A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Exemplo de Parecer Técnico

Pré-visualização | Página 1 de 4

GNIPPER 1 
 
Condomínio Edifício Tuiutí 
Travessa Tuití, s/n 
Tuiutí – Curitiba - PR 
 
 
At.: Sr. Fulano (síndico) 
Ref: Vazamentos recorrentes na tubulação de recalque de água potável 
 
 
 
PARECER TÉCNICO 
 
 
Atendendo à solicitação de V.Sa., estivemos em visita de inspeção técnica ao edifício supra em 
14/08, onde constatamos especificamente a patologia adiante descrita e caracterizada, com 
levantamento da causa provável, antecipação das possíveis conseqüências futuras, seguidas de 
recomendações e indicações para a solução do problema constatado, para o qual tecemos o 
seguinte parecer: 
 
 
1. PROBLEMA VERIFICADO: 
 
1.1 Foram constatados vazamentos pontuais na costura de tubos de aço carbono galvanizado 
de DN 2” integrantes da tubulação de recalque de água potável, que segue da casa de 
bombas da cisterna no subsolo até o reservatório elevado do edifício. 
 
1.2 Segundo histórico informado por elemento autorizado, atual responsável pela manutenção 
das instalações prediais hidráulicas do edifício, esses vazamentos têm surgido de forma 
recorrente em pontos aleatórios dessa tubulação citada, vários dos quais já objeto de reparo 
paliativo, consistindo em aplicação de massa plástica ou assemelhado sobre o ponto da 
superfície externa dos tubos que apresentou vazamento,como se pode notar nas fotos 01, 
02, 06, 07 e 08 anexas ao final do presente trabalho. 
 
1.3 Conforme informado, as ocorrências desses vazamentos têm sido aleatórias, porém mais 
freqüentes nas semanas mais recentes, tendo incidido ao menos no 5º, 17º e 18º 
pavimentos-tipo do edifício, indicando um processo de agravamento de sua manifestação. 
 
 
2 CAUSAS PROVÁVEIS 
 
2.1 Toda a tubulação de recalque de água potável do edifício foi originalmente projetada e 
instalada em aço carbono galvanizado, com tubos de marca comercial Apolo, e com 
conexões de ferro fundido maleável galvanizado, de marca comercial Tupy, conforme 
indicações gravadas nas respectivas superfícies externas. 
 
2.2 Ocorre que o aço carbono galvanizado, apesar de ser um material altamente resistente a 
pressões internas elevadas, está sujeito, com o passar do tempo, a sofrer ataque químico de 
substâncias presentes em pequena quantidade na composição da água potável, na forma 
de gases dissolvidos, tais como oxigênio, cloro e dióxido de carbono, entre outros, e também 
na forma de sais dissolvidos, como cloreto de sódio, de ferro e de magnésio, além de 
carbonato de sódio e bicarbonato de cálcio, de ferro e de magnésio. 
 
2.3 Cabe informar que a água potável disponibilizada pela rede pública de distribuição da 
Sanepar em Curitiba e Região Metropolitana, dadas as características do subsolo local, rico 
. 
Rua Doutor Goulin, 615 – Juvevê – Curitiba – PR / cep 80040-280 / fone-fax (41) 3254-8713 / 9927-7523 gnipper@uol.com.br 
 
 GNIPPER 2 
 
em calcáreo, apresenta elevada concentração de carbonatos e de bicarbonatos, além de 
possuir cloretos, oxigênio e cloro livre dissolvidos. 
 
2.4 Dessa forma, as características físico-químicas da água potável utilizada, apesar de 
atenderem às especificações determinadas pela Portaria No. 510 do Ministério da Saúde 
(que define padrões de potabilidade da água para consumo humano), não recomendam que 
se especifique o aço carbono galvanizado para conduzi-la, ao menos onde sofre renovação 
freqüente, pois sua vida útil fica bastante limitada. 
 
2.5 Como todos os pontos de vazamento constatados ou anteriormente já reparados nessa 
tubulação ocorreram exatamente ao longo da costura dos tubos de aço carbono 
galvanizado, ou seja, ao longo da linha longitudinal paralela ao seu eixo, onde o mesmo 
recebeu um filete de solda de topo longitudinal a eletrodo após calandragem, tal patologia é 
sugestiva de falha no processo de zincagem por imersão a quente (galvanização) durante a 
fabricação ao menos dos tubos que apresentaram perfurações com conseqüente 
vazamento. 
 
2.6 Apesar de nenhum ponto de perfuração com vazamento ter sido inspecionado internamente, 
dado que a tubulação afetada se encontra embutida em duto vertical (shaft) no hall de 
serviço dos apartamentos-tipo, e portanto, impossibilitando o acesso visual ao seu interior, o 
fato de todos os pontos de vazamento nela ocorridos até o presente se apresentarem ao 
longo da linha de costura dos tubos, com aparência ferruginosa, reforça a hipótese de falha 
na aplicação da camada protetora de zinco nessa costura, ao menos no interior da 
tubulação de aço galvanizado, que, por isso, se mostra comprometida com ataque químico 
causado por substâncias químicas naturalmente integrantes da composição da água potável 
que por aí escoa. 
 
2.7 Além disso, as tubulações de aço carbono galvanizado conduzindo água sob condições 
químicas desfavoráveis, estão sujeitas ao processo de formação de tubérculos, com 
conseqüente eliminação de partículas junto com o escoamento, que podem entupir ou 
causar bloqueios em filtros de água, em registros e válvulas fluxíveis (válvulas de descarga), 
além do inconveniente da água passar a apresentar leve coloração castanho-avermelhada, 
evidenciando a presença de óxidos e hidróxidos de ferro em suspensão, e de passar a 
apresentar sabor característico de ferrugem. 
 
2.8 Esses tubérculos são constituídos predominantemente de óxidos e/ou de hidróxidos de ferro, 
e em menores quantidades, de carbonato de ferro, carbonato de cálcio, sílica, óxido de 
manganês, grafite, etc... 
 
2.9 A maior parte do ferro constituinte desses tubérculos provém da ação corrosiva interna da 
água sobre as paredes metálicas internas da tubulação, particularmente sobre a superfície 
interna das costuras dos tubos. 
 
2.10 O ferro sofre oxidação, originando óxidos e hidróxidos que se depositam nas rugosidades 
internas formadas, ou são arrastados pela água, resultando na sua coloração castanho- 
avermelhada característica. 
 
2.11 O consumo químico do ferro constituinte das paredes das tubulações de aço carbono 
galvanizado na região da costura dos tubos provoca uma gradativa redução desuniforme de 
sua espessura, originando os vazamentos verificados. 
 
2.12 Portanto, a provável causa dos vazamentos constatados está na instalação de tubos com 
falha de galvanização na superfície interna das respectivas costuras, aliada à exposição 
permanente a água com condições físico-químicas desfavoráveis, com o agravante de 
. 
Rua Doutor Goulin, 615 – Juvevê – Curitiba – PR / cep 80040-280 / fone-fax (41) 3254-8713 / 9927-7523 gnipper@uol.com.br 
 
 GNIPPER 3 
 
apresentar permanente renovação, a cada ciclo de bombeamento desde a cisterna até o 
reservatório elevado. 
 
 
3. POSSÍVEIS CONSEQÜÊNCIAS 
 
3.1 Como as reações químicas de ataque das substâncias minerais presentes na água de 
abastecimento são muito lentas, devido à sua baixa concentração, e também devido à 
presença inicial de camada protetora de zinco (galvanização) na superfície interna dos tubos 
e conexões, a ação corrosiva, de efeito progressivo, só tem conseqüências

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.