Processos Químicos e Industriais  APOL2
4 pág.

Processos Químicos e Industriais APOL2

Pré-visualização1 página
Processos Químicos e Industriais- APOL2 
Nota: 100
Questão 1/5 - Processos Químicos e Industriais
O processo de evaporação gera uma corrente de topo de solvente evaporado. Em um evaporador de simples efeito, o vapor de topo é condensado para ser retirado do sistema, mas ele tem uma condição de temperatura e energia que está sendo desperdiçada. Então, por que não aproveitá-lo, conectando-se mais um evaporador em sequência, de modo que este evaporado seja usado como vapor de aquecimento do próximo efeito? Esta é, de longe, a melhor maneira de se otimizar a operação de um evaporador. Assim, teremos uma evaporação de múltiplo efeito. Com relação ao escoamento em uma evaporação de múltiplo efeito, temos dois tipos de escoamento: o escoamento paralelo ou alimentação para frente, e o escoamento em contracorrente ou para trás. Sobre o escoamento em contracorrente, temos que:
	
	A
	A alimentação entra no último efeito e segue em contracorrente ao fluxo de vapor de aquecimento. Como ela entra no efeito de menor pressão e segue para efeitos sempre de pressões mais elevadas, há necessidade de bombeamento, aumentando o custo operacional.
Resposta: Aula 03 Pág. 08
	
	B
	A alimentação entra no último efeito e segue paralelamente ao fluxo de vapor de aquecimento. Como ela entra no efeito de menor pressão e segue para efeitos sempre de pressões mais elevadas, não há necessidade de bombeamento, diminuindo o custo operacional.
	
	C
	A alimentação entra no último efeito e segue paralelamente ao fluxo de vapor de aquecimento. Como ela entra no efeito de menor pressão e segue para efeitos sempre de pressões mais elevadas, há necessidade de bombeamento, aumentando o custo operacional.
	
	D
	A alimentação entra no último efeito e segue em contracorrente ao fluxo de vapor de aquecimento. Como ela entra no efeito de menor pressão e segue para efeitos sempre de pressões mais elevadas, não há necessidade de bombeamento, diminuindo o custo operacional.
Questão 2/5 - Processos Químicos e Industriais
Qual a massa e a pressão exercida por 16000 L de água no estado líquido saturado, sabendo que está a 36°C?
	
	A
	p = 6 kPa      m = 1590 kg 
	
	B
	p = 6 kPa     m = 159 kg
	
	C
	p = 6 kPa          m = 15,9 kg
Resposta: P= 0,06 bar= 6 kPa 1,0064 - 1 kg
V= 1,0064.10³ m³/kg 16 m³ - x kg
X= 15,9 kg
	
	D
	p = 6 kPa     m = 1,59 kg
Questão 3/5 - Processos Químicos e Industriais
A Operação Unitária de Destilação é a separação de componentes de uma solução líquida vaporizada, através de seus diferentes pontos de condensação. Dois exemplos clássicos de destilação são o alambique, usado desde tempos remotos para produção de aguardente (nele, o bagaço diluído é aquecido em uma caldeira, desprendendo vapores alcoólicos que seguem por uma serpentina e são resfriados em um tanque onde circula água fria para que ocorra a condensação) e a destilação do petróleo na coluna de destilação, separando as frações de óleo lubrificante, óleo diesel, querosene, gasolina e gás. O segundo exemplo representa a Destilação Contínua com Refluxo. Como a Destilação Contínua com Refluxo pode ser descrita?
	
	A
	Esta Operação Unitária pode ser descrita como uma sequência de vaporizações e condensações parciais, acontecendo prato a prato. Como resultado deste processo, após um certo tempo, obtém-se uma corrente de topo mais concentrada no componente mais volátil e uma corrente de fundo mais concentrada no componente menos volátil.
Resposta: Aula 03 Pág. 19
	
	B
	Esta Operação Unitária pode ser descrita como uma sequência de solubilizações e precipitações parciais, acontecendo prato a prato. Como resultado deste processo, após um certo tempo, obtém-se uma corrente de topo mais concentrada no componente menos volátil e uma corrente de fundo mais concentrada no componente mais volátil.
	
	C
	Esta Operação Unitária pode ser descrita como uma sequência de sublimações e recuperações parciais, acontecendo prato a prato. Como resultado deste processo, após um certo tempo, obtém-se uma corrente de topo menos concentrada no componente mais solúvel e uma corrente de fundo mais concentrada no componente menos solúvel.
	
	D
	Esta Operação Unitária pode ser descrita como uma sequência de vaporizações e condensações parciais, acontecendo prato a prato. Como resultado deste processo, após um certo tempo, obtém-se uma corrente de topo menos concentrada no componente mais volátil e uma corrente de fundo menos concentrada no componente menos volátil.
Questão 4/5 - Processos Químicos e Industriais
O projeto detalhado dos secadores varia muito, devido à grande quantidade de materiais que podem ser secados. Contudo eles podem ser analisados em termos de um túnel de secagem, que é a unidade através da qual o material passa, fazendo contato com uma corrente de gás em um fluxo concorrente, contracorrente ou uma combinação de ambos. Assim, a Operação Unitária Secagem tem como característica:
	
	A
	Tipicamente, a secagem é a introdução de um líquido volátil, normalmente água, de um sólido poroso.
	
	B
	Tipicamente, a secagem é a remoção de um sólido volátil, de um líquido poroso, normalmente água.
	
	C
	Tipicamente, a secagem é a remoção ou introdução de um líquido volátil, normalmente água, de um sólido poroso.
	
	D
	Tipicamente, a secagem é a remoção de um líquido volátil, normalmente água, de um sólido poroso. Resposta: Aula 03 Pág. 08
Questão 5/5 - Processos Químicos e Industriais
Existem muitos tipos de evaporadores: horizontais, verticais de tubos curtos ou longos, circulação natural ou forçada, evaporadores tipo filme de fluxo descendente e ascendente. Para qualquer destes tipos, a representação dos evaporadores em um fluxograma de processo deverá fornecer apenas as seguintes informações:
	
	A
	Informações sobre correntes de processo e entradas e saídas de energia, temperatura e pressão de operação. Resposta: Aula 03 Pág. 06
	
	B
	Informações sobre correntes de processo e entradas e saídas de energia, temperatura e pressão de operação, com informações superficiais sobre a composição do equipamento.
	
	C
	Informações sobre correntes de processo e entradas e saídas de energia, temperatura e pressão de operação, acompanhada de uma descrição detalhada da composição interna do equipamento.
	
	D
	Informações sobre a temperatura e pressão de operação.