A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
A1 de histologia especial

Pré-visualização | Página 1 de 4

A1 de Histologia 
Pele delgada (pilosa) – 52 
 Pele espessa – 53 
 
 Histologia da pele 
• Funções: (1)proteção contra: desidratação (queratina), 
microrganismos (epitélio), atrito (estratificação, colágeno, 
queratina), RUV (melanina); (2) termorregulação (vasos 
sanguíneos e adipócitos 
• Camadas: epiderme (origem ectodérmica) e derme (origem 
mesodérmica) 
 Epiderme: tecido epitelial pavimentoso queratinizado. 
• Tipos de células: 
a) Queranócitos:produz queratina de baixo peso molecular, que 
depois vira de alto peso p/ realizar suas funções 
b) Melanócitos: produz melanina a partir da tirosina, que é 
armazenada em grânulos prox ao núcleo celular na tentativa 
de evitar mutações de DNA causadas por RUV 
c) Células de Langerhans (APC): célula do sistema imunológico  
apresentadora de antígeno (fagocita o antígeno e “mostra” ele 
p/ o linfócito T 
d) Células de Merckel: células táteis ligadas a neurônios aferentes 
• Anexos da pele: folículo piloso, gl sudorípara (simples túbulo 
enovelada), gl sebácea (gl simples ramificada acinosa, protege 
contra a desidratação) 
 
• Estratos da epiderme: 
a) Basal: alta atividade mitótica, células proliferativas, arredondadas 
 renovação da epiderme 
b) Espinhoso: células c/ projeções citoplasmáticas que mantem as 
células conectadas. Elas começam a sintetizar a queratina a partir 
da proteína querato-hialina. Também apresenta grânulos lamelares 
que contem lipídios, que são exocitados entre as células formando 
uma barreira impermeabilizante  impede a desidratação. 
Camada + espessa. 
c) Granuloso: aumento da presença de grânulos  ↑ produção de 
queratina 
d) Lúcido: estrato pequeno, transição entre granuloso e córneo. ↑ da 
produção de queratina  morte celular 
e) Córneo: células mortas preenchidas por queratina. Não tem 
atividade metabólica mas descamam constantemente. 
O processo para a formação do estrato córneo ocorre com a migração 
das células p/ a superfície enquanto sofrem transformações., no 
sentido basal  espinhoso  granuloso  lucido  córneo. Esse 
processo dura cerca de 30 dias. 
 
 
 
Derme papilar (superficial)  TC frouxo, vascularizado (ajuda na nutrição da 
epiderme), além de ajudar as células de Langerhan a enviar o antígeno p/ a circulação. 
Quanto + grossa a epiderme, + difícil a nutrição  células morrem e formam o estrato 
córneo 
Derme reticular (profunda)  TC PPD denso não modelado, rico em fibras 
desorganizadas de colágeno (resist em varias direções). 
Panículo adiposo  tec adiposo logo abaixo da derme 
Apresenta folículo piloso 
Epiderme com muita 
presença de queratinócitos 
 
Estrato córneo + espesso 
Logo abaixo, uma faixa + acidofilica (rosa)  
lucido 
Quando fica+ roxo  granuloso 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Artéria de grande calibre – 3 e 4 
 
Artéria de médio calibre – 5 e 6 
 
 
 
 Histologia do Sistema Circulatório 
• Circulação: completa (não mistura sg), fechada (em vasos) e 
dupla (passa duas vezes pelo coração) 
• Tipos de vasos: artérias  arteríolas  capilares  vênulas  
veias 
As artérias podem ser de grande calibre (elásticas) ou médio 
(muscular). A estrutura dos outros vasos varia. 
• Estrutura dos vasos sanguíneos: 3 camadas: túnica intima, média 
e adventícia. 
 
