A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
teste conhecimento aula 4 av1

Pré-visualização | Página 1 de 2

A opção que não corresponde à definição de Ideologia, é:
	
	
	
	Filosoficamente, é a ideia que explica a realidade.
	
	
	Ciência que estuda a origem das ideias humanas.
	
	
	Em suas origens o termo ideologia é o estudo das ideias.
	
	
	Desistência de uma sociedade livre, igualitária e harmônica
	
	
	Conjunto de ideias de certos grupos, imposta como verdade.
	
	
	
	
		
	
		2.
		A respeito da indústria cultural, marque a afirmação INCORRETA:
 
.
	
	
	
	A indústria cultural ou de massa é uma cultura produzida pela massa, ou seja, pelo povo, que através dessas produções difunde valores autênticos.
	
	
	Mesmo que antes de 1960 possam ser encontrados empreendimentos empresariais no setor da cultura e da comunicação, estes não apresentavam características próprias da indústria cultural.
	
	
	Ao ser transformada em bem de consumo que adapta os indivíduos à realidade existente e subjuga-os ao poder do sistema, a cultura resultará na indústria cultural.
	
	
	A potencialidade da cultura como esfera da formação do indivíduo é transformada pela indústria cultural em alienação e adaptação acrítica do indivíduo à realidade
	
	
	O processo de implantação da indústria cultural começa, no Brasil, no período do governo desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek (1956-1960) e se aprofunda nos governos militares pós-1964.
	
	
	
	
		
	
		3.
		O conceito de indústria cultural foi utilizado pela primeira vez por dois filósofos alemães, Theodor W. Adorno e Max Hockeimer, em 1947, na obra Dialética do Esclarecimento. Adorno e Hockeimer eram dois professores judeus do Instituto de Pesquisas Sociais da Universidade de Frankfurt, conhecida também como a Escola de Frankfurt.
Segundo esses teóricos, NÃO se pode afirmar sobre o conceito de Indústria cultural:
	
	
	
	Está relacionada com novas formas de comunicação, aperfeiçoadas no início do século XX.
	
	
	Foi criada considerando o grande potencial de mobilização das massas através do cinema e do rádio
	
	
	A indústria cultural democratizou as artes e aprofundou a reflexão e o debate, em torno  delas, por parte das massas.
	
	
	O objetivo principal desses teóricos foi criticar a transformação da cultura em mercadoria, sua massificação e padronização, destinando-se apenas ao entretenimento da chamada camada média da população, alvo da sociedade de consumo
	
	
	É preciso interpretar o conceito de indústria cultural a partir do seu contexto histórico: de um lado, o nazismo, e, de outro, a sociedade americana vista pelos filósofos judeus como o sintoma da decadência cultural do Ocidente
	
Explicação:
Para os autores da Escola de Frankfurt, a produção em série (por exemplo, os discos, as reproduções de pinturas, a música de concerto como pano de fundo de filmes de cinema), por parte da indústria cultural não chegou a democratizar a arte. Simplesmente, banalizou-a, descaracterizou-a.  Nessa industrialização cultural, só serão valorizados e permitidos os trabalhos que sejam fiéis a essa ideologia e que mantenham seus seguidores passivos, alienados e prontos para absorverem os ensinamentos de consumo dessa indústria. Essa massificação faz com que o público perca o senso crítico e se torne um consumidor passivo de todas as mercadorias anunciadas pelos meios de comunicação de massa.
	
	
	
	
		
	
		4.
		Avalie as proposições a seguir: I. A política e a economia da maioria dos países do mundo são regidas pelo neoliberalismo. II. O mundo do trabalho passa pela reestruturação produtiva, surgindo com ela a terceirização e o trabalho informal. III. Reduz-se o setor terciário, em que desaparece o comércio, os serviços, o turismo e o lazer. Está(ão) correta(s):
	
	
	
	I e II
	
	
	II e III
	
	
	I e III
	
	
	I
	
	
	II
	
	
	
	
		
	
		5.
		A chamada INDÚSTRIA CULTURAL tem como característica:
	
	
	
	A produção de obras limitadas, com vistas ao lucro, para um público específico e que busque a arte como reflexão.
	
	
	a produção de obras descartáveis, em pequena escala, com padrões complexos de assimilação e voltadas para uma elite intelectual.
	
