A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
296 pág.
Apostila EEAR

Pré-visualização | Página 13 de 50

uma sílaba que se 
pronuncia com mais força do que as outras: é a sílaba tônica. 
Exs.: em lá-gri-ma, a sílaba tônica é lá; em ca-der-no, der; em A-ma-pá, 
pá. 
Considerando-se a posição da sílaba tônica, classificam-se as palavras 
em: 
• Oxítonas - quando a tônica é a última sílaba: Pa-ra-ná, sa-bor, do-
mi-nó. 
a, e, i, o, u 
b, c, d, f, g, h, j, l, m, n, p, q, r, s, t, v, x, z 
Apostila Digital Licenciada para Felippe Araujo Pantaleão - cursopreparatoriorj2008@gmail.com (Proibida a Revenda)
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos 
Língua Portuguesa A Opção Certa Para a Sua Realização 10 
• Paroxítonas - quando a tônica é a penúltima sílaba: már-tir, ca-rá-
ter, a-má-vel, qua-dro. 
• Proparoxítonas - quando a tônica é a antepenúltima sílaba: ú-mi-do, 
cá-li-ce, ' sô-fre-go, pês-se-go, lá-gri-ma. 
 
ENCONTROS CONSONANTAIS 
É a sequência de dois ou mais fonemas consonânticos num vocábulo. 
Ex.: atleta, brado, creme, digno etc. 
 
DÍGRAFOS 
São duas letras que representam um só fonema, sendo uma grafia com-
posta para um som simples. 
 
Há os seguintes dígrafos: 
• Os terminados em h, representados pelos grupos ch, lh, nh. 
 Exs.: chave, malha, ninho. 
• Os constituídos de letras dobradas, representados pelos grupos rr e 
ss. 
 Exs. : carro, pássaro. 
• Os grupos gu, qu, sc, sç, xc, xs. 
 Exs.: guerra, quilo, nascer, cresça, exceto, exsurgir. 
• As vogais nasais em que a nasalidade é indicada por m ou n, encer-
rando a sílaba em uma palavra. 
 Exs.: pom-ba, cam-po, on-de, can-to, man-to. 
 
NOTAÇÕES LÉXICAS 
São certos sinais gráficos que se juntam às letras, geralmente para lhes 
dar um valor fonético especial e permitir a correta pronúncia das palavras. 
São os seguintes: 
1) o acento agudo – indica vogal tônica aberta: pé, avó, lágrimas; 
2) o acento circunflexo – indica vogal tônica fechada: avô, mês, ânco-
ra; 
3) o acento grave – sinal indicador de crase: ir à cidade; 
4) o til – indica vogal nasal: lã, ímã; 
5) a cedilha – dá ao c o som de ss: moça, laço, açude; 
6) o trema – indica que o u soa: lingüeta, freqüente, tranqüilo; 
7) o apóstrofo – indica supressão de vogal: mãe-d’água, pau-d’alho; 
8) o hífen – une palavras, prefixos, etc.: arcos-íris, peço-lhe, ex-aluno. 
 
ORTOGRAFIA 
As dificuldades para a ortografia devem-se ao fato de que há fonemas 
que podem ser representados por mais de uma letra, o que não é feito de 
modo arbitrário, mas fundamentado na história da língua. 
Eis algumas observações úteis: 
 
DISTINÇÃO ENTRE J E G 
1. Escrevem-se com J: 
a) As palavras de origem árabe, africana ou ameríndia: canjica. cafajeste, 
canjerê, pajé, etc. 
b) As palavras derivadas de outras que já têm j: laranjal (laranja), enrije-
cer, (rijo), anjinho (anjo), granjear (granja), etc. 
c) As formas dos verbos que têm o infinitivo em JAR. despejar: despejei, 
despeje; arranjar: arranjei, arranje; viajar: viajei, viajeis. 
d) O final AJE: laje, traje, ultraje, etc. 
e) Algumas formas dos verbos terminados em GER e GIR, os quais 
mudam o G em J antes de A e O: reger: rejo, reja; dirigir: dirijo, dirija. 
 
2. Escrevem-se com G: 
a) O final dos substantivos AGEM, IGEM, UGEM: coragem, vertigem, 
ferrugem, etc. 
b) Exceções: pajem, lambujem. Os finais: ÁGIO, ÉGIO, ÓGIO e ÍGIO: 
estágio, egrégio, relógio refúgio, prodígio, etc. 
c) Os verbos em GER e GIR: fugir, mugir, fingir. 
 
