INTRODUÇÃO CORRENTES
41 pág.

INTRODUÇÃO CORRENTES


Disciplina<strong>ele</strong>5 materiais
Pré-visualização2 páginas
*
 Recursos Terapêuticos Biolétricos/Térmicos/
Mecânicos
Profª Fabianna Fonseca 
*
Recursos Terapêuticos Biolétricos/Térmicos/Mecânicos 
 Eletroterapia 
funcionam os equipamentos que aplicam corrente elétrica no tecido através de eletrodos ( Tens, Corrente Russa, C. Galvânica
Termoterapia
 funcionam os recursos que geram calor (Microondas, Ondas curtas etc.)
Fototerapia 
tipos de radiações eletromagnéticas visíveis ou não, como: Laser, Infra-vermelho, Ultra-violeta
*
Eletroterapia
Modalidade da Fisioterapia que emprega a corrente elétrica como agente terapêutico.
\u201cEletroterapia é o uso da corrente elétrica de baixa intensidade, como forma direta ou previamente transformada a fim de estimular diferentes órgãos ou sistemas com distintos objetivos\u201d.
Agnes, 2013
*
ELETROTERAPIA
Definição de modalidades elétricas:
 \u201cCapacidade de receber a corrente elétrica por meio de uma tomada de parede e transformá-la para produzir efeito fisiológico desejado no tecido biológico\u201d.
*
ELETROLOGIA
É o estudo da corrente elétrica como um agente com distinta função podendo ser como: 
 Agente terapêutico, 
 Agente de diagnóstico,
 Agente produtor de outros agentes (IV, Lazer, US).
*
Corrente elétrica TERAPÊUTICA
 É um fluxo ordenado de elétrons que se produz quando existe diferença de potencial entre os extremos de um condutor (mA ou µA)
Potencial mais alto
Potencial mais baixo
Consiste na passagem de elétrons do polo negativo para o polo positivo.
CONDUTÂNCIA X RESISTÊNCIA /IMPEDÂNCIA
*
Princípios Eletrofísicos
A força eletromotriz que deve ser aplicada para produzir um fluxo de eletróns é chamada Volt (V).
Voltagem é a força resultante do acúmulo de elétrons em um determinado ponto de um circuito elétrico. 
A corrente comercial que flui de tomadas produzem uma força eletromotriz de 127 ou 220V. 
*
Princípios Eletrofísicos
Voltagem: 
diferença de potencial (ddp). 
campo elétrico 
A unidade: ddp é o volt (V)
No tecido:
Sensação de formigamento, 
Contração 
Sensação de dor intensa.
*
Princípios Eletrofísicos
Condições essenciais para que se produza uma corrente elétrica:
 Diferença de potencial;
 Uma via ou condutor para que possam circular os elétrons;
 Uma fonte produtora de eletricidade
*
Impedância Cutânea (Z):
É a resistência da pele e constitui o maior obstáculo à passagem das correntes de baixa frequência empregadas na eletroestimulação. 
 É variável e depende de alguns fatores:
 Superfície dos eletrodos
 Temperatura
 Espessura da pele
 Suor
 Gordura
 Pilosidade
 
*
Condutividade Elétrica Corporal
Classificação dos tecidos do organismo quanto a condutividade elétrica:
Pouco condutores \u2013 Osso, gordura, a pele seca e grossa, os pelos e as unhas.
Medianamente condutores \u2013 A pele úmida, tendões, fáscias grossas e cartilagens.
Relativamente bons condutores - Sangue, linfa, os líquidos intra e extracelulares, os tecidos musculares, as víceras e o tecído nervoso.
*
TECIDOS E Impedância Elétrica
 Quanto mais água tem o tecido, melhor é a sua propriedade de conduzir corrente.
*
 ESFOLIAÇÃO
 
