A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Gabaritos Custos e Gerencial para AV2

Pré-visualização|Página 1 de 20

QU ESTÕES PAR A R EFLE XÃ O
1. A pr inc ipa l met a da co ntab il idade gere nc ia l é :
a) fo r necer infor mações p ara invest idores a t ua is e pote nc ia is da e mp resa.
b) fo r necer infor mações ta nto pa ra credor es q ua nto pa ra inves tido res at ua is e
pote nc ia is
c) fo r necer infor mações para c redores , a uto r idade s fis ca is e inve stidores a tua is e
pote nc ia is
d) fo r necer infor mações p ara p la neja me nto, co ntro le e to mada de dec isão.
2. Re lac io ne os ter mos a se guir co m as ativid ades gere nc ia is desc r it as ad ia nte :
a) Pla neja me nto
b) Contro le
c) To mada d e Dec isão
(1) Es sa at ividade ger e nc ia l e nvo lve muda r as operaçõe s, re vis ar p la nos o u
reco mpe nsa r/p unir os ge re nte s.
TOM ADA D E D E CIS ÃO
(2) Es sa at ividade gere nc ia l co mpara os res ultado s rea is co m o s res ultados p la ne jados
co mo base par a uma ação corre t iva.
CONTRO L E
(3) Essa a t ividade gere nc ia l for mula metas, co munica - as aos e mpre gado s e espec if ica os
rec ursos ne ces r ios pa ra a lc a nçá - las.
PL AN EJ AM EN TO
3. Q ua l das a fir maçõe s a se guir sobr e orça me nto é fa lsa ?
a) Os orça me nto s pode m se r e xpre ssos e m rea is, e m q ua nt id ades o u e m a mbos.
b) Os orça me nto s pode m r e fle t ir rece ita s proje tadas, de spesas p roje tadas, fluxos de
ca ixa pro jetados o u q ua nt id ades pro jetada s de e nt radas e s a ídas.
c) Os orça me nto s de ve m s er prepa rados de aco rdo co m o s Pr inc íp io s Fund a me nta is
de Contab il idade.
d) Os orça me nto s são úte is ta nto pa ra o p la ne ja me nto q ua nto para co ntro le.
4. Q ua l das a fir maçõe s a se guir é fa lsa?
a) Os pr inc íp ios da co ntab ilidade gere nc ia l não estão neces sar ia me nte de acordo
co m os Pr inc íp io s F unda me nta is de Contab ilidade
b) Os princ íp ios de co ntab il idade fina nce ira nor ma lme nte re fle te m um ma ior
deta lha me nto do q ue aq ue le e nco nt rado nos r e la tór io s de co ntab ilidade
ger e nc ia l.
c) Os re lató r ios de co ntab ilidad e gere nc ia l e nfatiza m a t ividades e c ustos fut uro s
d) Os dados de co ntab il idade fina nce ira são d irec io nados pr inc ipa lme nt e par a os
us uá r ios e xter no s, e não para o s us uár ios inter no s.

5. A seguir, voc ê enco ntra uma sé r ie de ter mos re la tivos às or ga nizações, às funçõe s do
ger e nte e ao pape l da co ntab il idade gere nc ia l. Esco lha aq ue le q ue ma i s adeq uada me nte
co mp le ta as frases ad ia nt e :
Conta bi lida de fina nce ira, Co ntabil ida de Ge re ncial, Co nt rol le r, D e s ce ntra li zação,
Apo io, Orça me nto, Re lató rio de de s e mpe nho, Fe e dback.
a) O s p la nos da ad min ist ração são e xp resso s for ma lme nte no __ OR ÇAM ENT O_.
b) A de le g ão de a utor idades p ara to mada de de c isão e m uma o r ga nização, q ue
per mite aos gere ntes dos d ive rsos ve is operac io na is to mare m dec isões re fer e ntes a s ua
área, é c ha mada de _D ESC EN TRA LI ZA Ç ÃO_.
c) ___A CONT AB ILIDAD E G ER EN C IAL_ preoc up a- se co m o for nec ime nto de
infor mações para uso daq ue les q ue estão de nt ro da or ga nização, e nq ua nto
CONT AB ILIDADE FIN ANC EIRA__preo c upa- se co m o fo r nec ime nto de
infor mações pa ra uso daq ue les q ue es tão fo ra de la.
d) O gere nte e ncar re gado do depart a me nto de co ntab ilid ade é gera lme nt e co nhec ido
co mo __C ONTR O LL ER __.
e) U m re la tór io deta lhado à ad minis tr ação, co mpa rado os dado s orçados e o s dados re a is
de um per íodo espec ífico é d e no minado _R ELA TÓRIO D E D ES EM PEN H O_.
6. Julgue os ite ns a se guir (cer to o u er rado) :
A co ntab ilid ade gere nc ia l te m por ob jet ivo for necer infor mações, e xtra íd as dos dados
contábe is, q ue a jude m os ad min ist radores das e mpre sas no processo de to mada de
dec isões. __ CER TO_.
A co ntab il idade gere nc ia l, co mo q ua lq uer o utro ra mo da co nt ab ilidade, e stá obr igada à
obser vação est r ita dos pr inc íp ios co nbe is ge ra lme nte ace itos ; entre ta nto, as
de mo nst rações e o s re latór ios a e la ligados pode m se r e laborados de for ma a a te nder o
intere sse dos us uár io s. _ER R AD O_.
A única d ifere nç a e ntre a co ntab ilidad e gere nc ia l e a fina nce ira co ns iste no fato de q ue
seus us uár io s são d ife re nte s. Nos de ma is asp ectos, a mbas são co nver ge ntes e s imilar es :
ut il iza m os me s mos d ados, ap lica m as mes mas té c nicas e poss ue m o mes mo
foco._ ER R AD O_.
7. C om r e lação à co ntab ilid ade gere nc ia l e co nt ab ilid ade fina nce ira, ass ina le ve rdade iro
ou fa lso :
F
A co ntab il idade gere nc ia l é d ire c io nada ao s us uár ios e xt er nos da infor mação
contáb il, co mo por e xe mp lo ba ncos e fisco.
F
A co ntab il idade fina nce ira é d irec io nad a aos us uá r ios inte r nos da infor mação co mo
por exe mp lo, p res ide nte da e mpre sa e gere ntes.
V
A co ntab il idade gere nc ia l pod e se des viar dos P r inc íp ios F unda me nta is de
Contab il idade.
V
A co ntab il idade gere nc ia l co loca ma io r ê nfase no futuro.
F
A co ntab il idade gere nc ia l co loca ma io r ê nfase no p as sado, o u se ja, fa tos q ue já
ocorrera m.
V
A info r mação for nec ida pe la co ntab il idade gere nc ia l d e ve ser re le va nte e a te mpo,
podendo se r s ubj et iva, poss uindo me nos ve r ificab il idade e prec io.

