A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
172 pág.
Val artigo

Pré-visualização | Página 34 de 35

and midwives. Int J. Palliat Nurs. v. 21, n. 2, p.79-
86, 2015. 
 
TRENTINI, M.; BELTRAME, V. A pesquisa convergente-assistencial 
(PCA) levada ao real campo de ação da enfermagem. Cogitare 
Enfermagem, v. 11, n. 2, p. 156-160, 2006. 
 
TRENTINI, M.; PAIM, L. Pesquisa convergente-assistencial: um 
desenho que une o fazer e o pensar na prática assistencial em saúde-
enfermagem. 2 ed. Florianópolis: Insular, 2004. 
 
TRENTINI, M.; PAIM, L.; SILVA, D. M. G. V. Pesquisa convergente-
assistencial: delineamento provocador de mudanças nas práticas de 
saúde. 3ª ed. Porto Alegre: Moriá, 2014. 
 
 
 
149 
WINNICOTT, D. W. A família e o desenvolvimento individual. São 
Paulo: Martins Fontes, 2001. 
 
WOLFF, D. et al. Estudio compativo entre soluciones conservadoras 
com y sin formol em placenta humana. Int. J. Morphol. v. 30, n. 2, 
2012. 
 
 
151 
APÊNDICE A – I Ciclo de Educação permanente sobre a 
assistência de enfermagem ao óbito fetal 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
152 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
153 
APÊNDICE B – Roteiro-guia para as rodas de conversa 
 
Questões norteadoras: Como é o atendimento à mãe com 
diagnóstico de óbito fetal na nossa Instituição? Quais são as 
dificuldades que vivenciamos neste processo? Quais são as 
necessidades de mudança? 
Como você se sente diante do diagnóstico de óbito fetal? 
Você já vivenciou alguma vez esta situação? 
Como é dada a notícia do óbito fetal? 
É dado um tempo para que a mulher fique um pouco sozinha e com sua 
família? 
Onde, como e por quem são dadas as orientações sobre as condutas após 
o diagnóstico? 
Como você se comunica com a mulher, a ponto de tornar a experiência o 
menos traumática possível? 
Como é falado sobre o trabalho de parto e parto? 
Como a equipe de enfermagem pode minimizar o sofrimento desta 
mulher? 
De que forma ela é encaminhada ao CO? 
Como e por quem ela é recebida no CO? 
É dada alguma orientação? 
Como se inicia a indução do TP? 
Como e quando são dadas as orientações sobre indução do parto? 
Quais são os cuidados de enfermagem realizados no trabalho de parto? 
Quais são os cuidados de enfermagem realizados durante o parto? 
Quais são os cuidados de enfermagem realizados no pós parto imediato 
e mediato? 
Quais são os cuidados de enfermagem realizados para a inibição da 
lactação? 
Como a equipe de enfermagem pode minimizar o sofrimento desta 
mulher no CO? 
Como a equipe de enfermagem pode minimizar o sofrimento desta 
mulher no 4ºA? 
A mulher recebe atendimento psicológico? 
Há interação entre a equipe de enfermagem? 
Como auxiliar no processo de adaptação da mulher em cada etapa? 
Existe referência à atenção básica? Se há, como é feita? 
Quais práticas são necessárias para a humanização do cuidado de 
enfermagem a esta mulher? 
 
 
154 
 APÊNDICE C - Convite geral para as oficinas 
 
 
 
 
 
155 
 APÊNDICE D - Convite individual para as oficinas 
 
 
 
 
156 
APÊNDICE E – Circulo de justificativas para os problemas 
 
 
 
 
 
157 
APÊNDICE F – Engrenagem de soluções 
 
 
 
 
 
158 
APÊNDICE G – Instrumento de avaliação das oficinas 
 
SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE 
HOSPITAL REGIONAL DE SÃO JOSÉ HOMERO 
DE MIRANDA GOMES 
MATERNIDADE DO HRSJHMG 
 
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PRESTADA À MULHER 
COM ÓBITO FETAL NA MATERNIDADE DO HRSJHMG 
CICLO I – Módulo 6 
Data: 13 de maio de 2015 
INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DA PRÁTICA 
ASSISTENCIAL 
 
