Casos clinicos
8 pág.

Casos clinicos


DisciplinaPatologia Humana424 materiais3.210 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Cicatrização
Patologia: Ulcera por pressão
Identificação:
M.J.S.O., sexo feminino, negra, 74 anos, viúva, aposentada, semianalfabeta, natural da Bahia, residente em Brumado \u2013 Bahia.
História clínica: 
A paciente possui diabetes mellitus tipo 2, amputação parcial do pé esquerdo devido consequências de diabetes mal controlada. Estava em tratamento da lesão e uso de muleta quando desenvolveu essa ulcera por pressão (UP) por ficar muito tempo com o calcanhar esquerdo apoiado em um \u201cbanco\u201d favorecendo o desenvolvimento da UP devido isquemia tecidual. Relata que não sentia o desconforto no calcanhar, o que nos levou a equipe de atenção básica a constatar presença de neuropatia diabética (danificação dos nervos periféricos) uma complicação do diabetes.
Terapêutica adotada:
Desbridamento instrumental conservador a beira do leito seguido de cobertura de Alginato de cálcio para preencher cavidade e placa de hidrocolóide. Orientada a realizar trocas de curativos a cada 3 dias ou sempre que a placa saturar, necessidade de manter o calcanhar elevado para não causar mais pressão. A paciente segue em tratamento domiciliar.
Atrofia Muscular
Identificação:
Em outubro de 2012 o paciente R.M.A., sexo masculino, 38 anos, casado e residente em Santo Antônio de Jesus \u2013 Bahia.
História da doença atual:
Iniciou um quadro de tremores e perda progressiva da força muscular, inicialmente proximal e posteriormente generalizada, queda do estado geral e emagrecimento significativo, impossibilitando-o para o trabalho. Nesta época foi diagnosticada polimiosite através de uma Eletroneuromiografia (ENMG) com padrão de inicial de uso de 1mg/Kg/dia de prednisona (60mg). Em março de 2013 o paciente foi internado na Reumatologia do HUSAJ, tendo realizado exames que mostraram hipomagnesemia, hipofosfatemia e alcalose metabólica. Neste momento também apresentava hipocalcemia refratária á reposição venosa e oral de potássio. Realizada biopsia de musculo, que descartou polimiosite. Recebeu alta para acompanhamento ambulatorial usando alendronato de sódio, corticoide e reposição oral de potássio e magnésio, além de indicação de colete ortopédico.
Evolução:
Paciente evoluiu com graves e múltiplos distúrbios hidroeletrolíticos, necessitando de continuas correções na tentativa de restaurar a homeostase, com reposição intravenosa de água e eletrólitos. Só foi possível à reposição eficaz com suporte nutricional havendo pouca recuperação de força muscular.
Câncer
Patologia: Melanoma
Identificação:
S. M. R., sexo feminino, pele clara, 40 anos, divorciada, agente comunitário de saúde, natural de Amargosa- Bahia.
História clínica:
A paciente relata que sua doença começou há 10 anos, quando se tornou gestante. Nesta ocasião, procurou a assistência médica, sendo diagnosticada com \u201cmelasma\u201d e foi instituído um tratamento clinico, durante 5 meses, sem que se verificasse melhora no quadro. A doença evoluiu, atingindo todo o lado esquerdo do rosto, pois a mesma não utilizava o filtro solar de proteção e sempre trabalhou exposta ao sol. Nega hipertensão e diabetes. Pais falecidos de causa ignorada. Tem uma filha saudável. Etilista moderada e nega tabagismo.
Ao exame: 
Paciente hipotrófica, emagrecida, com panículo adiposo escasso. Fáceis de dor. Lucida. Orientada no tempo e espaço. Afebril, normocárdica e eupnéica. Na dermatoscopia manual, observou naquele momento o risco de cada lesão e coletou-se um pouco do tecido e foi solicitada uma biópsia junto com um exame histopatológico. 
Terapêutica adotada:
Depois de realizada a biopsia, a paciente foi diagnosticada com \u201cmelanoma\u201d e foi instituído a retirada do tumor e a quimioterapia por 9 meses, pois quanto maior a extensão e profundidade as chances de ocorrer metástase aumentam.
