-
rentes dos recursos renováveis, tais como produtos agrí-
colas e madeireiros, que podem ser cultivados e voltam a 
crescer em um mesmo local no intervalo de meses a anos.
Hoje em dia muitos trabalhos de pesquisa são reali-
zados tentando-se compreender e quantifi car os processos 
metalogenéticos, incluindo a identifi cação das fontes dos 
metais, meios de transporte, mecanismos de deposição, 
controles estruturais em todas as escalas e na caracteri-
zação dos fenômenos pós-deposisionais que atingem os 
corpos mineralizados.
O processo de procurar e encontrar um depósito 
mineral, avaliá-lo economicamente, extrair e benefi ciar o 
recurso e fi nalmente recuperar a paisagem e o ambiente 
natural da área minerada é denominado “ciclo de vida” de 
um depósito mineral. O procedimento completo exige um 
tempo normalmente longo e dispendioso, sempre reque-
rendo o uso de tecnologia e equipamentos modernos, sob 
a supervisão multidisciplinar de especialistas experientes.
DEFINIÇÕES 
Os minerais são defi nidos como “substâncias 
inorgânicas sólidas e homogêneas que ocorrem natural-
mente, com composição química defi nida e arranjo cris-
talino ordenado”. Minerais podem ser metálicos como, 
por exemplo, o ouro (Au) e a calcopirita (CuFeS2) ou 
não metálicos como, por exemplo, barita (BaSO4), calcita 
(CaCO3) e halita (NaCl).
A Geologia Econômica procura classifi car os bens 
minerais com base na informação detalhada sobre tipos 
de minérios e depósitos que detenham valor econômico. 
Algumas defi nições específi cas dentro dessa classifi cação 
são as seguintes:
• Ocorrência mineral: Qualquer minério ou mineral 
de importância econômica, em qualquer concentração, 
encontrados na rocha ou na superfície, como material 
disperso (blocos rolados).
• Minério: Mineral ou associação de minerais (rocha) 
que podem ser explorados do ponto de vista comercial. 
É composto pelos “minerais de minério” e por “mine-
rais de ganga”, estes desprovidos de valor comercial. 
Exemplos de minerais de minério: ouro, wolframita, 
cassiterita, hematita, calcopirita, galena, argentita, es-
falerita, barita etc. Exemplos de minerais de ganga: 
quartzo, calcita, turmalina, barita etc.
• Reserva mineral: Determinado volume de rochas com 
características próprias, passível de aproveitamento 
econômico.
• Minério primário: Minério que não sofreu alteração 
intempérica. Encontra-se normalmente em profundi-
dade. Exemplo: depósitos de veios auríferos ou depó-
sitos de sulfetos metálicos.
• Minério secundário: Minério que sofreu intempe-
rismo e oxidação in situ como, por exemplo, minérios 
supergênicos (lateríticos) de ouro, níquel, alumínio e 
ferro, ou então que sofreu intemperismo, desagregação, 
transporte e deposição como, por exemplo, depósitos 
aluviais (pláceres) de ouro, cassiterita, wolframita etc.
• Protominério: Concentração mineral de origem pri-
RECURSOS MINERAIS
João Batista Guimarães Teixeira
 
815
RECURSOS MINERAIS 32
das principais regiões produtoras e de suas relações com as 
rochas hospedeiras. A rápida evolução no entendimento 
da tectônica global durante os últimos 40 anos demons-
trou a importância dos ambientes e processos tectônicos 
no controle tanto da natureza das rochas encaixantes 
quanto nos tipos e dimensões dos depósitos minerais que 
nelas são gerados.
A partir desse novo conhecimento surgiu a com-
preensão de que os depósitos de minerais primáriosre-
presentam extraordinárias concentrações metálicas que se 
formam por processos magmáticos, magmato-hidroter-
mais e hidrotermais, em ambientes geodinâmicos carac-
terizados por alta energia termal e/ou mecânica nas pro-
ximidades de limites ou no interior das placas tectônicas 
(Groves e Bierlein 2007).
Para que haja formação de um depósito mineral 
concorrem os seguintes fatores básicos: 
A. a fonte ou as fontes dos componentes do sistema, 
sejam eles elementos químicos metálicos, sejam eles 
não metálicos; 
B. o meio ou os meios de dissolução e transporte (fl uidos 
aquosos e/ou gasosos) desses componentes até o local 
onde se processará a concentração ou a formação do 
depósito mineral; e 
C. os mecanismos de deposição ou precipitação que 
atuam para formar as concentrações ou os depósitos 
minerais. 
Diversos agentes e processos (fl uidos, temperatura, 
pressão, atividade química, potencial hidrogeniônico, po-
tencial de óxirredução etc.) atuam em diferentes graus de 
intensidade e importância ao longo do ciclo evolutivo, 
acima descrito, para formar um depósito mineral. 
Os depósitos minerais, ou jazidas minerais, não se 
distribuem de modo uniforme na crosta terrestre. Em vez 
disso, tipos particulares de depósitos minerais tendem a 
ocupar nichos geodinâmicos específi cos, onde condições 
metalogenéticas apropriadas concorreram para sua for-
mação. A distribuição temporal dos depósitos minerais re-
fl ete tanto os processos metalogenéticos quanto as condi-
ções de preservação durante a evolução da crosta terrestre. 
As concentrações de metais e minerais valiosos ocorrem 
nos diferentes contextos das placas e são devidas a grandes 
processos geológicos de magmatismo, sedimentação, me-
tamorfi smo e deformação de rochas. Os tipos de depósitos 
variam muito em função dos ambientes e das estruturas. As 
mais importantes jazidas situam-se nos domínios de arcos 
magmáticos, dorsais médio-oceânicas e plumas do manto.
Os arcos magmáticos situam-se no continente e 
no oceano e aqueles que circundam o Oceano Pacífi co 
respondem pela grande riqueza e variedade em minérios 
metálicos ali existentes (exs.: prata, cobre, ouro, chumbo, 
zinco e ferro no Japão; ouro e cobre nas ilhas Salomão e 
Fiji; platina, ouro e cobre na Colômbia; cobre e ouro no 
mária, porém subeconômica. Sua concentração poderá 
ser aumentada até o nível de minério pela ação de pro-
cessos naturais, por exemplo, pelo enriquecimento su-
pergênico.
• Jazida ou depósito mineral: Distribuição em um vo-
lume específi co de “materiais de ocorrência natural 
dos quais

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.