 
1. O que significou para você participar desta atividade? 
 
2. Qual a necessidade de abordar o óbito fetal nas 
maternidades? 
 
3. O que você achou do cronograma? 
( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( )Ruim ( ) Muito 
ruim 
Sugestões: 
 
4. O que achou sobre os módulos à distância, o acesso aos 
materiais e o tempo para leitura? 
( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( )Ruim ( ) Muito 
ruim 
Sugestões: 
 
5. Você achou o número de encontros suficiente? ( ) Sim ( ) 
Não 
Se não, como poderia atender melhor à demanda? 
 
6. O que você achou dos encontros presenciais? 
( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( )Ruim ( ) Muito ruim 
Sugestões: 
 
 
 
159 
7. Foi abordado o tema proposto? ( ) Sim ( ) Não 
Se não, como poderia ser melhor direcionado? 
 
8. As oficinas construíram na construção do fluxograma e guia 
de cuidados propostos? ( ) Sim ( ) Não 
Sugestões: 
 
9. O que você achou do fluxograma construído? 
( ) Atendeu às expectativas ( ) Superou as expectativas ( 
) Não atendeu às expectativas 
Sugestões: 
 
10. O que achou das estratégias propostas para o guia de 
cuidados? 
( ) Ótimo ( ) Bom ( ) Regular ( )Ruim ( ) Muito ruim 
Sugestões: 
 
11. Você acha que as estratégias do guia poderão ser 
implementadas na prática? ( ) Sim ( ) Não 
Porque: 
 
Qual sua contribuição para isso? 
 
12. Quais contribuições estas oficinas oferecerão aos 
profissionais de enfermagem e às mulheres que vivencial o 
óbito fetal? 
 
Pontos positivos: 
 
 
Pontos negativos: 
 
 
Espaço para escrever o que quiser: 
 
 
 
Sua participação foi fundamental para a construção de novos 
conhecimentos. 
Obrigada. 
 
 
160 
APÊNDICE H - Etapa metodológica de análise dos dados – Notas 
do diário 
 
 
 
161 
APÊNDICE I – Etapa metodológica de síntese 
 
 
 
162 
APÊNDICE J – Termo de Consentimento Livre e Esclarecido 
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA 
CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE 
MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DO CUIDADO EM 
ENFERMAGEM 
CEP: 88040-970 - FLORIANÓPOLIS - SANTA CATARINA - 
BRASIL 
Tel. (48) 3721.9480 - 37219399 Fax (48) 37219787 
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO DOS 
PARTICIPANTES DA PESQUISA DESCTINADO AOS 
PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DO HOSPITAL 
REGIONAL DR. HOMERO DE MIRANDA GOMES 
 
Você está sendo convidado (a) para participar de uma pesquisa 
intitulada: “Entre o recebimento da notícia e a volta para casa: 
contribuições da enfermagem no processo de adaptação da mulher no 
óbito fetal”, que fará parte da Dissertação do Curso de Mestrado 
Profissional em Enfermagem, conduzida por mim, enfermeira Larissa 
Rocha (pesquisadora principal), e orientada pela Profa. Dra. Roberta 
Costa (pesquisadora responsável) e ao assinar este termo, você estará 
concordando com sua participação. 
Esta pesquisa tem como objetivo construir um plano de 
intervenções de enfermagem no óbito fetal das mulheres que tiveram 
atendimento no Hospital Regional de São José Dr. Homero de Miranda 
Gomes (HRSJ), buscando identificar melhores estratégias para o 
atendimento a estes casos, além de possivelmente auxiliar as mulheres 
no processo de adaptação frente à perda. 
A coleta de dados será feita em diferentes etapas. Na primeira 
será feito um levantamento dos estudos sobre o assunto, a segunda será 
feita com os profissionais da enfermagem da maternidade para construir 
em conjunto o fluxo de atendimento desta mulher e propor uma 
sistematização dos cuidados de enfermagem. A etapa com os 
profissionais será feita em dois momentos, um primeiro momento, onde 
será feito a sensibilização sobre o tema e um segundo momento onde 
levantaremos as propostas para construção de um plano de cuidados. 
A análise dos dados se dará através de gravações de todos os 
encontros que serão audiogravados e transcritos posteriormente. A 
coleta de dados com os profissionais de enfermagem será feita através 
 
 
163 
roda de conversa na sala de aula do alojamento conjunto, com data a ser 
definida.