Doença Intra Pélvica
Patologia: Gonorreia
Identificação:
S. C. S. O. C., sexo feminino, parda, 38 anos de idade, alfabetizada, casada, natural de Mutuípe- Bahia.
História clínica:
A paciente relata que não utiliza preservativo nas relações sexuais encontra-se com secreção vaginal, dor durante a relação sexual, desconforto abdominal com dor na parte inferior do abdômen \u2018\u2019pé da barriga\u2019\u2019 e faz uso de Dispositivo Intra Uterino (DIU). 
Ao exame:
Paciente consciente, respondendo às solicitações verbais, respirando em ar ambiente. Febril, eupnéica, normocárdica, normotensa. Tórax simétrico, expansivo. Abdome tenso e dolor à palpação. Genitália com pequenas lesões e com presença de corrimento amarelado. Foi solicitado um hemograma, coleta do conteúdo vaginal e uma ultrassonografia pélvica. Foi diagnosticada com gonorreia.
Terapêutica adotada:
O tratamento foi iniciado com o uso de azitromicina durante 14 dias e retirada do DIU. Durante o tratamento foi aconselhado evitar relações sexuais e incentivado que o seu esposo também procurasse tratamento, pois mesmo sem apresentar os sintomas poderá haver recontaminação. Em quatro dias a paciente já apresentava melhora e começou a utilizar preservativo em todas as relações sexuais subsequentes.
Inflamação Aguda
Patologia: Abcesso dentário
Identificação:
L.M.R.A., sexo feminino, 24 anos, solteira, Auxiliar de Escritório, natural de Irecê- Bahia.
História clínica:
Paciente relata febre, calafrios, vômito e dores durante a mastigação todas as vezes que tinha uma alimentação mais sólida, pois há um mês havia quebrado um dente ao dividir uma bala ao meio. Depois de um tempo essa dor aumentou e formou um carroço edemaciado com bastante calor, ardor e rubor que crescia descontroladamente. Por medo de maiores complicações, procurou o dentista.
Terapêutica adotada:
A área foi coberta com uma solução antisséptica e foi feito um corte para abrir o abscesso e drenar todo o pus e os detritos. Após a drenagem do abscesso, higienizou a área ao redor com uma solução salina (evitando possíveis infecções). Ouve melhora imediatamente após o abscesso ser drenado, mas a paciente ainda se queixava. Devido a isso foi prescrito antibiótico para combater a infecção, analgésicos para combater a dor e febre nos próximos dias. Na tentativa de preservar o dente, foi realizada uma cirurgia de canal, onde a área central do dente, incluindo os tecidos nervoso e vascular (polpa), foi removida juntamente com as partes cariadas do dente e a raiz e sua superfície permanece nos seus lugares, sendo preenchida e restaurada. Devido a grande extensão e demora na busca de atendimento o dente teve que ser extraído.
Centro de Ciencias da Saúde- CCS
Estudo de Caso
Discente: Brenda Rhaianne Novais Leite Lopes
Docente: George Mariane Soares Santana
Disciplina: Patologia Humana (CCS 189)
Bacharelado em Enfermagem
Santo Antônio de Jesus - Ba
Maio/2015
Inflamação Crônica
Patologia: Tuberculose
Identificação: 
Paciente T.C.S., 22 anos, feminino, branca, solteira, estudante universitária, tabagista de 20 cigarros por dia, desde os 8 anos, natural de Feira de Santana \u2013 Bahia.
História Clinica:
Em fevereiro de 2014, iniciou quadro de dispneia aos grandes esforços que progrediu rapidamente para mínimos esforços. Descreve que apresentava tosse seca continua no inicio, depois com presença de secreção abundante, com traços de sangue, por mais de 4 semanas, que a motivou a procurar ajuda médica.
Ao exame:
 Paciente consciente, orientada, lúcida, 75kg, 1.60m, IMC: 29.3, pele integra e hidratada, turgor normal, afebril, normocardico, normotenso, eupneica; tórax sem alteração anatômica; abdômen globoso, ruídos hidroaéreos aumentados, som maciço a percussão e não doloroso a palpação. Além do exame físico descrito acima, foi realizada a baciloscopia de escarro, cultura microbiológica e uma radiografia do tórax.
Evolução:
A paciente ficou inicialmente preocupada com os seguintes aspectos: o longo tempo de terapêutica que foi estabelecida, a possibilidade de transmissão aos seus familiares e a mudança que necessária em sua rotina de estudos e alimentação. A paciente