HEMOPNEUMOTORAX
14 pág.

HEMOPNEUMOTORAX


DisciplinaAtenção Integral à Saúde do Adulto I8 materiais51 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Hemopneumotórax
Pulmão saudável
Hemopneumotórax
Urgência médica relativamente comum, que é causada pela entrada/acúmulo de ar e sangue dentro da pleura, a membrana que recobre os pulmões.
INTRODUÇÃO 
Pneumotórax:
É o termo usado para um pulmão colapsado. Pneumotórax ocorre quando o ar entra no espaço ao redor de seus pulmões, ou no espaço pleural.
O ar pode encontrar seu caminho no espaço pleural quando há uma lesão aberta na parede do tórax ou uma ruptura no pulmão, interrompendo a pressão que mantém os pulmões inflados.
Hemotórax:
 Ocorre por derrame (acúmulo excessivo de fluido entre as membranas que envolvem o pulmão) e presença de sangue na cavidade pleural. Resultante de feridas penetrantes ou qualquer trauma brusco que seja capaz de romper vasos.
2
A PATOLOGIA 
INTRODUÇÃO
Hemopneumotórax:
O hemopneumotórax é dividido em dois grupos: traumático e espontâneo ou não traumático.
Quando ocorre um sangramento intrapleural acompanhado de pneumotórax espontâneo, classificamos como hemopneumotórax espontâneo. É uma condição rara. Geralmente acontece devido a infecções específicas ou inespecíficas. Exemplo: Pneumonia
Oriundo de traumatismos, ferimentos por arma branca ou arma de fogo, acidentes de impacto, ruptura de alguma aderência vascularizada, classifica-se como hemopneumotórax traumático.
O local de sangramento geralmente se localiza na pleura parietal, raramente é encontrado na pleura visceral. 
3
Pequeno pneumotórax
Amplo pneumotórax
Pulmão
Músculo da parede torácica
Espaço pleural
O ar flui do pulmão para o espaço pleural
Um colapso ocorre quando o ar escapa do pulmão
Diagnóstico 
4
Exame físico (achados clínicos) 
Queixa principal - dispneia.
Inspeção - não há expansibilidade total e/ou regular no tórax.
Percussão - som maciço.
Ausculta - ausência e/ou diminuição de murmúrio vesicular.
Exame de imagem: O diagnóstico é confirmado pela identificação da imagem hidroaérea.
SINAIS E SINTOMAS HEMOTORAX
Em alguns casos, os pacientes se queixam da presença de dor sem corte na metade afetada do tórax sem irradiação, bem como falta de ar;
Em situação em que há um pequeno hemotórax paciente não faz queixas
ativas, e os dados físicos são mínimos ou ausentes;
Sinais de grau severo de hemotórax é o desenvolvimento de sintomas de choque hipovolêmico sob a forma de fraqueza pronunciada, tonturas, vários graus de consciência prejudicada (desmaie, sopor, coma);
O hemotórax curado não possui manifestações clínicas específicas e é caracterizado apenas por desconforto na cavidade torácica durante os movimentos respiratórios;
Em alguns casos, o hemotórax é acompanhado por infecção da cavidade pleural e aparência de sinais de empiema pleural.
5
SINAIS E SINTOMAS PNEUMOTORAX
O principal sintoma do pneumotórax é uma súbita dor torácica de grande; intensidade associada à dificuldade para respirar. 
O paciente costuma estar muito ansioso, pois a dor piora ao inspirar, o que leva a um imenso desconforto;
Nos pneumotórax mais volumosos pode haver colabamento de um pulmão inteiro, fazendo com que o paciente sinta dor e muita dificuldade para respirar, pois um dos seus pulmões para completamente de funcionar.
6
TRATAMENTO 
O tratamento inicial para o hemopneumotórax é uma toracotomia com drenagem fechada em selo d´água
Se o pneumotórax for pequeno e o paciente estiver estável, basta manter o paciente em observação que o mesmo costuma regredir sozinho.
Nos casos de pneumotórax volumoso, é indicado a colocação de um tubo através do tórax para aspiração do ar e expansão do pulmão.
Em casos de pneumotórax hipertensivo, a colocação do tubo deve ser feita o mais rápido possível.
Pleurodese: método terapêutico que consiste em provocar aderência entre a pleura parietal e visceral de modo a evitar que este espaço se encha de líquido (soro, pus, sangue, ar, etc.) . 
