Projecao Astral O Despertar da Consciencia Liliane Moura
142 pág.

Projecao Astral O Despertar da Consciencia Liliane Moura


DisciplinaProjeciologia13 materiais25 seguidores
Pré-visualização46 páginas
PROJEÇÃO ASTRAL 
O despertar da Consciência 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AGRADECIMENTOS 
 
 
 
 
Minha Alma preenchida e plena, apenas exala sutilmente a gratidão pela presença 
de seres tão luminosos que acompanham a minha estadia na Terra. 
Agradeço primeiramente, aos amigos amparadores, tanto seres de outros planos, 
como seres extraplanetários que amorosamente me intuíram a esse trabalho, expressando 
através de minha essência, a sabedoria e o amor divino. 
Aos amigos queridos, Wagner Borges e Alberto Cabral, pesquisadores na área da 
projeciologia, Bioenergia e ciências afins, como vida fora do Planeta, Física Quântica 
espiritual, e Multiversos, que me permearam com tanto conhecimento, humildade e 
profundidade. 
Gratidão por merecer amizades construídas por afinidade e sintonia espiritual 
como a de Kaw Yin e Ive Yin que me elucidaram quanto ao despertar de minha meta em 
direção ao TODO. 
Agradeço pela permissão de poder oferecer aos leitores textos tão sublimes e ricos 
como os de Ricardo Todeschini e Verônica Paz Wells. 
Não posso jamais deixar de dizer do fundo de minha Alma \u201cObrigada\u201d às minhas 
duas riquezas, que são os meus dois pontos de Luz, meus dois alicerces de amor e apoio em 
todos os meus trabalhos. Minhas amadas filhas, Tatiane e Tammy. 
E à todos os amigos e amigas que me apóiam e acreditam em cada Projeto que 
elaboro, crio e com a ajuda do invisível, materializo. 
Estão todos em meu coração, afinal, SOMOS TODOS UM! 
 
Muita Paz e muita Luz! 
 
 
Liliane Moura Martins 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PREFÁCIO 
 
 
 
Que eu me lembre, tinha 12 anos quando pela primeira vez saí do meu corpo. 
Eu tinha um quarto só para mim, enquanto meus dois irmãos mais velhos dormiam ao lado 
do meu. Sempre que eu me deitava, fazia uma prece curta, como minha mãe havia me 
ensinado e ao acordar idem. 
Minhas noites de tormento começavam quando eu estava quase caindo no 
sono, pois era nesse momento que eu escutava sempre o mesmo som ou ruído 
aparentemente fora de minha cabeça, aumentando cada vez mais. Claro, influenciada pelo 
medo de uma adolescente, achava que havia alguém se arrastando pelo tapete em direção à 
minha cama. Com isso, entrava em pânico e sentia meus batimentos cardíacos aumentarem 
até que eu acordava num salto com a respiração ofegante. Naquele instante o que eu mais 
queria era me levantar da cama e ascender a luz, pois sempre que fazia isto, os sintomas 
desapareciam e eu dormia melhor. Todas as noites eram assim. Mas houve uma que foi 
diferente. Simplesmente acordei projetada fora do meu corpo, flutuando bem em cima dele, 
sem passar pelos sintomas que antecedem a projeção. 
O primeiro pensamento que veio em minha mente foi que eu estava morta. 
Havia uma luz em volta de minha cama, uma luminosidade esbranquiçada que parecia uma 
cúpula energética que não me deixava sair dela. Senti meu espírito (assim eu o chamava na 
época) tocar o teto e ao mesmo tempo eu contemplava meu corpo físico deitado 
serenamente mais parecendo um corpo sem vida. Comecei a me preocupar com meus pais. 
Como eles ficariam ao me encontrar morta ali? Sentia o nervoso tomar conta de mim e sem 
perceber, fui puxada em direção ao meu corpo físico abruptamente ao mesmo tempo em 
que acordei desesperada. Sentei na cama e comecei a chorar. Dúvidas pairavam em minha 
mente. Como eu podia estar ali acordada depois de ter me visto fora do meu próprio corpo? 
Não tinha mais dúvidas de que eu não tinha morrido naquele instante, pois 
estava acordada e me sentia bem viva. Nesse momento tive a certeza de que existia algo a 
mais para explorar do que simplesmente me acomodar a vida que eu tinha. Comecei a 
procurar livros que falavam sobre o assunto, mas só o que eu encontrava eram livros 
espíritas com estórias de romances e muito pouca informação. Minha busca terminou, ou 
melhor dizendo, começou realmente, quando encontrei uma pessoa que abriu minha mente 
com informações ricas e construtivas sobre o que acontecia comigo desde criança. 
Assistindo uma palestra do Profº Wagner Borges consegui definir em apenas 1 hora de bate 
papo minhas saídas do corpo. Nada mais do que \u201cViagens Astrais\u201d, ou como aprendi, 
Projeção Astral ou Projeção da Consciência. Depois de 15 anos continuamos grandes 
amigos, além, é claro, de meu eterno professor. 
Hoje agradeço por ter feito grandes amizades na área de pesquisas 
Projeciológicas, pois me trouxeram um rico aprendizado a respeito de minha essência como 
Ser Divino enroscado nessa teia da vida que criamos por carências ainda não explicadas. 
 
