A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Controle da Cárie em Idosos Debilitados

Pré-visualização | Página 1 de 1

Controle da Cárie em Idosos Debilitados
Frequentemente, as lesões e as restaurações acumuladas durante os anos deixam os pacientes com as superfícies dentárias profundamente desfiguradas, estruturalmente danificadas e com um abrigo para a placa e as bactérias, que podem levar à cárie rampante e à destruição de toda a dentição dentro de um alarmante curto espaço de tempo.  A textura mole da lesão que a distingue de uma lesão detida ou de uma erosão.  As lesões, são uma mistura de desmineralização ativa e detida, nas quais a potência da atividade destrutiva é analisada mais pela maciez da superfície do que pela cor da lesão.
Incidência da cárie em adultos debilitados
A cárie nos indivíduos debilitados é uma doença potencialmente muito destrutiva e mutilante. A exposição do cemento e da dentina com a idade avançada e a solubilidade maior comparada à do esmalte deixam as raízes dentárias especialmente vulneráveis à cárie na velhice; A cárie é onipresente em bocas idosas em virtude do aumento do número de superfícies dentárias em risco de desmineralização com o avanço da idade.
A cárie rampante em idosos, como em crianças, é restrita àqueles particularmente vulneráveis. Uma investigação de 1 ano comparando os participantes idosos com demência a outros cognitivamente saudáveis encontrou lesões cariosas – e notavelmente grande número de lesões coronárias – em metade do grupo com demência e em um quarto no outro. A investigação sugeriu que o alto incremento de cáries estava associado à gravidade da demência, ao sexo masculino, à higiene bucal ruim, ao uso de medicamentos anticolinérgicos e ao histórico recente de cárie.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.