A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Avaliando Aprendizado Direito Civil IV Parte 3

Pré-visualização | Página 1 de 1

1a Questão (Ref.:201808147320)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(2014 ¿ TJRS) Assinale a alternativa que apresenta a afirmação correta a respeito da disciplina da posse no Código Civil.
		
	
	O sucessor singular continua, de direito, a posse do seu antecessor, e ao sucessor universal é facul- tado unir sua posse à do antecessor.
	
	Considera-se possuidor todo aquele que tem, de direito, o exercício, pleno ou não, de algum dos poderes inerentes à propriedade.
	 
	O possuidor pode intentar a ação de esbulho, ou a de indenização, contra o terceiro, que recebeu a coisa esbulhada sabendo que o era.
	
	O possuidor tem direito a ser restituído na posse em caso de turbação, mantido no caso de esbulho, e segurado no caso de violência iminente.
	
	Considera-se possuidor direto aquele que, achando-se em relação de dependência para com outro, conserva a posse em nome deste.
	
	
	
	2a Questão (Ref.:201807363061)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(MPE 2010 - Promotor) Com relação à usucapião da propriedade imóvel, assinale a opção correta.
 
		
	
	O justo título que enseja a aquisição da propriedade por usucapião é aquele que foi levado a registro pelo possuidor.
	
	Diferentemente do que ocorre com a usucapião ordinária, o prazo para a aquisição de propriedade por usucapião extraordinária é igual ao prazo para a posse simples e qualificada.
	 
	Se determinado condomínio for pro indiviso e a posse recair sobre a integralidade do imóvel, é possível que um dos condôminos usucape contra os demais comproprietários.
	
	De acordo com a jurisprudência dominante, não é possível usucapião voluntária de bem de família.
	
	Se um condômino ocupar área comum, como se sua fosse, e sem qualquer oposição, a duradoura inércia do condomínio, aliada ao prazo legal, poderá provocar a usucapião.
	
	
	
	3a Questão (Ref.:201807363003)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	O art. 13, § 2º, Decreto-lei 25/37 estabelece que os bens tombados pertencentes a particulares, quando deslocados, deverão ser inscritos no registro do lugar para onde tiverem sido deslocados, sob pena de o proprietário incorrer em sanção pecuniária. Nesse caso, é CORRETO afirmar que:
 
		
	
	trata-se de limitação de interesse particular ao direito de propriedade.
	 
	trata-se de limitação de interesse público ao direito de propriedade.
	
	em regra, o direito de propriedade é passível de limitações, desde que proporcionais em sentido estrito. Nesse caso, não se afigura razoável a limitação imposta pelo Decreto, pelo que entende-se que o referido dispositivo foi revogado pela Constituição de 88, por incompatibilidade com a função social da propriedade.
	
	o referido dispositivo foi revogado pelo Código Civil, pois impõe restrição limitativa ao exercício do direito de propriedade incompatível com o caráter absoluto de tal direito.
	
	
	
	4a Questão (Ref.:201808149011)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(2015 VUNESP SAEG) Antônio Marcos conviveu maritalmente com Milena por dez anos. Em 2011 deixou o imóvel urbano que comprou durante a constância da união estável, sem mais retornar, abandonando o lar, sendo que Milena, pessoa humilde, dona de casa, desprovida de outros bens, permanece até a presente data residindo no imóvel com os dois filhos do casal. Diante do quadro exposto, é correto afirmar que
		
	
	a propriedade do imóvel pertencerá sempre a ambos, sendo infundada qualquer pretensão de Milena no sentido de adquirir a propriedade exclusiva do bem, uma vez que este foi adquirido na vigência da união estável.
	
	não estão preenchidos no caso em tela os requisitos totais da usucapião familiar, pois mesmo que o imóvel tenha até duzentos e cinquenta metros quadrados, o prazo de posse exclusiva e ininterrupta que o caracterizaria é de dez anos.
	
	mesmo que Milena tivesse outros imóveis, configurar-se-ia usucapião familiar por sua posse ininterrupta e exclusiva sobre o bem pelo prazo de dois anos, num imóvel de até duzentos e cinquenta metros quadrados.
	 
	poderá Milena ter somente para si declarada a propriedade do imóvel em questão, caso este tenha no máximo duzentos e cinquenta metros quadrados, uma vez que já passados dois anos do abandono do imóvel por Antônio Marcos, tempo mínimo necessário para se configurar usucapião familiar.
	
	Milena poderá requerer declaração a seu favor da exclusiva propriedade do bem, caso a metragem do imóvel não ultrapasse duzentos metros quadrados, tendo em vista que já ultrapassados os três anos necessários do abandono do lar por parte de Antônio, para que se configure usucapião familiar.
	
	
	
	5a Questão (Ref.:201807989677)
	Pontos: 0,1  / 0,1  
	(OAB 2008) Em 2/7/2008, Renato teve de desocupar sua casa, que fora invadida por Glauber e Walter. Duas semanas após o fato, Renato procurou um advogado para se informar a respeito da providência jurídica que poderia ser adotada nessa situação.
		
	 
	tem direito à reintegração da posse, por tratar-se de esbulho.
	
	deve pleitear a manutenção da posse, em razão do tempo ocorrido desde a turbação.
	
	tem direito de requerer medida assecuratória ante a violência iminente.
	
	pode utilizar-se do desforço imediato para defesa da sua posse.