	
	A produção de obras em grande escala, voltada ao lucro e baseada no fomento da reflexão sobre as estrutras sociais.
	
	
	A produção de obras descartáveis, de fácil assimilação, com padrões facilmente reconhecíveis, voltadas para o entretenimento e para o lucro.
	
	
	A produção de obras duradouras, voltadas para a reflexão sobre os limites da sociedade industrial, e voltada para os operários.
	
	Gabarito Coment.
	
	
	Gabarito Coment.
	
	
	
	
		
	
		6.
		Para relacionar cultura com as sociedades ditas de classes, como são as sociedades modernas em que vivemos, fazem-se necessárias algumas reflexões em torno do termo ideologia. Sobre ideologia é incorreto afirmar:
	
	
	
	A ideologia, tanto em sua concepção marxista clássica (século XIX) como também nas reflexões dos frankfurtianos (Escola de Frankfurt, primeira metade do século XX),consiste na separação entre pensamento e ação, cultura e materialidade, sujeito e objeto
	
	
	Não é possível nenhuma articulação entre os conceitos de ideologia e Indústria Cultural.
	
	
	Para os frankfurtianos, na medida em que a cultura é transformada num bem de consumo, podendo ser adquirida no comércio, a falsidade da união cultura e consumo é demonstrada por tornar a cultura unificada, aos interesses da realidade vigente.
	
	
	O conceito marxista de ideologia sofre transformações importantes no século XX, provocadas pelo pensamento dos teóricos da Escola de Frankfurt , na Alemanha dos anos de 1930.
	
	
	Segundo Karl Marx, a classe que detém os meios de produção (a riqueza) possui também os meios de produção do pensamento e, assim, essa classe justifica sua dominação por meio da imposição de suas ideias como dominantes, ou seja, uma ideologia.
	
	Gabarito Coment.
	
	
	
	
		
	
		7.
		Para o filósofo frankfurtiano, Theodor Adorno, um dos criadores do termo indústria cultural, é falso afirmar que:
	
	
	
	A publicidade, ao maquiar o mundo nos anúncios que divulga, acaba seduzindo as massas para o consumo das mercadorias culturais, a fim de que se esqueçam da exploração que sofrem nas relações de produção
	
	
	A indústria cultural, além do lucro, obviamente,  tem como único objetivo a dependência e a alienação dos homens
	
	
	Com o desenvolvimento do capitalismo e dos meios de comunicação de massa (a televisão à frente), o imperativo da lucratividade passou a permear o terreno da produção artística
	
	
	Para os filósofos da Escola de Frankfurt, a despeito da massificação promovida pela indústria cultural, esta  não comprometeu a cultura erudita, chamada por eles de arte séria
	
	
	A indústria cultural estimularia o imobilismo
	
Explicação:
Os meios tecnológicos tornaram possível reproduzir obras de arte em escala industrial. Para os autores da Escola de Frankfurt, essa produção em série (por exemplo, os discos, as reproduções de pinturas, a música de concerto como pano de fundo de filmes de cinema) não chegou a democratizar a arte. Simplesmente, banalizou-a, descaracterizou-a, fazendo com que o público perdesse o senso crítico e se tornasse um consumidor passivo de todas as mercadorias anunciadas pelos meios de comunicação de massa. Para esses filósofos, isso veio a comprometer a cultura erudita, chamada por eles de arte séria.
Para Adorno, a indústria cultural tem como único objetivo, além do lucro, obviamente,  a dependência e a alienação dos homens. Ao maquiar o mundo nos anúncios que divulga, ela acaba seduzindo as massas para o consumo das mercadorias culturais, a fim de que