V
A co ntab il idade gere nc ia l pod e ut iliza r o ut ras base s de me ns uração pa ra q ua nt if icar
dados, co mo por e xe mp lo, moeda es tra nge ira, med ida s fís ica s, índ ices, et c...
V
A co ntab il idade fina nce ira ut il iza c us tos his tór icos (pa ssados ).
V
A freq üê nc ia dos re la tór ios na co nt ab ilidade ge re nc ia l é det er minada pe los ges tores
da e mpresa.
F
A co ntab il idade gere nc ia l é obr iga tór ia por le i pa ra todas as e mp resas.
FUN D AM EN TOS D E C USTEI O
Exis te m do is métodos b ás ico s de c ust e io : C us te io po r Abso rção e C ust e io Var iá ve l o u
D ire to. A d ife re nça bás ica e ntre os do is mé todos es tá no trata me nto dos c us tos fixos.
todo de C us te io po r A bs orção o u G lo bal
“C usteio por A bsorção é o m ét odo der iv ado da apl icação dos prin pio s de
cont abilidade g eralm ent e ace it os, nascido da sit uação hi st órica m enc ionada. C onsist e
na apropriação de todos os cu stos de produção aos bens e laborados, e só os de
produção; todos os gast os re lativ os ao esforço de f abricação são d ist ribu ídos para
t odos os produt os feitos” (Mart ins, 2000, p. 42).
Cons ide ra ndo q ue é o único Mé todo de C us te io ace ito pe la Rece ita Feder a l, pe los
A ud ito res E xter no s por estar de acordo co m os Pr inc íp ios de C ontab il idade Ge ra lme nte
Ace itos, é bas ta nte ut il izado, apesa r das de fic iê nc ias pa ra fins gere nc ia is e m ra zão da
a locação arb it r ia dos c us tos ind ire tos de fab r ica ção.
Todos o s c us tos d e prod uç ão, t a nto fixos co mo var iá ve is são atr ib dos ao prod uto fina l
e, porta nto absor vidos pe la p rod ução e pe los es toq ues.
De mo ns tração do Res ultado do E xe rc íc io pe lo todo d e c uste io por Absorç ão :
R e ce ita Bruta de Ve ndas ( pre ço de ve nda x qua nti da de ve nd i da)
(-) I mpos tos s ob re as ve ndas
= Re ce ita Lí qui da
(-) Cus tos Va riáve is (valo r po r uni da de x qua nt i da de ve ndi da)
(-) Cus tos Fixos (va lo r po r un i da de x qua nti da de ve nd ida )
= Luc ro B ruto
(-) D e s pes as variáve is (valo r po r un i da de x qua nti da de ve ndida )
(-) D e s pes as fixas (total do pe río do )
= Res ulta do
todo de C us te io Va riáve l o u D i re to
O Custe io Var ve l é um t ipo d e c us tea me nto q ue co ns iste e m co ns iderar co mo C usto
de Produção do per íodo ape na s os C usto s V ar iá ve is incor r idos. O s c ustos fixo s, pe lo