Resumo despesas públicas
89 pág.

Resumo despesas públicas


DisciplinaAdministração Financeira e Orçamentária I1.930 materiais16.561 seguidores
Pré-visualização20 páginas
Coisas de prova
Q392253 O regime contábil aplicável ao setor público é diverso do regime orçamentário exigido pela legislação vigente em relação às despesas públicas
CORRETO. É aquela distinção que se faz da despesa patrimonial e a despesa orçamentária.
I) Tanto pelo regime contábil quando pelo regime orçamentário temos o mesmo regime de COMPETÊNCIA. 
II) ENTRETANTO, é cediço que não é \u201cexatamente o mesmo\u201d, porque na seara patrimonial a despesa é reconhecida quando da ocorrência do fato gerador, e na seara orçamentária a receita é reconhecida quando do empenho
III) Note que nem sempre o empenho será o fato gerador da receita patrimonial. Portanto, por mais que se dê o mesmo nome, realmente o regime de contabilização é diferente.
Segundo o regime orçamentário, consoante ao disposto na lei 4320/64, o reconhecimento da despesa se dá no momento da emissão do empenho. Contudo, não é correto afirmar que a emissão do empenho caracteriza o fato gerador da despesa e, portanto, não é correto afirmar que o reconhecimento da despesa na emissão do empenho atende ao princípio da competência.  Como informa o MCASP, em regra, o fato gerador da despesa ocorre na liquidação. Ou seja, o fato gerador da despesa ocorre quando o órgão recebe o material adquirido. O MCASP, ainda, na página supracitada, dá exemplos em que o fato gerador ocorre antes ou até mesmo depois da liquidação.
Q489203 Em função da autonomia dos poderes, o Poder Executivo não poderá fixar limites de gastos com pessoal do Poder Judiciário.
CORRETO. Note que ele pergunta limites de GASTOS COM PESSOAL. 
I) Esse limite realmente não é o Executivo, esse limite a própria CF diz que será estabelecido em LEI. Note que em nenhum momento a CF diz que essa lei seria do Executivo. 
II) O executivo tem em suas mãos o poder da LDO, que estabelece os limites conjuntos de gastos (totais).
CF Art. 169. A despesa COM PESSOAL ativo e inativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios não poderá exceder os limites estabelecidos em lei complementar.
Q243815 Acerca dos pagamentos devidos pela fazenda pública em virtude de sentença judicial, não é permitida a designação de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para esse fim.
CORRETO. Cuidado para não confundir duas coisas:
I) Dotação ou credito adicional para PAGAR PRECATÓRIOS (pagamento devidos pela Fazenda Pública em virtude de sentença judiciária) NÃO PODE designar pessoas nas dotações.
II) REGISTRO DE RESTOS a pagar SERÃO distinguidos por credor.
Lei 4320: Art. 67. Os pagamentos devidos pela Fazenda Pública, em virtude de sentença judiciária, far-se-ão na ordem de apresentação dos precatórios e à conta dos créditos respectivos, sendo proibida a designação de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para esse fim.
Lei 4320:Art. 92 Parágrafo único. O registro dos restos a pagar far-se-á por exercício e por credor distinguindo-se as despesas processadas das não processadas.
Q489377 As despesas contratuais e outras sujeitas a parcelamento podem ser consignadas na lei orçamentária anual em dotações globais.
FALSO. Não confundir dotação global com empenho global
I) Empenho global este sim, serve para despesas com preço certo mas pagamento parcelado.
II) Mas dotações globais somente em 2 casos: Reserva de contingência e os Programas Especiais de Trabalho.
Lei 4320 Art. 20 Parágrafo único. Os programas especiais de trabalho que, por sua natureza, não possam cumprir-se subordinadamente às normas gerais de execução da despesa poderão ser custeadas por dotações globais, classificadas entre as Despesas de Capital.
Q883432 A consequência legal da inclusão de uma despesa no orçamento público é diferente da consequência legal da inclusão de uma receita nesse orçamento.
CORRETO. 
