A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
34 pág.
Recursos em espécie

Pré-visualização | Página 5 de 9

que versem sobre a questão e tramitem no território 
nacional. 
§ 6o O interessado pode requerer, ao presidente ou ao vice-presidente do tribunal 
de origem, que exclua da decisão de sobrestamento e inadmita o recurso 
extraordinário que tenha sido interposto intempestivamente, tendo o recorrente o 
prazo de 5 (cinco) dias para manifestar-se sobre esse requerimento. 
§ 7º Da decisão que indeferir o requerimento referido no § 6º ou que aplicar 
entendimento firmado em regime de repercussão geral ou em julgamento de 
recursos repetitivos caberá agravo interno. 
§ 8o Negada a repercussão geral, o presidente ou o vice-presidente do tribunal de 
origem negará seguimento aos recursos extraordinários sobrestados na origem que 
versem sobre matéria idêntica. 
§ 9o O recurso que tiver a repercussão geral reconhecida deverá ser julgado no 
prazo de 1 (um) ano e terá preferência sobre os demais feitos, ressalvados os que 
envolvam réu preso e os pedidos de habeas corpus. 
§ 10. Revogado 
§ 11. A súmula da decisão sobre a repercussão geral constará de ata, que será 
publicada no diário oficial e valerá como acórdão. 
 
323 e 325 do Regimento Interno do STF 
Art. 323. Quando não for caso de inadmissibilidade do recurso por outra razão, o(a) 
Relator(a) ou o Presidente submeterá, por meio eletrônico, aos demais Ministros, cópia de 
sua manifestação sobre a existência, ou não, de repercussão geral. 
§ 1º Nos processos em que o Presidente atuar como Relator, sendo reconhecida a 
existência de repercussão geral, seguir-se-á livre distribuição para o julgamento de mérito. 
§ 2º Tal procedimento não terá lugar, quando o recurso versar questão cuja repercussão 
já houver sido reconhecida pelo Tribunal, ou quando impugnar decisão contrária a súmula 
ou a jurisprudência dominante, casos em que se presume a existência de repercussão 
geral. 
§ 3º Mediante decisão irrecorrível, poderá o(a) Relator(a) admitir de ofício ou a 
requerimento, em prazo que fixar, a manifestação de terceiros, subscrita por pro-curador 
habilitado, sobre a questão da repercussão geral. 
[...] 
Art. 325. O(A) Relator(a) juntará cópia das manifestações aos autos, quando não se tratar 
de processo informatizado, e, uma vez definida a existência da repercussão geral, julgará 
o recurso ou pedirá dia para seu julgamento, após vista ao Procurador-Geral, se 
necessária; negada a existência, formalizará e subscreverá decisão de recusa do recurso. 
Parágrafo único. O teor da decisão preliminar sobre a existência da repercussão geral, 
que deve integrar a decisão monocrática ou o acórdão, constará sempre das publicações 
dos julgamentos no Diário Oficial, com menção clara à matéria do recurso. 
 
- o recorrente apresentará em preliminar formal e fundamentada de recurso extraordinário 
a repercussão geral, pois não o fazendo o recurso pode não ser recebido. O Relator se 
manifesta sobre a repercussão e submete a questão aos demais ministros, que devem se 
pronunciar em 20 dias (prazo comum, diante do meio eletrônico) 
 
- a Constituição estabelece que, para que o RE não seja admitido é necessário que, 
pelo menos, oito ministros reconheçam a inexistência da repercussão geral. 
 
- sendo reconhecida a repercussão geral, o Relator do RE determinará a suspensão do 
processamento de todos os processos pendentes, individuais ou coletivos, que versem 
sobre a questão e tramitam no território nacional; 
 
- o recurso com repercussão geral reconhecida deverá ser julgado no prazo de um ano, 
após o julgamento os demais processos voltarão ao andamento normal; 
 
