A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
58 pág.
Resumo Sistema Nervoso

Pré-visualização | Página 10 de 29

por meio de frases. Responde a perguntas simples. 
48 meses Usa conjunções. Compreende preposições. 
60 meses Fala com articulação infantilizada. Pergunta “por quê?”. 
 
MENINGOMIELOCELE: 
Meningomielocele – decorrente de um defeito do fechamento do tubo neural posterior (caudal), e em 80% dos casos o defeito ocorre em nível 
lombar. 
 Caracteriza-se pela presença da placa neural onde a região dorsal é mais comprometida do que a ventral e o tecido neural está 
deslocado dorsalmente  protaindo-se para o interior do saco da meningocele (malformação congênita que se apresenta sob o 
aspecto de tumor em forma de saco ou de quisto, localizado quer no crânio quer na coluna vertebral, sobretudo na lombar). 
 A coluna vertebral subjacente é malformada, com ausência dos arcos dos corpos vertebrais. 
 A pele recobre parcialmente o saco da menigocele, o qual é formado por tecido friável e que se rompe facilmente  caso haja 
rompimento, pode ocorrer a exposição do tecido neural. 
 
 -------- Meningocele ------- ------ Meningomielocele -------- 
 
19 
 
SISTEMA NERVOSO MARCUS N. OTTONI 
 
 Época dos eventos que determinam a lesão não deve passar do 26º dia de gestação. 
 Incidência varia de acordo com fatores geográficos de natureza desconhecida – acredita-se que tenham ligação com fatores 
nutricionais e deficiência de vitaminas, particularmente ácido fólico. 
 
QUADRO CLÍNICO: 
 Comprometimento do controle motor espinhal da motricidade e sensibilidade abaixo dos segmentos comprometidos da medula 
espinhal. 
 A gravidade será proporcionalmente maior quanto mais alto o nível da lesão. 
 Nível Lombar  déficit da força muscular, da sensibilidade nos membros inferiores e do controle esfincteriano (bexiga neurogênica). 
1. Em Nível Lombar Alto (L1 – L2)  impedem a deambulação, limitando o paciente à cadeira de rodas e, geralmente, sendo 
acompanhadas de escoliose. 
 Nível Sacral  compatíveis com a marcha independente. 
 Hidrocefalia é uma complicação freqüente (60-90%) – mais comum em lesões lombares  obstrução do líquido cefaloraquidiano por: 
1. Estenose do aqueduto de Sylvius 
2. Obstrução dos forames de saída do IV ventrículo, secundária à malformação de Arnold-Chiari 
 US é o exame utilizado para diagnóstico de hidrocefalia – realizado em todo RN com meningomielocele  comum detecção sem 
presença de sinais clínicos de descompensação (2 a 3 semanas pós-parto). 
 
 
 
 Arnold-Chiari  responsável pelos sintomas de disfunção do tronco cerebral observados em alguns casos de meningomielocele, e 
pela hidrocefalia. Características principais: 
o Deslocamento caudal da medula oblonga e IV ventrículo em direção do canal cervical alto. 
o Alongamento e estreitamento da medula oblonga e ponte. 
o Deslocamento do vermis cerebelar, através do forame magno, até níveis cervicais alto. 
 
MEDULA ESPINHAL: 
ANATOMIA: 
A Medula Espinhal, principal centro reflexo e via de condução entre o corpo e o encéfalo, é uma estrutura cilíndrica, ligeiramente achatada 
anterior e posteriormente. 
 Protegida pelas vértebras e seus ligamentos associados, meninges da parte espinhal e Líquido Céfaloraquidiano. 
 Começa como uma continuação da medula oblonga, a parte caudal do tronco encefálico. 
 Adultos – 42 a 45 cm de comprimento. Estende-se do forame magno do osso occipital até o nível da vértebra L2. 
 Sua extremidade inferior afilada – cone medular – pode terminar tão superior quanto T12 ou tão inferior quanto L3. 
 Ocupa dois terços superiores do canal vertebral. 
 É alargada em duas regiões para inervações dos membros: 
(1) Intumescência cervical  estende-se dos segmentos C4 até T1 da medula espinhal, e a maioria dos ramos anteriores que 
se originam dela forma o plexo nervoso braquial, que inerva os membros superiores. 
(2) Intumescência lombossacral  estende-se dos segmentos T11 até a L1 da medula espinhal, e os ramos anteriores que se 
originam dela formam os plexos nervosos lombar e sacral, que inervam os membros inferiores. As raízes dos nervos 
espinhais que se originam da intumescência lombossacral e do cone medular forma a cauda eqüina – feixe de raízes dos 
nervos espinhais que corre através da cisterna lombar (espaço subaracnóide). 
 Nas regiões cervical e lombar situam-se os neurônios que inervam os membros superiores e inferiores, respectivamente. 
 Os tratos da substância branca contendo as vias sensoriais ascendentes e motoras descendentes localizam-se na periferia. 
 Os corpos das células nervosas estão aglomerados numa região interna em forma de trevo de 4 folhas que circunda o canal central, 
 As membranas que cobrem a medula espinhal – dura-máter, aracnóide e pia-máter – são contínuas com as do tronco encefálico e dos 
hemisférios cerebelares. 
 Possui 31 segmentos, cada um definido por uma raiz motora ventral de saída e uma raiz sensorial dorsal de entrada. 
 Os primeiros 7 pares de nervos espinhais cervicais saem acima dos corpos vertebrais de número correspondente, enquanto todos os 
nervos subseqüentes saem abaixo, porque existem 8 segmentos espinhais cervicais, mas apenas 7 vértebras cervicais. 
20 
 
SISTEMA NERVOSO MARCUS N. OTTONI 
EX: Lesão no nível T10 da medula espinhal indica comprometimento da medula adjacente no 7º ou 8º corpo vertebral torácico (T7 ou 
T8). 
 
 
 
FISIOLOGIA: 
 A medula espinal se incumbe da inervação da maior parte da musculatura estriada esquelética. 
 Pode ser concebida como um importante “condutor”, o qual permite que informações sensoriais ascendam até estruturas neurais 
superiores, tais como o tronco cerebral e o tálamo, e que informações descendentes, originárias de estruturas superiores, alcancem a 
via final comum do sistema motor (o motoneurônio α). 
 Abrigando, no corno anterior ou ventral, os neurônios que se destinam às fibras musculares, denominados de motoneurônios alfa, é 
responsável pela execução de todo e qualquer movimento realizado pelo tronco e membros. 
 Portanto, quer se trate de um simples reflexo motor ou de um intrincado movimento voluntariamente elaborado, a ativação das 
musculaturas axial (tronco) e apendicular (membros) será resultado da ação da medula espinal, por intermédio dos motoneurônios alfa 
que nela se localizam. 
21 
 
SISTEMA NERVOSO MARCUS N. OTTONI 
 O papel do motoneurônio alfa é como via de execução final de todo e qualquer tipo de movimento, não importando se de natureza 
reflexa, rítmica ou voluntária, e não importando quais estruturas neurais, de medula espinal a córtex cerebral, participem de sua 
organização. 
 Aspectos vinculados tanto à contração muscular quanto às conseqüências do movimento resultante serão reaferentados ao sistema 
nervoso central, ou seja, o sistema nervoso será “informado” sobre o resultado dos movimentos executados, sendo essas informações 
fundamentais para a continuidade do movimento e suas correções. 
 Sensibilidade Proprioceptiva  Informações que são utilizadas na correção, momento a momento, do plano motor envolvido na 
elaboração e execução do movimento. 
o Inclui as sensibilidades