A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
125 pág.
texto completo

Pré-visualização | Página 2 de 37

62 
3.3. Escolha e Limites do Estudo de Caso ........................................... 63 
3.4. Pré-Teste ....................................................................................... 64 
3.5. Definição da Amostragem.............................................................. 64 
3.6. Análise de Conteúdo ..................................................................... 66 
3.7. Definição dos Indicadores de Sustentabilidade ............................. 67 
3.8. Tratamento e Análise dos Dados ................................................... 70 
vii 
 
3.9. Seleção dos Indicadores ............................................................... 71 
Capítulo 4: Estudo de Caso .................................................................. 73 
4.1. Estudo de Caso ............................................................................. 74 
4.1.1. O Condomínio ................................................................................. 75 
4.1.2. Caracterização da Fase 1 ............................................................... 76 
4.1.3. Descrição Analítica ......................................................................... 79 
4.1.4. O Discurso ...................................................................................... 86 
4.1.5. A Prática ......................................................................................... 89 
Capítulo 5: Considerações Finais ........................................................ 97 
5.1. Sobre o Estudo de Caso ................................................................ 98 
5.2. Sobre a Avaliação por Indicadores ................................................ 99 
5.3. Sobre o Cenário Atual ................................................................. 100 
Referências Bibliográficas .................................................................. 102 
Anexos .................................................................................................. 108 
Anexo A .............................................................................................. 109 
Anexo B .............................................................................................. 119 
 
viii 
 
RESUMO 
 
CÂNDIDO, Stella de Oliveira, M. Sc., Universidade Federal de Viçosa, junho de 
2012. Entre o Discurso e a Prática: o mi(n)to da arquitetura sustentável. 
Orientadora: Elaine Cavalcante Gomes. Coorientadores: Joelma Santana 
Siqueira e Túlio Márcio de Salles Tibúrcio. 
 
O desenvolvimento sustentável está cada vez mais presente nas discussões ao 
redor do globo, em qualquer atividade humana. Juntamente com a 
popularidade do tema, surgiu o marketing sustentável, ferramenta pela qual se 
atribui maior valor ao produto ou serviço considerado sustentável. Esta nova 
ferramenta de vendas tem sido responsável pela atribuição de adjetivos 
sustentáveis a produtos e serviços que não necessariamente apresentam 
contribuições reais ao desenvolvimento sustentável. A partir desta premissa, o 
objetivo geral desta pesquisa foi verificar as diferenças entre o discurso e a 
prática na construção civil nacional autodenominada sustentável. Por meio de 
um estudo de caso em um condomínio residencial de grande porte, realizou-se 
uma análise de conteúdo sobre os preceitos divulgados por seus 
empreendedores como sustentáveis, comparando seus resultados com a 
avaliação do condomínio em si, utilizando-se para tal fim, indicadores de 
sustentabilidade. A análise dos dados obtidos mostrou que, embora haja 
grande ênfase na divulgação dos preceitos sustentáveis pelos 
empreendedores, não há contrapartida equivalente na prática do condomínio. 
Aponta-se que existe uma tendência para a diminuição da eficiência dos 
preceitos sustentáveis ao longo do processo de projeto-execução-operação do 
empreendimento. Embora seja inviável generalizar a partir de um único estudo 
de caso, esta pesquisa demonstra uma tendência de mercado preocupante, na 
qual os empreendimentos da construção civil são valorizados devido às suas 
preocupações sustentáveis, sem obter, no entanto, resultados plenos quando 
postos em prática, no cotidiano de seus usuários. 
ix 
 
ABSTRACT 
 
CÂNDIDO, Stella de Oliveira, M. Sc., Universidade Federal de Viçosa, June, 
2012. Between Speech and Practice: the myth/deceit of sustainable 
architecture. Adviser: Elaine Cavalcante Gomes. Co-advisers: Joelma Santana 
Siqueira and Túlio Márcio de Salles Tibúrcio. 
 
Sustainable development is each day more and more present in 
discussions around the globe, in every human activity. Along with the theme’s 
popularity, came the green wash, a tool by which one attributes a higher value 
to products or services considered sustainable. This new sell’s instrument has 
been responsible for the attribution of sustainable adjectives to products and 
services that not always present real contributions to sustainable development. 
Through this premise, the general objective of this research was to verify 
differences between the speech and practice in national building considered 
sustainable. Using a case study of a large residential district, a content analysis 
was made on the principles published by its undertakers as sustainable, 
comparing its results to the district’s evaluation, using to this end sustainability 
indicators. The data analysis showed that even though there is a great 
emphasis in the publishing of sustainable principles by the undertakers, there’s 
no equivalence in the district’s practice. The data points out to a tendency of 
diminishing efficiency in the sustainable principles along the undertaking’s 
designing-construction-operation process. Although it isn’t possible to 
generalize through a single case study, this research shows a worrying market 
tendency, in which building’s undertaking are valued due to its sustainable 
concerns, without however having actual results in its users life or to the 
sustainable development end. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
[Capítulo 1] 
Entre o Discurso e a Prática: o mi(n)to da arquitetura sustentável 
Capítulo 1 – Introdução 
11 
 
1.1. Apresentação 
 
Esta dissertação consiste numa pesquisa a respeito do modo como se 
tem tratado a questão da Sustentabilidade, especificamente na construção civil 
brasileira, no discurso e na prática. Para tanto, escolheu-se um estudo de caso 
indicativo da realidade nacional. 
A identidade dos responsáveis pelo empreendimento estudado foi 
preservada; assim, os nomes das empresas e características que pudessem 
comprometer o anonimato foram substituídos por termos genéricos. Para 
identificar estas alterações no texto a seguir, utilizou-se o sublinhado itálico, por 
exemplo: Empresa A. Apenas as informações necessárias à compreensão da 
realidade do objeto de estudo foram mantidas, como número de unidades 
habitacionais, localização geográfica, entre outros.1 
 
1.2. O Problema 
 
O desenvolvimento sustentável está cada vez mais presente nas 
discussões ao redor do globo, em qualquer atividade humana. Paralelamente, 
a construção civil é apontada como uma das – se não a principal – atividade 
humana causadora de impactos ao meio ambiente. 
Mais que isso, vivemos numa sociedade que considera politicamente 
correto preocupar-se com o meio ambiente, enquanto a mídia alarma as 
consequências desastrosas de um apocalipse ecológico e beatifica soluções 
milagrosas, feitas sob medida para cada ser humano, sem que nada de 
substancial precise ser modificado em nossas rotinas. 
Esta espécie de conscientização tardia da sociedade atual abriu caminho 
para um lucrativo mercado “verde”: o green wash ou marketing sustentável. 
Com ele, empresas descobriram uma nova fatia de mercado, disposta a pagar 
mais por um produto ou serviço que garanta

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.