\uf0e0 Importância da esfoliação
O que devo fazer para reduzir a impedância da pele?
*
 Retirar o excesso de pêlo do local
 Melhorar o aporte sanguíneo anteriormente 
		\uf0e0 Massoterapia
 	\uf0e0 Recursos de termoterapia
 Umidecer a pele / Gel condutor
O que devo fazer para reduzir a impedância da pele?
*
Efeitos Fisiológicos da Corrente Elétrica
Ação vasodilatadora 
A corrente elétrica impede a secreção de noradrenalina produzindo vasodilatação passiva. A vasodilatação passiva é produzida pela histamina.
*
Efeitos Fisiológicos da Corrente Elétrica
Efeito Excitomotor 
resulta do músculo ser um tecido excitável, cuja resposta ao estímulo elétrico é a contração.
*
Efeitos Fisiológicos da Corrente Elétrica
Efeito analgésico
a teoria das comportas ou portão é o mecanismo mais relevante, além da ativação/produção de substâncias endógenas como as endorfinas.
*
Efeitos Fisiológicos da Corrente Elétrica
Efeito Cicatrizante
 a corrente elétrica pode favorecer o reparo tecidual estimulando diretamente as células a produzirem mais ATP, aumento a síntese de proteínas, revitalizando a área lesionada.
*
USO TERAPÊUTICO DA CORRENTE ELÉTRICA
Controle da dor aguda e crônica;
Redução de edema;
Redução de espasmo muscular;
Minimização de atrofia por desuso;
Facilitação da reeducação muscular;
Fortalecimento muscular;
Facilitação da cicatrização tecidual;
Facilitação da consolidação de fraturas;
Realização da substituição ortésica
*
CONTRA-INDICAÇÕES
Incapacidade cardíaca
Uso de marcapasso
Gravidez
Lesões cancerígenas
Áreas infectadas
Implantes metálicos expostos ou superficiais
*
Tipos de Correntes
Corrente Alternada (despolarizada ou bifásica 
Corrente que periodicamente muda sua polaridade ou direção do fluxo.
Há a inversão da polaridade em intervalos regulares de tempo. Ideal para atividade excitomotora. Produz formas de ondas que têm 2 fases em cada pulso.
Ex: TENS e FES
*
Tipos de Correntes
Corrente contínua (polarizada ou monofásica
Corrente que flui na mesma direção podendo fluir em uma direção positiva ou negativa. 
Promove mudanças eletroquímicas sob os eletrodos. Utilizada para iontoforese. Promove efeito bioestimulante sobre células não-excitáveis. Pode ser utilizada para estimulação de pontos motores ou nervos periféricos.
Ex: Corrente Galvânica
*
Tipos de Correntes
Corrente Pulsada ou polifásica 
Corrente que contém três ou mais fases agrupadas em um pulso único.
Trens de pulso ou \u201cburst\u201d \u2192 Grupos de pulsos interrompidos por pequenos períodos de tempos e se repetem em intervalos regulares. 
 Ex: Correntes Interferências e Russas
*
PARÂMETROS DA ELETROTERAPIA
AMPLITUDE
FASE
PULSO
*
PARÂMETROS AJUSTÁVEIS PARA A APLICAÇÃO DA ELETROTERAPIA
 Amplitude (Intensidade) 
		É a velocidade com que os elétrons penetram no tecido.
		Estímulo sensitivo, Motor ou Doloroso
		Unidade: Ampère (uA, mA) 
Frequência
		É uma grandeza física ondulatória que indica o número de ocorrências de um evento (ciclos, voltas,oscilações, etc) em um determinado intervalo de tempo.
		Unidade: Hz \uf0e0 1Hz = 1 ciclo/segundo
 Número de pulsos por segundo
*
Tempo de duração do pulso
Depende da corrente
Longa duração \u2013 desagradável 
Curta duração \u2013 agradável
PARÂMETROS AJUSTÁVEIS PARA A APLICAÇÃO DA ELETROTERAPIA
Forma de pulso
Polarizado
Não polarizado
O tempo de aplicação da corrente polarizada geralmente é bem menor que da corrente não polarizada, pelo fato dela promover maior dissociação iônica, podendo danificar os tecidos sob o eletrodo
*
Classificação quanto a frequência
Baixa Freqüência: 1 a 1.000 Hz mas utilizada na prática clínica a faixa de 1 a 200 Hz. Corrente Galvânica, Farádica, Diadinâmicas, Microcorrentes, Tens e FES.
Média Freqüência: 1.000 a 100.000 Hz, sendo utilizado na eletroterapia de 2.000 a 4.000 Hz. Interferencial e Corrente Russa.
Alta Freqüência: Acima de 100 mil Hz. Ondas Curtas, Microondas,Ultra-som Terapêutico.
*Hertz: o nº de vezes que uma corrente reverte sua direção em 1segundo, nº de ciclos por segundo da corrente
*
Correntes de baixa frequência
ATÉ 1000 Hz
TENS
GALVÂNICA
DIADINÂMICAS
FES
MICROCORRENTE
FARÁDICA
*
Correntes de média frequência
DE1000 Hz a 100.000 Hz (100KHz)
INTERFERENCIAL
2000-4000 Hz
RUSSA
2500 Hz
Aussie
1000 Hz- 4000 Hz
*
Correntes de alta frequência
Eletroterapia Básica: Revisão
MICROONDAS
ONDAS
CURTAS
ALTA FREQUÊNCIA
> 100 KHz
ULTRASSOM
*
Os Eletrodos
Os eletrodos são componentes utilizados para fazer a acoplagem entre os equipamentos elétricos e o tecido do paciente. 
primeiro ponto de resistência para as terapias com correntes elétricas.