A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
438 pág.
A Hidrovia Paraguai Paraná e seu significado par a diplomacia sul americana do brasil

Pré-visualização | Página 48 de 50

técnico, cujas funções se restringem a
estudar, propor, recomendar, zelar e informar o CIH sobre o
cumprimento das disposições do Acordo. Agregue-se a isso que cada
país tem direito a um voto e as decisões são tomadas por unanimidade,
com a presença de todos411.
O grande objetivo do instrumento celebrado em Las Leñas
consiste em facilitar a navegação e o transporte fluvial longitudinal ao
longo da HPP, mediante o estabelecimento de enquadramento normativo
comum que favoreça a eficiência e a modernização de tais atividades e
409
 Ver em CIH. Acta de la Reunión Extraordinaria del Comité Intergubernamental de la
Hidrovía Paraguay-Paraná, realizada em Buenos Aires, nos dias 16 e 17 de setembro
de 2004; e em BRASIL. Ministério das Relações Exteriores. Despacho Telegráfico para
a ALADI nr. 326, de 18/10/04.
410
 Acordo de Transporte Fluvial pela Hidrovia Paraguai-Paraná (Porto de Cáceres-
Porto de Nova Palmira), Preâmbulo. In: BRASIL. Ministério das Relações Exteriores.
Hidrovia Paraguai-Paraná. Documentos Básicos. Brasília, 10 de março de 1998, p. 1.
411
 Idem. p. 6.
ELIANA ZUGAIB186
permita o acesso, em condições competitivas, aos mercados de
ultramar412. Por conseguinte, é aplicável à navegação, ao
transporte de bens e pessoas e ao comércio, ficando expressamente
excluídos de seu escopo o tráfego transversal413 e a navegação
de cabotagem. O fenômeno mais destacado do espírito
integracionista do Acordo é o princípio de igualdade de
tratamento, consagrado em seu Capítulo III, do qual derivam os
seguintes elementos fundamentais: o tratamento idêntico e
recíproco para o movimento de embarcações dos países
signatários; a obrigação de compatibilizar e uniformizar legislações
para criar condições de igualdade de oportunidades e favorecer
a maior competitividade aos países signatários414.
Considera-se o Acordo de Transporte Fluvial como um dos
exemplos mais claros do novo Direito Internacional, condicionado pela
macro-regionalização dos recursos do planeta; pela adoção do
consenso como método da elaboração legislativa; pela defesa do
equilíbrio ecológico e pela queda das barreiras ideológicas415. No que
diz respeito à questão ambiental, o Capítulo XV, Artigo 34, garante
aos signatários o direito de adotarem medidas para proteger o meio
ambiente, de acordo com suas respectivas legislações, descartando o
risco de seu eventual nivelamento por baixo. Esse dispositivo torna
delicada a tarefa da Comissão do Acordo, incumbida de a um só tempo
412
 ALZUETA, Adrián, M. Derecho de Navegación. Problemas Jurídicos derivados de
la Hidrovía Paraguay-Paraná. In: UNIVERSIDAD NACIONAL DEL LITORAL.
Secretaría de Posgrado y Servicios a Terceros. Facultad de Ciencias Jurídicas y Sociales.
Colección Jurídica y Social. pp. 6 e 8. Ver também em Bloch, op. cit., p. 71.
413
 No entender do superintendente da Adminstração da Hidrovia do Paraguai (AHIPAR),
Dr. Fermiano Yarzon, o tráfego de barcaças no sentido transversal, que pode afetar as
margens dos rios, demandaria revisão do Acordo a fim de submetê-lo também à
regulamentação comum. Informação verbal prestada à autora por ocasião da Reunião
Extraordinária do CIH realizada, em Buenos Aires, nos dias 15 e 16 de setembro de
2004.
414
 Ver em Alzueta, op. cit., p. 15 e Bloch, op. cit., p. 73.
415
 Alzueta, op. cit., p. 3.
187APRESENTAÇÃO DO PROJETO HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ
assegurar a modernização e a intensificação do tráfego na Hidrovia e
garantir a segurança e a proteção do meio ambiente416.
2.5. O SIGNIFICADO PARA OS PAÍSES BENEFICIADOS
O sistema fluvial Paraguai-Paraná desempenha importante papel
para a integração e possibilita o desenvolvimento sustentável em sua
área de influência, ao integrar zonas de produção agrícola e mineral às
de processamento industrial situadas no estuário do Prata417.
