Buscar

Tipologias textuais

Esta é uma pré-visualização de arquivo. Entre para ver o arquivo original

Tipologias textuais
 É a forma como um texto se apresenta
O Que É Tipologia Textual?
São as classificações recebidas por um texto de acordo com suas características, com sua forma, estrutura e conteúdo. 
São as diferentes formas que um texto pode apresentar, visando responder a diferentes intenções comunicativas.
Os aspectos constitutivos de um texto divergem mediante a finalidade do texto: contar, descrever, argumentar, informar,… 
Diferentes tipos de texto apresentam diferentes características: estrutura, construções frásicas, linguagem, vocabulário, tempos verbais, relações lógicas, modo de interação com o leitor,…
Um único texto pode apresentar passagens de várias tipologias textuais.
Texto narrativo
Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de várias ações reais ou imaginárias.
 Essa sucessão de acontecimentos é contada por um narrador e está estruturada em introdução, desenvolvimento e conclusão.
A narração da história é construída à volta de elementos narrativos, como o espaço, tempo, personagem, enredo e narrador.
Principais elementos da narrativa
Espaço: O espaço se refere ao local onde se desenrola a ação. Pode ser físico (no colégio, no Brasil, na praça,…), social (características do ambiente social) e psicológico (vivências, pensamento e sentimentos do sujeito,…).
Tempo: O tempo se refere à duração da ação e ao desenrolar dos acontecimentos. O tempo cronológico indica a sucessão cronológica dos fatos, pelas horas, dias, anos,… O tempo psicológico se refere às lembranças e vivências das personagens, sendo subjetivo e influenciado pelo estado de espírito das personagens em cada momento.
Personagens: São caracterizadas através de qualidades físicas e psicológicas, podendo essa caracterização ser feita de modo direto (explicitada pelo narrador ou por outras personagens, através de autocaracterização ou heterocaracterização) ou de modo indireto (feita com base nas atitudes e comportamento das personagens).
Enredo: Também chamado de intriga, trama ou ação, o enredo é composto pelos acontecimentos que ocorrem num determinado tempo e espaço e são vivenciados pelas personagens. As ações seguem-se umas às outras por encadeamento, encaixe e alternância.
Narrador: O narrador é o responsável pela narração, ou seja, é quem conta a história. Existem vários tipos de narrador:
Narrador onisciente e onipresente: Conhece intimamente as personagens e a totalidade do enredo, de forma pormenorizada. Utiliza maioritariamente a narração na 3.ª pessoa, mas pode narrar na 1.ª pessoa, em discurso indireto livre, tendo sua voz confundida com a voz das personagens, tal é o seu conhecimento e intimidade com a narrativa.
Narrador personagem, participante ou presente: Conta a história na 1.ª pessoa, do ponto de vista da personagem que é. Apenas conhece seus próprios pensamentos e as ações que se vão desenrolando, nas quais também participa. Tem conhecimentos limitados sobre as restantes personagens e sobre a totalidade do enredo. Este tipo de narração é mais subjetivo, transmitindo o ponto de vista e as emoções do narrador.
Narrador observador, não participante ou ausente: Limita-se a contar a história, sem se envolver nela. Embora tenha conhecimento das ações, não conhece o íntimo das personagens, mantendo uma narrativa imparcial e objetiva. Utiliza a narração na 3.ª pessoa.
Discurso	
A forma como a voz das personagens é introduzida na voz do narrador é chamada de discurso.
O discurso direto é caracterizado por ser uma transcrição exata da fala das personagens, sem participação do narrador.
O discurso indireto é caracterizado por ser uma intervenção do narrador no discurso ao utilizar as suas próprias palavras para reproduzir as falas das personagens.
O discurso indireto livre é caracterizado por permitir que os acontecimentos sejam narrados em simultâneo, estando as falas das personagens direta e integralmente inseridas dentro do discurso do narrador.
Estrutura narrativa
Introdução: A introdução se refere à situação inicial da história. Também chamada de apresentação, é nesta parte da narração que são apresentados os principais elementos da narração: espaço, tempo, personagens, enredo e narrador. Ficamos sabendo quem, quando e onde.