- negada a existência de repercussão geral, não será recebido o recurso, e o presidente ou 
vice-presidente do tribunal de origem negará seguimento aos recursos extraordinários 
sobrestados na origem, que versem sobre matéria idêntica. (art. 1.035, § 8º, CPC) Da 
decisão cabe o Agravo previsto no artigo 1.042, III, CPC 
Art. 1.042. Cabe agravo contra decisão do presidente ou do vice-presidente do 
tribunal recorrido que inadmitir recurso extraordinário ou recurso especial, salvo 
quando fundada na aplicação de entendimento firmado em regime de repercussão 
geral ou em julgamento de recursos repetitivo 
§ 1º Revogado 
§ 2º A petição de agravo será dirigida ao presidente ou ao vice-presidente do 
tribunal de origem e independe do pagamento de custas e despesas postais, 
aplicando-se a ela o regime de repercussão geral e de recursos repetitivos, inclusive 
quanto à possibilidade de sobrestamento e do juízo de retratação. 
§ 3o O agravado será intimado, de imediato, para oferecer resposta no prazo de 15 
(quinze) dias. 
§ 4o Após o prazo de resposta, não havendo retratação, o agravo será remetido ao 
tribunal superior competente. 
§ 5o O agravo poderá ser julgado, conforme o caso, conjuntamente com o recurso 
especial ou extraordinário, assegurada, neste caso, sustentação oral, observando-
se, ainda, o disposto no regimento interno do tribunal respectivo. 
§ 6o Na hipótese de interposição conjunta de recursos extraordinário e especial, o 
agravante deverá interpor um agravo para cada recurso não admitido. 
§ 7o Havendo apenas um agravo, o recurso será remetido ao tribunal competente, 
e, havendo interposição conjunta, os autos serão remetidos ao Superior Tribunal de 
Justiça. 
§ 8o Concluído o julgamento do agravo pelo Superior Tribunal de Justiça e, se for o 
caso, do recurso especial, independentemente de pedido, os autos serão remetidos 
ao Supremo Tribunal Federal para apreciação do agravo a ele dirigido, salvo se 
estiver prejudicado. 
 
 
A questão dos recursos repetitivos 
 
Havendo um grande número de RE e REsp versando sobre o mesmo tema, com idênticos 
fundamentos, deve haver, também, uma forma excepcional de tratar o assunto. 
 
Ao invés de examiná-los individualmente, vencendo cada questionamento em separado, 
agora são examinados uma única vez, com repercussão sobre os demais recursos 
interpostos com o mesmo fundamento e com eficácia vinculante sobre os 
julgamentos posteriores. A vantagem observada é tanto do ponto de vista econômico 
quanto com relação à uniformidade dos julgados. 
 
- são selecionados dois ou mais recursos, os mais representativos da controvérsia, 
recursos que sejam admissíveis e onde a questão jurídica repetida seja abordada de 
maneira mais detalhada, para que o julgamento destes recursos seja afetado na forma 
do artigo 1.036 e possa servir de paradigma, repercutindo sobre o julgamento dos 
demais. Os demais recursos versando sobre a mesma questão ficarão suspensos no 
tribunal de origem. 
 
- a suspensão tratada acima atingirá não só os demais RE ou REsp que versem sobre a 
mesma questão jurídica, mas todos os processos, individuais ou coletivos, mesmo os 
ainda não sentenciados, que versem sobre a questão, em todo o território nacional. 
Afetação: decisão proferida pelo relator que, feita a seleção dos recursos paradigmas e 
preenchidos os demais requisitos do artigo 1.036, caput, CPC, identificará com precisão a 
questão jurídica a ser submetida a julgamento, determinando a suspensão de todos os 
processos que versem sobre a mesma questão, em todo o território nacional. 
 
- o Presidente ou o Vice-presidente informarão aos Tribunais e aos juízes para que 
promovam a suspensão dos processos que versem sobre a mesma questão jurídica até 
seu efetivo julgamento. 
 
- da decisão de suspensão a parte será intimada, podendo requerer o prosseguimento de 
seu processo, caso demonstre a distinção entre a questão jurídica objeto do julgamento 
repetitivo e a que se discute em seu processo. O requerimento será dirigido ao juiz ou ao 
relator, dependendo onde tramitar. 
 
- sobre o requerimento de prosseguimento a parte contrária será ouvida no prazo de cinco 
dias. 
 
- da decisão sobre o requerimento cabe Agravo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.