I) A consequência legal da inclusão de uma receita é mais uma obrigação: se está prevista que determinada receita será arrecadada, devem-se envidar os melhores esforços para arrecadá-la
II) A consequência legal da inclusão de uma despesa é mais uma \u201csugestão\u201d: nada impede que determinada despesa fixada no orçamento não seja executada. 
LRF II - a despesa e a assunção de compromisso serão registradas segundo o regime de competência, apurando-se, em caráter complementar, o resultado dos fluxos financeiros pelo regime de caixa;
DESPESA realmente é registrada e consolidada segundo regime de COMPETÊNCIAS. 
Mas se perguntar sobre o resultado dos fluxos financeiros \u2013 é regime de CAIXA. 
.
Lei seca \u2013 LRF
Limitação empenho
Art. 9o Se verificado, ao final de um bimestre, que a realização da receita poderá não comportar o cumprimento das metas de resultado primário ou nominal estabelecidas no Anexo de Metas Fiscais, os Poderes e o Ministério Público promoverão, por ato próprio e nos montantes necessários, nos trinta dias subsequentes, limitação de empenho e movimentação financeira, segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias.
§ 1o No caso de restabelecimento da receita prevista, ainda que parcial, a recomposição das dotações cujos empenhos foram limitados dar-se-á de forma proporcional às reduções efetivadas.
§ 2o Não serão objeto de limitação as despesas que constituam obrigações constitucionais e legais do ente, inclusive aquelas destinadas ao pagamento do serviço da dívida, e as ressalvadas pela lei de diretrizes orçamentárias.
§ 3o No caso de os Poderes Legislativo e Judiciário e o Ministério Público não promoverem a limitação no prazo estabelecido no caput, é o Poder Executivo autorizado a limitar os valores financeiros segundo os critérios fixados pela lei de diretrizes orçamentárias.              (Vide ADIN 2.238-5)
Foi julgada inconstitucional. 
Lei seca \u2013 4320
Coisas gerais
Art. 14. Constitui unidade orçamentária o agrupamento de serviços subordinados ao mesmo órgão ou repartição a que serão consignadas dotações próprias. 
Parágrafo único. Em casos excepcionais, serão consignadas dotações a unidades administrativas subordinadas ao mesmo órgão.
Art. 15. Na Lei de Orçamento a discriminação da despesa far-se-á no mínimo por ELEMENTOS. 
§ 1º Entende-se por ELEMENTOS o desdobramento da despesa com pessoal, material, serviços, obras e outros meios de que se serve a administração pública para consecução dos seus fins. 
§ 2º Para efeito de classificação da despesa, considera-se material permanente o de duração superior a 2 anos
Art. 38. Reverte à dotação a importância de despesa anulada no exercício; quando a anulação ocorrer após o encerramento deste considerar-se-á receita do ano em que se efetivar.
Art. 66. As dotações atribuídas às diversas unidades orçamentárias poderão quando expressamente determinado na Lei de Orçamento ser movimentadas por órgãos centrais de administração geral.
Q243814 As dotações consignadas no orçamento só poderão ser movimentadas por órgãos centrais de administração geral quando expressamente determinado na lei de orçamento.
Parte superior do formulário
Parágrafo único. É PERMITIDA a redistribuição de parcelas das dotações de pessoal, de uma para outra unidade orçamentária, quando considerada indispensável à movimentação de pessoal dentro das tabelas ou quadros comuns às unidades interessadas, a que se realize em obediência à legislação específica.
Q243813 Mesmo que seja considerada indispensável à movimentação de pessoal dentro dos quadros comuns às unidades interessadas, não é permitida a redistribuição de parcelas de dotação de pessoal de uma para outra unidade orçamentária. FALSO. Neste caso é permitida.
Art. 68. O regime de adiantamento é aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei e consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho na dotação própria para o fim de realizar despesas, que não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação.
Art. 69. Não se fará adiantamento a servidor em alcance nem a responsável por 2 adiantamento. 
Art. 70. A