7
TRATAMENTO 
8
DRENAGEM TORÁCICA 
A toracoscopia ou videotoracoscopia é uma técnica cirúrgica que permite visualizar diretamente o interior da caixa torácica.
É inserido um tubo no tórax que é conectado a um dispositivo capaz de fazer pressão negativa e puxar o conteúdo (ar, sangue, líquidos, etc.) de dentro da caixa torácica (selo d'água) e impedir que ele se acumule, atrapalhando a função ventilatória.
CASO CLÍNICO 
S.L., 57 anos, gênero masculino, trabalha como entregador de caminhão do tipo frigorífico há 30 anos e decorrente da profissão desenvolveu um quadro de pneumonia; separado, 6 filhos, 11 netos; Nega diabetes e hipertensão, foi fumante durante a maior parte da vida, etilista social, nega cirurgias anteriores e alergia medicamentosa. 
Se encontra internado há 8 dias na enfermaria de um hospital geral da baixada fluminense após apresentar um quadro de dispneia. Foi realizado um exame de imagem onde observou-se a presença de um hemopneumotórax não traumático. No exame físico constatou-se que o paciente apresenta-se auto e alo orientado, responsivo, cooperativo e deambula sem qualquer tipo de auxílio.
Possui pele, mucosas e conjuntivas hipocoradas, lábios ressecados, arcada dentária incompleta com presença de cáries, tártaro e língua saburrosa; MMSS sem edema, mas com perfusão capilar diminuída; tórax plano e emagrecido com expansibilidade regular, apresentando dreno do tipo selo d'água com saída de secreção sanguinolenta em média quantidade (\u2245 100ml).
9
CASO CLÍNICO 
Relata disúria e constipação; MMII com pele ressecada e edemaciados: Sinal de Godet positivo (3+ para 4+). Constatou-se, ainda, macicez em hipocôndrio direito e ausculta pulmonar com murmúrio vesicular diminuído no hemitórax afetado.
> Sinais vitais:
- P.A: 90 x 70 mmHg (hipotensão);
- FC: 100 bpm;
* Edema de MMII > Godet positivo = indica insuficiência ventricular direita (IVD)
10
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Pneumonia:
Diagnóstico: Desobstrução ineficaz de vias aéreas relacionado a secreções retidas evidenciado por dispneia.
Intervenção (NIC): Posicionar o cliente para otimizar a respiração (ex: elevação de cabeçeira em fowler/semi-fowler e reposicioná-lo, no mínimo, a cada duas horas
Result. Esperados (NOC): Identificar e evitar fatores específicos que inibem a desobstrução efetiva das vias aéreas;
Manter as vias aéras desobstruídas permanentemente
11
Dispneia: 
Diagnóstico: Privação de sono relacionado a desconforto prolongado caracterizado por capacidade funcional diminuída (dispneia).
Intervenções (NIC): Manter o ambiente de sono tranquilo;
Incentivar o cochilo como uma maneira de compensar a privação do sono;
Result. Esperados (NOC): Adormecer sem dificuldade;
Acordar recuperado e ficar menos fatigado durante o dia
DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM
Risco de choque relacionado a hipotensão
Perfusão capilar diminuída relacionado a troca gasosa ineficaz, caracterizado por teste de reenchimento capilar negativo
12
DIAGNÓTISCO DE ENFERMAGEM
NANDA: Risco de infecção relacionado ao procedimento invasivo, secundário a presença de dreno de tórax selo d'água. 
NIC: Observar e relatar sinais de infecção tais como rubor, calor, secreção e aumento da temperatura corporal. Avaliar a cor, umidade, textura e o turgor da pele. 
NOC: O cliente irá manter-se livre dos sinais de infecção. Demonstrar os cuidados apropriados dos locais propensos a infecção.
13
NANDA: Risco de integridade da pele prejudicada relacionado aos efeitos de fatores mecânicos (pressão), secundário a curativos. 
NIC: Monitorar a condição da pele pelo menos uma vez ao dia para as mudanças de coloração ou textura, condições dermatológicas ou lesões. Determinar se o cliente está experimentando perda da sensação ou dor. 
Trocar curativo uma vez ao dia, ou quando saturado ou solto. 
NOC: O cliente irá relatar a sensação alterada ou dor nas áreas de risco logo que forem percebidas.
Demonstrar compreensão dos fatores de risco pessoais quanto à integridade da pele prejudicada.
REFERÊNCIAS
14
http://pt.med-directory.com/gemotoraks_default.htm