• Túnica íntima  contem o (1)endotélio ( TE simples pav) que 
tem a função de passagem de substancias, produz moléculas 
(angio I  angio II), impede a coagulação sanguínea ; (2) 
subendotelio (TC frouxo); (3) Lamina limitante elástica interna 
(apenas nas artérias, TC elástico, tem fenestras – aberturas p 
nutrir as células mais profundas dos vasos) 
• Túnica Média  células musculares lisas de contração 
involuntária, fazendo o calibre se reduzir na contração. Nas 
artérias, a túnica media é a + extensa  estabilização da 
pressão. (nas artérias tb encontra-se a lamina limitiante elástica 
externa, + visível nas de médio calibre) 
• Túnica adventícia  formada de TC frouxo  preenchimento. 
Existem estruturas chamadas vasa vasorum  vasos que 
promovem a nutrição do próprio vaso sanguíneo 
As veias apresentam válvulas, dobras da túnica intima que se 
projetam p/ o interior do vaso. São feitas de fibras elásticas 
revestidas por endotélio e impedem o refluxo sanguíneo. 
• Capilares: 
a) Continuo/somático  TE simples pav, epitélio integro e continuo 
 
 
b) Fenesterado  TE simples pavimentoso continuo com poros. 
Pode ter diafragma (fosfolipídios preenchendo as fenestrações 
ex: rim, intestino, gls exócrinas) ou não ter (gls endócrinas e 
gromérulo renal) 
c) Sinusoide  são fenesterados, descontínuos, calibrosos e 
tortuosos. Fenestrações sem diafragma, macrófagos entre as 
cels endoteliais, reduz a velocidade sanguínea. Ex: fígado e baço 
 
• Coração: tanto por dentro quanto por fora é revestido por 
MESOTÉLIO (TE simples pav) 
a) Endocárdio: + interno, mesotélio e camada 
subendocárdica (TC frouxo), que contem veias, nervos e 
ramos de condução nervosa (cels de Purkinje) 
b) Miocárdio: intermediário. Tec muscular estriado 
cardíaco – fibras contráteis 
c) Epicardio: + externo, folheto visceral do pericárdio 
seroso. Mesotelio + camada subepicárdia (TC frouxo), 
que contem veias, nervos e gânglios nervosos. 
Existem células/fibras musculares condutoras localizadas no NÓ 
SINOATRIAL (marcapasso do coração). Elas enviam o sinal p/ o NÓ AV 
que segue p/ o FEIXE DE HISS, depois p/ ramo D e E e termina nas 
FIBRAS DE PURKINGE nos ventrículos. 
 
A NORA atua no nó sinoatrial, estimulando a liberação de disparos, 
↑ impulsos, ↑ FC. A ACh atua tb no nó sinoatrial, inibindo a 
liberação dos impulsos, ↓ FC 
Muita fibra elástica na túnica média 
Túnica intima levemente rosa 
Túnica adventícia rosa clara 
Distribui sangue ao corpo, regula o fluxo sanguíneo com a sua 
contração. Zigzag preto no endotélio  lamina elástica interna 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Corte transversal de coração - 17 
 
Região vestibular e região respiratória - 61 
 
Região respiratória e seio paranasal - 61 
 
Epicárdio  TE simples pavimentoso (mesotélio)  é uma serosa, veio do mesoderma lateral 
Camada subepicárdica  TC frouxo 
Miocárdio  fibras musculares estriadas cardíacas  núcleos arredondados, centrais 
Endotélio  TE simples pav (mesotelio) 
Musculos papilares  projeções do miocárdio p/ dentro do ventrículo  fixa as cordas 
tendineas p/ que as valvas não se abram e, assim, o sangue não volta. 
 Histologia do sistema respiratório 
• Porção condutora  cavidade nasal até bronquíolos  fazem o 
acondicionamento do ar 
• Porção respiratória  bronquíolos até alvéolos 
• Histologia da cavidade nasal: possui 3 regioes: vestibular, respiratória 
e olfatória 
a) Região vestibular: região de entrada de ar, revestida por pele. 
Epiderme  Na porção inicial é visível TE est pav queratinizado, mais 
internamente fica sem queratina e mais úmida. Se perguntar, NÃO 
tem queratina, pois é o que predomina. 
Derme  TC frouxo que é chamado de lamina própria. Epitélio + 
lamina própria = MUCOSA. 
b) Região respiratória: maior parte. Epitelio respiratório (pseudo-
estratificado ciliado cilíndrico) + lamina própria = Mucosa. 
Tipos de células: 
(1) cilíndricas ciliadas  movem o muco; 
(2) caliciformes  produzem