A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
APOL - SOCIEDADE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Pré-visualização | Página 1 de 3

Questão 1/5 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Leia a seguinte citação: 
“[...] a posição de Mário de Andrade a respeito da revolta de 32 ficava expressa no seu comentário ao dístico Tudo por São Paulo: [...] ‘Tudo por São Paulo’ exprime apenas o amor à terra paulista, a revolta contra os que indevidamente se apropriaram do patrimônio paulista, o desespero com que surpreendeu aos paulistas, [...] a verdade de que a revolução não se fizera contra um regime detestável, mas contra São Paulo’”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: DUARTE, G. R. Sons de São Paulo: a atividade radiofônica paulista nos anos 1930/40. Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 8, n. 2, p. 9-47, jun./ago., 2003. p. 32 
Considerando essas informações e conforme os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a Revolução Constitucionalista de 1932 analise as seguintes assertivas e marque V para as asserções verdadeiras e F para as falsas.
I. ( ) A citação acima evidencia um sentimento de que a chegada de Getúlio Vargas ao poder em 1930 significou um ataque contra o estado de São Paulo e seus interesses.
II. ( ) Quando Mário de Andrade diz que a “a revolução não se fizera contra um regime detestável”, isso reflete o apoio unânime do povo de São Paulo ao Governo Provisório de Vargas.
III. (  ) A afirmação “a revolta contra os que indevidamente se apropriaram do patrimônio paulista” diz respeito a uma acusação ao governo Vargas, pois a Revolução de 1930 significou a perda de hegemonia do estado paulista. 
Agora, assinale a alternativa que representa a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	V – V – V
	
	B
	V – F – V
A alternativa correta é a b). A alternativa I e a III são verdadeira, pois a “chegada de Getúlio Vargas ao poder, em 1930, marcou o fim da Primeira República no Brasil. [...] Durante essas três décadas de experiência democrática, o destino do país foi determinado, primordialmente, por grupos dominantes associados à economia agrícola-exportadora. [...] [Esse] modelo político brasileiro privilegiava os grupos econômicos voltados aos estados mais ricos da época: São Paulo, em virtude do café, e Minas Gerais, por conta da agropecuária e ainda colhendo os frutos da extração do ouro” (livro-base p. 27 e 28). Afirmando assim a perda de hegemonia de São Paulo no cenário político o que leva ao sentimento generalizado dos paulistas de que a Revolução se deu contra o estado. A alternativa II é falsa, pois “Fausto [...] avalia que havia certa confusão na revolução, pois o governo de Vargas assumiu o poder em caráter provisório, mas não dava sinais de iniciar um novo processo eleitoral — isso levou muitos insatisfeitos paulistas a clamarem por democracia nas ruas. Ao mesmo tempo, líderes oligárquicos aguardavam a chance de voltar às bases da República café com leite, enquanto o país se reerguia economicamente” (livro-base, p. 31), evidenciando, assim, o apoio que a maioria dos paulistas deram à revolta armada.
	
	C
	V – F – F
	
	D
	F – V – V
	
	E
	F – V – F
Questão 2/5 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Leia o seguinte fragmento de uma notícia: 
“Os Campos de Concentração no Brasil 
Durante a 2ª Guerra, também tivemos campos de concentração - onde japoneses, italianos e principalmente alemães ficaram confinados [...]. Durante a 2ª Guerra Mundial, o Brasil manteve 31 campos de concentração, para onde mandava os cidadãos de países do Eixo”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: DUARTE, A. e Grattoni, B. Os campos de concentração no Brasil: durante a 2ª Guerra, também tivemos campos de concentração - onde japoneses, italianos e principalmente alemães ficaram confinados, conheça suas histórias. <https://super.abril.com.br/historia/os-campos-de-concentracao-no-brasil/>. Acesso em 30 dez. 2017. 
Considerando as informações acima e de acordo com os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, analise as seguintes assertivas e marque V para as asserções verdadeiras e F para as falsas.
I. ( ) O Brasil entrou ao lado dos Aliados na guerra contra o Eixo, o que foi visto como uma decisão natural e esperada devido sua aliança histórica com os Estados Unidos.
II. ( ) O Brasil entrou na guerra ao lado de democracias liberais, como os Estados Unidos, e por isso Vargas reorientou sua política interna para se adequar aos Aliados.
III. (  ) A política externa de Vargas não apontava de imediato para um alinhamento com os Estados Unidos, pois, por muito tempo, manteve boas relações com os países do Eixo.
IV. ( ) A perseguição sofrida por imigrantes dos países do Eixo aponta a contradição do Brasil, que lutava na guerra ao lado de democracias e mantinha um regime autoritário. 
Agora, assinale a alternativa que representa a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	F – V – V – V
	
	B
	V – F – V – V
	
	C
	V – F – F – F
	
	D
	F – F – V – V
Você acertou!
A alternativa correta é a letra d) F – F – V – V. A afirmativa I é falsa, e a III é verdadeira, pois o “Brasil também permanecia distante do conflito europeu, mantendo relações com os regimes autoritários e alguma dependência das medidas econômicas dos Estados Unidos” (livro-base, p. 46). A afirmativa II é falsa, pois, ao “mesmo tempo que insistia em um governo centralizador nos moldes do fascismo italiano e do nazismo alemão [...], Vargas mantinha interesses nas relações comerciais com os norte-americanos e os ingleses” (livro-base, p. 46,47). A afirmativa IV é verdadeira, pois, “a partir da entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial [...], hospitais, asilos e colônias penais agrícolas foram transformados em espaços de reclusão para os inimigos do governo [...]. Imigrantes japoneses e alemães, comunistas e outros suspeitos eram levados para esses espaços, que se caracterizavam como campos de concentração” (livro-base, p. 44) e, conforme “a guerra avançava em direção à vitória das forças antifascistas, o clima de insatisfação com a contradição de um regime autoritário que lutava em defesa da democracia, ao lado de nações como Inglaterra e Estados Unidos — berço de revoluções liberais —, chegava às ruas” (livro-base, p. 48).
	
	E
	F – F – F – V
Questão 3/5 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Atente para o seguinte trecho de texto:
“Em abril de 1974, o regime militar completava dez anos, com poucas ameaças no horizonte. Um simulacro de democracia era mantido, com eleições diretas apenas para deputados, senadores, vereadores e parte dos prefeitos [...]. O ano de 74 terminaria, porém, em desastre para o governo. Nas eleições [...], o MDB [...], partido da ‘oposição consentida’, se recuperou espetacularmente, elegendo 16 senadores, das 22 vagas”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: BRASIL. Senado 74: A eleição que abalou a ditadura. <https://www12.senado.leg.br/jornal/edicoes/especiais/2014/11/19/jornal.pdf>. Acesso em 14 jan. 2018. 
Considerando essas informações e conforme os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a distensão do regime militar, analise as seguintes proposições:
I. Apesar de Geisel anunciar uma abertura política “lenta, gradual e segura”, a vitória do MDB em 1974, partido de oposição que a ditadura consentia, acabou por apressar o processo de redemocratização.
PORQUE
II. A ditadura civil e militar buscou manter o controle da abertura política e assim garantir uma transição sem revanchismos e punições para os militares que fizeram parte do regime. 
A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta:
Nota: 20.0
	
	A
	As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da primeira.
	
	B
	As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da primeira.
	
	C
	A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.
	
	D
	A asserção

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.