Desenvolvimento: Durante o desenvolvimento do enredo, ocorrem conflitos, ou seja, acontecimentos que quebram o equilíbrio apresentado na introdução, modificando essa situação inicial. Ficamos sabendo o quê e como. No desenvolvimento ocorre também o momento mais tenso e emocionante da história - o clímax.
Conclusão: Também chamada de desfecho, desenlace ou epílogo, a conclusão é a parte da narração em que se resolvem os conflitos (positiva ou negativamente). Fica evidenciada a relação existente entre os diferentes acontecimentos, sendo apresentadas suas consequências.
Exemplos de texto narrativo:
romances:
contos;
fábulas;
depoimentos;
relatos;
...........
...........
Texto descritivo
A principal finalidade de um texto descritivo é apresentar a descrição pormenorizada de algo ou alguém, levando o leitor a criar uma imagem mental do objeto ou ser descrito. A descrição pode ser mais objetiva ou mais subjetiva, focando apenas aspectos mais importantes ou também detalhes específicos.
Os textos descritivos não são, habitualmente, textos autônomos. O que acontece mais frequentemente é a existência de passagens descritivas inseridas em textos narrativos, havendo uma pausa na narração para a descrição de um objeto, pessoa ou lugar.
Estrutura do texto descritivo
Introdução: Primeiramente é feita a identificação do ser ou objeto que será descrito, de modo a que o leitor foque sua atenção nesse ser ou objeto.
Desenvolvimento: Ocorre então a descrição do objeto ou ser em foco, apresentando seus aspectos mais gerais e mais pormenorizados, havendo caracterizações mais objetivas e outras mais subjetivas.
Conclusão: A descrição está concluída quando a caracterização do objeto ou ser estiver terminada.
Características do texto descritivo
O texto descritivo não se encontra limitado por noções temporais ou relações espaciais. 
Há uma notória predominância de substantivos, adjetivos e locuções adjetivas.
 Utilização de verbos de estado, como ser, estar, parecer, permanecer, ficar, continuar, tornar-se, andar,…
Uso de enumerações e comparações, ou outras figuras de linguagem, servem para melhor apresentar o objeto ou ser em descrição, enriquecendo o texto e tornando-o mais interessante para o leitor.
A descrição pode ser mais objetiva, focalizando aspectos físicos, ou mais subjetiva, focalizando aspectos emocionais e psicológicos. 
Tipos de descrição
Embora seja possível distinguir tipos de descrição, é essencial que os três tipos estejam presentes numa descrição, de forma a torná-la completa, rica e interessante.
Descrição objetiva:
Descrição exata e precisa do objeto ou ser;
Maior aproximação possível da realidade;
Isenta de opiniões e duplos sentidos;
Descrição de aspectos físicos;
Utilização de uma linguagem clara, direta e realista;
Utilização de uma linguagem denotativa;
Descrição que torna o texto mais verídico.
Descrição subjetiva:
Confere um cunho pessoal ao objeto ou ser descrito;
Transmissão de um estado de espírito e de sentimento;
Descrição de aspectos emocionais;
Utilização de uma linguagem simbólica e metafórica;
Utilização de uma linguagem conotativa;
Descrição que torna o texto mais interessante.
Descrição sensorial (provoca sensações no leitor, explorando diversos sentidos):
Sensações visuais: saia vermelha, mãos enormes, tecido florido, toalha redonda,…
Sensações auditivas: crianças barulhentas, casa silenciosa, ruído ensurdecedor, sibilante som das sílabas,…
Sensações gustativas: resposta amarga, bolo delicioso, prazer agridoce, mar salgado,…
Sensações olfativas: cheiro nauseabundo, aroma agradável, odor fétido e pestilento, roupa perfumada,…
Sensações táteis:
chão duro e áspero, seda macia, pele fria, tecido rugoso,…
Exemplos de texto descritivo:
folhetos turísticos;
cardápios de restaurantes;
classificados;
...
...
Texto dissertativo (expositivo e argumentativo)
A principal finalidade de um texto dissertativo é informar e esclarecer o leitor através da exposição rigorosa e clara de um determinado assunto ou tema.
Os textos dissertativos podem ser expositivos ou argumentativos.
 Um texto dissertativo-expositivo visa apenas expor um ponto de vista, não havendo a necessidade de convencer o leitor. 
Já o texto dissertativo-argumentativo visa persuadir e convencer o leitor a concordar com a tese defendida.

Teste o Premium para desbloquear

Aproveite todos os benefícios por 3 dias sem pagar! 😉
Já tem cadastro?

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes