A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
53 pág.
Arquitetura Hospitalar

Pré-visualização | Página 8 de 19

de níveis de risco.
a subdivisão do edifício em áreas modulares capazes de se adaptar às demandas expansionistas dos setores relacionados à
atividade-fim.
 
 
 
7.
a escolha do público que utilizará a unidade de saúde.
a escolha do local da implantação de uma nova unidade de saúde.
a escolha do projeto de um posto de saúde.
a escolha do dimensionamento do posto de saúde.
a escolha da tecnologia a ser utilizada na unidade de saúde.
 
 
 
8.
um conjunto de informações técnicas necessárias e suficientes para realização do empreendimento, contendo de forma
clara, precisa e completa todas as indicações e detalhes construtivos para a perfeita instalação, montagem e execução dos
serviços e obras.
o projeto de concepção a partir do Programa de Necessidades com o objetivo de fornecer ideia que motive discussão mais
ampla em todos os elementos fundamentais do projeto.
o conceito que tem como objetivo que a rede municipal receba investimentos para o seu aparelhamento no atendimento de
ações básicas de saúde, evitando a transferência de pacientes que não estejam em grau complexo de enfermidade para as
sedes regionais, ocasionando assim a sobrecarga da rede estadual.
a interrelação funcional entre os ambientes, definindo a disposição das circulações e as relações espaciais de todo o
estabelecimento. É a divisão de cada espaço que recebe uma caracterização específica formando os elementos que servirão
de parâmetros para o projeto do edifício e a determinação de sua disposição no terreno.
um conjunto de informações técnicas necessárias e suficientes para caracterizar os serviços e obras, elaborado com base
no estudo preliminar, e que apresente o detalhamento necessário para a definição e quantificação dos materiais,
equipamentos e serviços relativos ao empreendimento.
A taxa máxima de ocupação do terreno para construção do edifício de saúde é:
Ruy Galvão recebeu a incumbência de gerenciar o Hospital Geral de Petrópolis. Logo no início de sua jornada, ele é informado de
que o Plano Diretor, que entrou em prática há poucos meses foi desenvolvido unicamente pelo Escritório de Arquitetura contratado
e apresenta parâmetros equivocados. Como um bom gestor, Ruy irá: .
Os edifícios de saúde NÃO poderão ser implantados:
A RDC-50 divide as atividades em 8 setores/unidades principais que se subdividem em outros, até chegar ao espaço onde
funcionará determinado serviço. São eles:
1.
75%, incluídas as futuras ampliações.
50%, incluídas as futuras ampliações.
75%, não incluídas as futuras ampliações.
100%, menos os afastamentos frontais e laterais exigidos pelo órgão competente.
90%, incluídas as futuras ampliações.
 
 
 
2.
Dar continuidade ao Plano Diretor, já que o Escritório de Arquitetura é prestador de serviço de longa data do Hospital,
conhecendo profundamente os seus processos.
Convocar sua equipe para ajustes no Plano Diretor de forma a alinhá-lo às expectativas e necessidades da empresa,
conforme definido no Planejamento Tático.
Convocar sua equipe e Escritório de Arquitetura para ajustes no Plano Diretor de forma a alinhá-lo às expectativas e
necessidades da empresa, conforme definido no Planejamento Estratégico.
Suspender o contrato com o Escritório de Arquitetura.
Propor a contratação de outro Escritório de Arquitetura para auditar o Plano Diretor existente e aplicar as multas necessárias
em caso de irregularidades.
 
 
 
3.
longe de vazadouros de lixo, postos de serviços de combustíveis, e cemitérios.
ao lado de centros comunitários, praças e áreas edificadas.
próximos de quartéis, indústrias e depósitos de produtos inflamáveis.
perto de praças, centros urbanos e vias principais .
a menos de 1km de parques de diversões, depósitos de explosivos e praças.
 
 
 
4.
Atendimento Ambulatorial, Atendimento Imediato, Internação, Apoio ao diagnóstico e Terapia, Apoio Técnico, Ensino e
Pesquisa, Apoio Administrativo e Apoio Logístico.
Apoio ao Diagnóstico e Terapia, Apoio Administrativo, Logística Hospitalar, Auditoria, Atendimento Imediato, Internação,
Atendimento Ambulatorial e Apoio Técnico.
Atendimento Ambulatorial, Emergência, Enfermaria, Exames Laboratoriais, Produção e Desenvolvimento, Auditoria, Apoio
Administrativo e Apoio Logístico.
Enfermaria, Apoio Logístico, Ensino e Pesquisa, Administração, Emergência, Exames Laboratoriais, Produção e
Desenvolvimento e Logística Hospitalar.
Emergência, Atendimento Ambulatorial, Internação, Apoio ao diagnóstico e Terapia, Auditoria, Ensino e Pesquisa,
Administração e Logística Hospitalar.
 
 
 
A escolha do(a) (___________________), que deve receber o assessoramento do arquiteto, pois ele é o profissional mais
capacitado para analisar esses aspectos, leva em conta alguns aspectos técnicos importantes como localização, acessibilidade,
saneamento, legislação urbanística, taxa de ocupação, relação do edifício com seu entorno, acessos e estacionamentos, dentre
outros.
As divisões dos produtos do Plano Diretor são:
Podemos afirmar que a Setorização é:
Informações como densidade demográfica, condições socioeconômicas da população, tipo de ocupação (urbana ou rural),
disponibilidade de infraestrutura (água, luz, esgoto, telefone) e informações epidemiológicas são utilizadas para:
5.
grupo gerador
método construtivo
projeto
fundação
terreno
 
 
 
6.
Diagnóstico (apresenta o nível de obsolescência e potenciais construtivos da edificação) e Prognóstico (apresenta a
estratégia de ocupação e organização do território hospitalar)
Diagnóstico (apresenta a proposta de ampliação, execução ou reforma), Prognóstico (apresenta o nível de obsolescência e
potenciais construtivos da edificação), Programa Físico Funcional (apresenta a estratégia de ocupação e organização do
território hospitalar) e Setorização ou Zoneamento (apresenta a programação dos setores a serem construídos ou
reformado).
Diagnóstico (apresenta o nível de obsolescência e potenciais construtivos da edificação), Prognóstico (apresenta a estratégia
de ocupação e organização do território hospitalar), Programa Físico Funcional (apresenta a programação dos setores a
serem construídos ou reformados) e Setorização ou Zoneamento (apresenta a proposta de ampliação, execução ou
reforma).
Diagnóstico (apresenta o nível de obsolescência e potenciais construtivos da edificação), Prognóstico (apresenta a proposta
de ampliação, execução ou reforma), Programa Físico Funcional (apresenta a programação dos setores a serem construídos
ou reformados) e Setorização ou Zoneamento (apresenta a estratégia de ocupação e organização do território hospitalar).
Programa Físico Funcional (apresenta a programação dos setores a serem construídos ou reformados) e Setorização ou
Zoneamento (apresenta a proposta de ampliação, execução ou reforma).
 
 
 
7.
o projeto de concepção a partir do Programa de Necessidades com o objetivo de fornecer ideia que motive discussão mais
ampla em todos os elementos fundamentais do projeto.
um conjunto de informações técnicas necessárias e suficientes para realização do empreendimento, contendo de forma
clara, precisa e completa todas as indicações e detalhes construtivos para a perfeita instalação, montagem e execução dos
serviços e obras.
o conceito que tem como objetivo que a rede municipal receba investimentos para o seu aparelhamento no atendimento de
ações básicas de saúde, evitando a transferência de pacientes que não estejam em grau complexo de enfermidade para as
sedes regionais, ocasionando assim a sobrecarga da rede estadual.
a interrelação funcional entre os ambientes, definindo a disposição das circulações e as relações espaciais de todo o
estabelecimento. É a divisão de cada espaço que recebe uma caracterização específica formando os elementos que servirão
de parâmetros para o projeto do edifício e a determinação de sua disposição no terreno.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.