Analise de Vibracao
4 pág.

Analise de Vibracao


DisciplinaVibrações Mecânicas1.026 materiais10.124 seguidores
Pré-visualização1 página
Análise de Vibração 
Máquinas se movem, os esforços internos produzem vibração das suas partes. Todas as máquinas vibram, uma análise dessa vibração pode, quase sempre, nos dizer se uma máquina está em bom estado ou não e qual é o defeito.
A análise das vibrações de um equipamento é uma importantíssima ferramenta tanto para a determinação das acções de manutenção de que ele necessita, quanto para descobrir a causa básica de uma falha porventura ocorrida, emora não deva ser esquecido que a análise de vibrações é somente um dos elementos a ser considerado.
Um programa de manutenção preditiva aseado em análise de vibração inclui:
Medir periodica ou continuamente a vibração dos equipamento;
Estaelecer níveis de alarme para separar as máquinas saudáveis das que têm algum problema;
Analisar a vibração dos equipamentos onde ela ultrapassa o nível de alarme para decidir se a máquina vai precisar de uma intervenção, qual a severidade do problema e quando deve ser feita a intervenção.
A maior parte das medições vai indicar que o equipamento está em bom estado. Nos poucos casos em que o nível de vibração ultrapassa o nível de alarme, uma análise deve ser feita para determinar qual é o defeito existente na máquina, qual a sua severidade e se é necessária uma intervenção urgente ou programada.
Para analisar um problema de vibração devemos obter as seguintes informações:
Projecto da máquina, incluindo desenho do corte, especificação dos rolamentos e mancais de deslizamento, frequências naturais, número de dentes de engrenagens e de pás de rotores, etc;
Histórico de vibração, manutenção e operação da máquinaç
Condições de operação no momento da medição de vibração;
Análise de óleo;
Dados gerais obtidos numa inspeção visual, tais como temperatura de mancais, problemas óbvios , etc.
Periodicidade das Medições 
Este item é importante so o ponto de vista organizacional. A periodicidade das medições não pode ser tão grande que exija uma equipe exagerada.
Uma boa sistemática é utilizar um critério retirado da engenharia de confiailidade, definindo o nível de confiança desejado na detenção do defeito e calculando o período a partir da fórmula básica de Weiubul:
Confiabilidade = 
Por exemplo, se queremos uma confiabilidade de 95% e temos um TMEF de 36 meses, o intervalo entre medições será de aproximadamente 55 dias. Deve ser ressaltado que a confiança de 95% utilizada no exemplo acima se refere à probabilidade de u defeito ser detectado antes de uma falha da máquina, não à confiabilidade da máquina em si. Notar que nem todos os tipos de problemas são detectáveis pela medição de vibração. Estamos nos referindo somente à aqueles que o são.
As máquinas mais importantes da instalação crítica devem ser monitoradas com uma frequência maior que as demais, por ser interessante diminuir a probailidade de um defeito não ser detectado. Esse conceito normalmente é levado ao extremo em máquinas críticas que não tenham reserva, que normalmente são monitoradas continuamente.
Níveis de Alarme
O estabelecimento de níveis de alarme visa separar os equipamentos que estão em condições adequadas dos que têm algum problema e deve ser feito no início da implantação de um programa de manutenção preditiva. A razão principal dessa separação é concentrar o esforço de análise nos casos onde há maior proailidade de ocorrência de defeitos, ou seja, naqueles equipamentos onde a viração está elevada.
Para definir o nível de alarme de cada equipamento é necessário conhecer o seu histórico de virações, determinar qual o nível de vibração normal e as variações que ocorre normalmente. Partindo dessas informações, é possível decidir qual será o nível de vibração que vai indicar com uma certa precisão a existência de um problema . essa sistemática ideal só é possível após terem sido feitas muitas medições de vibração dos equipamentos instalados.
No caso de equipamentos novos, ou no início de um programa de manutenção preditiva, não existem informações sobre o seu histórico do equipamento. Nesse caso, podemos lançar mão das normas técnicas que regulam o projecto desses equipamentos. As normas de faricação dos equipamentos mecânicos incluem níveis aceitáveis de vibração para cada tipo de equipamento e para cada modo de medição.
Um desenvolvimento do conceito de nível de alarme gloal é o nível de alarme por faixa de frequências. O fundamento do estabelecimento de níveis de alarme diferentes para cada faixa de frequência é o reconhecimento que:
Cada defeito específico vai se manifestar através de frequências específicas;
Nível de severidade que vai ocasionar uma falha do equipamento é diferente para cada tipo de defeito.
	Níveis de Alarme Para Alguns Equipamentos, Segundo a Norma API
	
	Medição na Carcaça
(mm/s RMS)
	Medição no eixo
(micra)
	Bomba centrífuga horizontal 
	3,0
	(5.200.000/RPM)^0,5
	Bomba centrífuga vertical
	5,0
	(6.500.000/RPM)^0,5
	Turbina de uso geral
	3,0
	25,4 x(12.000/RPM)^0,5
	Compressor centrífugo
	-
	25,4 x(12.000/RPM)^0,5
	Redutor
	4,07
	25,4 x(12.000/RPM)^0,5
Essas duas constatações mostram que, se pudermos avaliar a severidade da cada defeito, separadamente, será possível separar com mais precisão os equipamentos normais dos que necessitam de uma análise mais aprofundada. Por exemplo, faz sentido termos níveis de alarme na frequência de rotação de equipamento (1 n) maiores que em duas vezes essa frequência (2 n), pois é esperado encontrarmos sempre alguma vibração em 1 n, já que nenhuma máquina pode ser perfeitamente balanceada. Também faz sentido fixar valores mais baixos para os limites de alarme das frequências características dos rolamentos, pois é interessante uma detecção prematura desse tipo de problema.
Unidades de Vibração 
Sendo a vibração do equipamento um movimento periódico, ela pode ser descrita pelo seu deslocamento, velocidade ou aceleração. Existem transdutores que mede directamente essas grandezas. É possível fazer uma integração numérica dos valores de aceleração para velocidade ou deslocamento sem erro apreciável. A operação inversa, ou seja, a derivação dos valores de deslocamento para obter velocidade ou aceleração só pode ser feita considerável erro numérico.
As medições de vibração de equipamentos de uso geral são, normalmente, indicadas em velocidade (mm/s RMS). A razão para esse procedimento está numa característica física dos defeitos usuais em máquinas, que é a seguinte: valores de velocidade iguais em frequências diferentes indica defeitos de severidade similar. A aceleração amenta com a frequência e o deslocamento diminui, complicando um pouco a análise.
Medição da Fase
Fase é a relação entre virações de uma parte do equipamento e uma referência fixa. A fase pode ser entendida como \u201cposição\u201d do pico da vibração em relação à referência fixa.
Vários tipos de problemas (desbalanceando, eixo empenado, rotor excêntrico)