DISTINÇÃO ENTRE S E Z 
1. Escrevem-se com S: 
a) O sufixo OSO: cremoso (creme + oso), leitoso, vaidoso, etc. 
b) O sufixo ÊS e a forma feminina ESA, formadores dos adjetivos pátrios 
ou que indicam profissão, título honorífico, posição social, etc.: portu-
guês – portuguesa, camponês – camponesa, marquês – marquesa, 
burguês – burguesa, montês, pedrês, princesa, etc. 
c) O sufixo ISA. sacerdotisa, poetisa, diaconisa, etc. 
d) Os finais ASE, ESE, ISE e OSE, na grande maioria se o vocábulo for 
erudito ou de aplicação científica, não haverá dúvida, hipótese, exege-
se análise, trombose, etc. 
e) As palavras nas quais o S aparece depois de ditongos: coisa, Neusa, 
causa. 
f) O sufixo ISAR dos verbos referentes a substantivos cujo radical termina 
em S: pesquisar (pesquisa), analisar (análise), avisar (aviso), etc. 
g) Quando for possível a correlação ND - NS: escandir: escansão; preten-
der: pretensão; repreender: repreensão, etc. 
 
2. Escrevem-se em Z. 
a) O sufixo IZAR, de origem grega, nos verbos e nas palavras que têm o 
mesmo radical. Civilizar: civilização, civilizado; organizar: organização, 
organizado; realizar: realização, realizado, etc. 
b) Os sufixos EZ e EZA formadores de substantivos abstratos derivados 
de adjetivos limpidez (limpo), pobreza (pobre), rigidez (rijo), etc. 
c) Os derivados em -ZAL, -ZEIRO, -ZINHO e –ZITO: cafezal, cinzeiro, 
chapeuzinho, cãozito, etc. 
 
DISTINÇÃO ENTRE X E CH: 
1. Escrevem-se com X 
a) Os vocábulos em que o X é o precedido de ditongo: faixa, caixote, 
feixe, etc. 
c) Maioria das palavras iniciadas por ME: mexerico, mexer, mexerica, etc. 
d) EXCEÇÃO: recauchutar (mais seus derivados) e caucho (espécie de 
árvore que produz o látex). 
e) Observação: palavras como "enchente, encharcar, enchiqueirar, en-
chapelar, enchumaçar", embora se iniciem pela sílaba "en", são grafa-
das com "ch", porque são palavras formadas por prefixação, ou seja, 
pelo prefixo en + o radical de palavras que tenham o ch (enchente, en-
cher e seus derivados: prefixo en + radical de cheio; encharcar: en + 
radical de charco; enchiqueirar: en + radical de chiqueiro; enchapelar: 
en + radical de chapéu; enchumaçar: en + radical de chumaço). 
 
2. Escrevem-se com CH: 
a) charque, chiste, chicória, chimarrão, ficha, cochicho, cochichar, estre-
buchar, fantoche, flecha, inchar, pechincha, pechinchar, penacho, sal-
sicha, broche, arrocho, apetrecho, bochecha, brecha, chuchu, cachim-
bo, comichão, chope, chute, debochar, fachada, fechar, linchar, mochi-
la, piche, pichar, tchau. 
b) Existem vários casos de palavras homófonas, isto é, palavras que 
possuem a mesma pronúncia, mas a grafia diferente. Nelas, a grafia se 
distingue pelo contraste entre o x e o ch. 
Exemplos: 
• brocha (pequeno prego) 
• broxa (pincel para caiação de paredes) 
• chá (planta para preparo de bebida) 
• xá (título do antigo soberano do Irã) 
• chalé (casa campestre de estilo suíço) 
• xale (cobertura para os ombros) 
• chácara (propriedade rural) 
• xácara (narrativa popular em versos) 
• cheque (ordem de pagamento) 
• xeque (jogada do xadrez) 
• cocho (vasilha para alimentar animais) 
• coxo (capenga, imperfeito) 
 
DISTINÇÃO ENTRE S, SS, Ç E C 
Observe o quadro das correlações: 
Correlações 
t - c 
ter-tenção 
 
rg - rs 
rt - rs 
pel - puls 
corr - curs 
sent - sens 
ced - cess 
 
gred - gress 
 
prim - press 
Exemplos 
ato - ação; infrator - infração; Marte - marcial 
abster - abstenção; ater - atenção; conter - contenção, deter - 
detenção; reter - retenção 
aspergir - aspersão; imergir - imersão; submergir - submersão; 
inverter - inversão; divertir - diversão 
impelir - impulsão; expelir - expulsão; repelir - repulsão 
correr - curso - cursivo - discurso; excursão - incursão 
sentir - senso, sensível, consenso 
ceder - cessão - conceder - concessão; interceder - interces-
são. 
exceder - excessivo (exceto exceção) 
agredir - agressão - agressivo; progredir - progressão - pro-
gresso - progressivo 
Apostila Digital Licenciada para Felippe Araujo Pantaleão - cursopreparatoriorj2008@gmail.com (Proibida a Revenda)
APOSTILAS OPÇÃO A Sua Melhor Opção em Concursos Públicos 
Língua Portuguesa A Opção Certa Para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.