Desde pequena, sempre gostei de especular as razões de tudo na vida, sendo 
muito racional. Você já parou para se perguntar do que somos feitos? Refletia muito sobre 
isso. E se formos feitos à partir de uma Ordem e de repente, essa Ordem, ou Deus, Força 
maior, Poder Criador, resolveu ter uma \u201cidéia\u201d à respeito de Si mesmo, como por exemplo: 
\u201cE se eu fosse diferente do que Sou?\u201d Como Eu seria? 
Se isso é a \u201cverdade\u201d, acredito que desta forma a Ordem foi transformada 
em Caos, ou seja, em pura ilusão. Podemos pensar que somos todos extensões do Próprio 
Deus em expansão manifestando a \u201cidéia\u201d de sermos diferentes D\u2019Ele. Criamos a nossa 
falsa realidade então. Entramos nessa roda da vida, entre idas e vindas como reencarnantes 
nessa teia que chamamos de vida. Você pode estar se perguntando \u201cquem\u201d resolveu pensar 
nessa \u201cidéia\u201d de ser diferente. Eu te respondo: você mesmo, eu, e ele e os outros. Afinal, 
somos todos Um. Não há culpado nem vítima nessa história, e sim, apenas uma \u201cidéia\u201d 
manifestada por todos nós à partir de Deus. 
Desde menina, me lembro que perguntava para a minha mãe, de onde eu 
tinha vindo, quem me fez e para onde íamos depois da morte. Queria saber também o quê 
existia antes de Deus. Se Ele nos fez, quem havia feito Deus? 
Baseado nessa teoria, gostaria de começar uma explicação, ou poderia dizer, 
\u201cespeculação\u201d sobre o que podemos chamar de consciência, para que possamos 
compreender melhor como se processa a Projeção Astral e para que poderá servir a lucidez 
fora do corpo. Mas antes, quero expor um texto com a permissão de um grande amigo que 
tive a honra de conhecer e que me ajudou muito no caminho do meu \u201cdespertar\u201d. 
 
\u201cA teoria do Big Bang sugere que o Universo, desde a sua origem, vem se 
expandindo de um único ponto, criando assim o espaço. Alguns cientistas chamam esse 
ponto de \u201cátomo primordial\u201d, que se expandiu através do tempo. Podemos dizer, portanto, 
que o próprio tempo e o espaço tiveram uma origem. Fica inevitável a idéia de que existe 
algo que não pertence ao espaço e ao tempo, algo anterior, algo que sempre existiu e que 
nunca foi criado, algo absoluto, imutável e que, portanto seja a fonte de origem de tudo que 
conhecemos. Se não existia o espaço e o tempo, apenas esse algo absoluto, a fonte criadora, 
a possibilidade de qualquer expansão só é dada em si mesmo. Se a fonte criadora se 
expandiu em si mesmo, o fruto de sua expansão está contido em si mesmo, ou seja, não há 
diferenciação entre a fonte e sua expansão. A expansão é a própria fonte, não existindo 
nenhum grau de separação. Einstein provou através de sua teoria da relatividade que o 
espaço e o tempo são relativos. O espaço e o tempo são relativos a um ponto de referência. 
Partindo do principio que a fonte criadora é a única coisa que há, qualquer relativismo em 
relação a ela se torna meramente uma idéia absurda e, portanto, sem efeito. Evoluir é 
tornar-se algo diferente do que se é. Acreditar, portanto, em evolução é acreditar que o 
imutável, o absoluto, precisa de melhoria, o que torna essa idéia também absurda. Por isso 
não existe processo evolutivo. O que existe, de fato, é um processo de despertar. Evoluir é 
negar o que se é e projetar
Karmem
Karmem fez um comentário
muito bom
0 aprovações
Carregar mais