A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
EXERCÍCIO PÓRTICO HIPERESTÁTICO

Pré-visualização | Página 1 de 2

Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 1 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
8,0 m4,0 m
4,
0 
m
2 tf/m
A B
D
C
E
2 tf/m
4,
0 
m
(θb, θc)
q.l
12 =+
q.l
12 =-
BC BC
2 2
INCÓGNITAS
8,0 m4,0 m
A B
D
C
E
SISTEMA PRINCIPAL (0)
1 2
β 10 β 20
+10,667 -10,667
ϕ = 1
8,0 m4,0 m
SISTEMA AUXILIAR (1)
β 11 β 21
θbx
4EI
l = =
4
83EI
l = =
3
4
2EI
l = =
2
8
1 2
0,75
0,5 0,25
AB
BC
BC
4EI
l = =
4
4 1,0DB
2EI
l = =
2
4 0,5DB
A B
D
C
E
1. Traçar os diagramas de esforços solicitantes (esforço normal, esforço 
cortante e momento fletor) do pórtico abaixo por meio do método dos 
deslocamentos. Considerar as barras indeformáveis axialmente e EI constante. 
 
 
 
 
 
 
Sugestão: EI sendo constante, podemos substituí-lo por 1 para facilitar as contas, 
pois ele se auto-cancelará no cálculo dos momentos finais. 
1.0 Sistema principal 0 
 
 
 
 
 
 
 
1.1 Sistema auxiliar 1 (Giro unitário no nó 1, ou seja, nó B) 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 2 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
ϕ = 1
8,0 m4,0 m
SISTEMA AUXILIAR (2)
β 12 β 22
θcx
2EI
l = =
2
8 4EI
l = =
4
8
3EI
l = =
3
4
1 2
0,25
0,5BC
BC
CE
0,75A B
D
C
E
1.2 Sistema auxiliar 2 (Giro unitário no nó 2, ou seja, nó C) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1.3 Cálculo dos �′� 
��� = +10,667 ��� = 0,75 + 0,5 + 1,0 = 2,25 ��� = 0,25 
 
��� = −10,667 ��� = 0,25 ��� = 0,5 + 0,75 = 1,25 
 
 
 1.4 Montagem do sistema de equações 
 
 ��� + ����� + ����� = 0 ����� + ����� = −��� 
 ��� + ����� + ����� = 0 ����� + ����� = −��� 
 
 2,25�� + 0,25�� = −(10,667) 2,25�� + 0,25�� = −10,667 
 0,25�� + 1,25�� = −(−10,667) 0,25�� + 1,25�� = +10,667 
 
Resolvendo o sistema por meio da calculadora, obtém-se: 
�� =
 ��,���
��
 !" e �# =
$,%$&
��
 !" 
 
Obs: Não esquecer que o coeficiente EI ainda existe e deve ser colocado na 
resposta. 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 3 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
1.5 Cálculo dos momentos finais 
Barra AB 
'(
)
= '(* + '(+ . �� + '(- . �� 
./
0
= 1 + 1 + 1 = 1 
 
Para comprovar o que foi dito na sugestão, será considerado o produto 23 apenas para este 
cálculo de momento, os próximos serão feitos de maneira direta. 
'�
)
= '�* + '�+ . �� + '�- . �� 
'�
)
= 0 � 0,7523 4 �
�5,818
23
� � 0 
'�
)
� 0 � 0,7523 4 �
�6,7�7
89
� 
.�
0
� � :, ;%: <0=> ↷ Giro horário 
 
Barra BC 
'�
)
= '�* + '�+ . �� + '�- . �� 
'�
)
= 10,667 � 0,54��5,818� � 0,254�9,697� 
.�
0
� �1, ��A <0=> ↶ Giro anti-horário 
 
'�
)
= '�* + '�+ . �� + '�- . �� 
'�
)
= −10,667 � 0,254��5,818� � 0,54�9,697� 
.#
0
� � &, A&; <0=> ↷ Giro horário 
 
Barra BD 
'�
)
= '�* + '�+ . �� + '�- . �� 
'�
)
= 0 � 14��5,818� � 0 
.�
0
� � �, ��� <0=> ↷ Giro horário 
 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 4 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
8,0 m4,0 m
4,
0 
m
DMF[tfxm]
q.l
8
BC
2
=16
4,364
10,182
7,273
7,273
5,818
2,909
A B
D
C
E
'C
)
= 'C* + 'C+ . �� + 'C- . �� 
'C
)
= 0 � 0,54��5,818� � 0 
.D
0
� � A, $1$ <0=> ↷ Giro horário 
 
Barra CE 
'�
)
= '�* + '�+ . �� + '�- . �� 
'�
)
= 0 � 0 � 0,754�9,697� 
.#
0
� &, A&; <0=> ↶ Giro anti-horário 
 
'8
)
= '8* + '8+ . �� + '8- . �� 
'8
)
= 0 � 0 � 0 
.�
0
� 1 
 
1.6 Traçado do diagrama de momento fletor (DMF) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 5 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
A B
4,0 m
4,364
4,364
4 = 1,091 tf
4,364
4 = 1,091 tf
16 tf (resultante)
B C
10,182
8,0 m
7,273
16
2 = 8 tf
16
2 = 8 tf
10,182
8 = 1,273 tf
10,182
8 = 1,273 tf
 7,273
8 = 0,91 tf
 7,273
8 = 0,91 tf
8,363 tf 7,637 tf
1.7 Cálculo das reações de apoio 
 
1.7.1 Análise da barra AB 
 
 
 
 
 
 
 
1.7.2 Análise da barra BC 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 6 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
C
E
4,
0 
m
7,273
7,273
4 = 1,818 tf
7,273
4 = 1,818 tf
B
D
2,909
4,
0 
m
5,818
2,909
4 = 0,727 tf
5,818
4 = 1,455 tf
2,909
4 = 0,727 tf
5,818
4 = 1,455 tf 2,182 tf
2,182 tf
16 tf (resultante)
A B
1,091 tf 1,091 tf
B C
8,363 tf 7,637 tf
B
D
2,182 tf
2,182 tf
C
E
1,818 tf
1,818 tf
10,182 7,2734,364
2,909
5,818 7,273
1.7.3 Análise da barra BD 
 
 
 
 
 
 
 
 
1.7.4 Análise da barra CE 
 
 
 
 
 
 
 
 
1.7.5 Esquema de todas as barras juntas 
 
 
 
 
 
 
 
 
Teoria das Estruturas II Universidade Federal do Amazonas 7 
 
Prof. Winston Zumaeta Método dos deslocamentos 18/04/2015 
1.7.6 Reações do apoio em A 
Para calcular a reação horizontal em A, deve-se somar todas as reações calculadas 
anteriormente barra por barra, que estão no mesmo eixo horizontal que corta o ponto A, e 
que também estão interligadas por meio de barras ao mesmo ponto A, portanto tem-se uma 
reação em B e outra em C, então