Como assinalado no Capítulo I, o espaço regional integrado
requer sistema de transporte e comunicações que outorgue sustentação
material e logística à integração produtiva, comercial e tecnológica.
Nesse sentido, a Hidrovia é projeto de infra-estrutura e, como tal,
fator básico da integração regional e das relações comerciais intra e
inter-regionais. Os benefícios advindos das intervenções para a melhoria
das condições de navegabilidade dessa via fluvial natural poderá
conferir-lhe, assim, o caráter de coluna vertebral do comércio
regional418. Proporciona, por meio de considerável redução dos custos
de transporte, o aumento da competitividade e das possibilidades de
exportação dos produtos da região, alentando com isso o crescimento
das economias regionais e favorecendo a integração econômica, política
e social dos países que se encontram sob sua área de influência419. É
416
 HAPPE, Barbara Maria. Os Caminhos da Sustentabilidade Cinco Anos depois da
Rio 92. O Papel Político, Econômico e Social do Projeto Hidrovía Paraná-Paraguai
(HPP) para o Brasil Marburg, Alemanha:Philipps- Universität Marburg. Fachbereich
Gesellschaftswissenschaften und Philosophie, Institut Für Politikwissenschaft, outubro,
1997, p. 24. Menção a comentário feito por um dos membros brasileiros da Comissão
do Acordo, F. Fixel.
417
 BRASIL. Ministério dos Transportes. Termos de referência. Projeto Básico da
Hidrovia Paraguai-Paraná. Engenharia e Meio Ambiente no trecho Corumbá/Ladário
– Santa Fé. Maio de 2001. Modelo Matemático, p. 3.
418
 Rojas Penso, op. cit., p. 3.
419
 BLOCH, Roberto D. Transporte Fluvial. Buenos Aires: Ad Hoc, diciembre, 1999.
pp. 68, 69.
ELIANA ZUGAIB188
também projeto de importância geopolítica. Contribui para diminuir as
assimetrias, uma vez que, ao propiciar aos chamados países menores
a oportunidade de desenvolver suas economias, forjará maior equilíbrio
entre os membros do Mercosul, elemento indispensável ao processo de
integração.
É importante notar que, embora a iniciativa do projeto HPP
assente suas âncoras em interesses coincidentes quanto aos seus altos
objetivos – integração regional, obtenção de cooperação regional e
aproveitamento comercial mais eficiente da principal artéria do sistema
fluvial da Bacia do Prata – envolve interesses distintos quando se considera
a relação custo benefício do projeto para cada país. Esses interesses
adquirem ainda distintos matizes de acordo com as características da
localização geográfica e do perfil produtivo desses países.
2.5.1. ARGENTINA
Na Argentina, o projeto Hidrovia encerra significado geopolítico
ao representar a restauração do eixo longitudinal, objetivo perseguido
ao longo de décadas de disputa com o Brasil, para, entre outras razões,
manter agregados ao seu território a mesopotâmia e as regiões do
Norte (NOA) e do Nordeste (NEA). Como assinalou Nicolás
Boscovich ao tecer comentário sobre os benefícios que traria a Hidrovia
para o Brasil e para a Argentina: “El Brasil verá extraordinariamente
facilitadas sus posibilidades de desarrollar sus regiones
mediterráneas – la ‘interiorización’ brasileña – y la Argentina soldar
geoeconómicamente el NOA, el NEA y la Mesopotamia a una
unidad espacial abarcativa de todo el país”420.
À parte essa conotação, constitui dado importante dispor a
Argentina da maior extensão de vias navegáveis do sistema Paraguai-
Paraná (1661 km), cuja otimização contribuirá para incrementar o
420
 BOSCOVICH, Nicolás. El futuro argentino en la Cuenca del Plata. La Hidrovía Paraguay-
Paraná-Río de la Plata. In: Geopolítica, Buenos Aires, año XVI, n. 40, p. 41, 1990.
189APRESENTAÇÃO DO PROJETO HIDROVIA PARAGUAI-PARANÁ
comércio com vasta zona do interior do país, ao permitir a integração
ferroviária/fluvial que converta zonas marginais em produtivas421.
O empreendimento da Hidrovia reveste-se, ainda, de
fundamental relevância, sobretudo por constituir o rio Paraná a coluna
vertebral da zona de maior desenvolvimento do país, uma vez que, ao
banhar o eixo Santa Fé/Rosário/Buenos Aires, abarca 85% do Produto
Interno