A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Cinesiologia e Biomecânica dos Membros Inferiores Completa

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ
CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE
CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA
CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA
PAOLA PAULO DE OLIVEIRA
Cinesiologia
Paola Paulo de Oliveira 
Ossos do Quadril
Quadril é representado pela pelve óssea, que forma o cíngulo do membro inferior. 
A pelve é formada por:
Ossos da Pelve
Sacro 
Cóccix
Ossos da pelve formam sete articulações: 
Lombossacra
Sacrococcígea 
Sacroilíacas 
Interpúbica 
Coxofemorais 
Os ossos do quadril são formado por:
Ísquio
Ílio
Púbis
 Ílio:
Localizado superiormente 
Plano
Forma de “Leque”
Corpo e asa – a borda da asa é denominada crista ilíaca, apresentando dois lábios e a linha intermédia.
Corpo entra na formação do acetábulo, sendo delimitado externamente pelo limbo do acetábulo (contorno da cavidade) e internamente pela linha arqueada. 
Na asa, encontra-se a face glútea, onde se encontram as linhas glúteas: posterior, anterior e inferior (externamente) e a fossa ilíaca (internamente).
EIAS, EIAI, EIPS, EIPI
Ísquio:
Posterior e inferiormente
Dividido em três partes: Túber/ Tuberosidade, corpo e ramo.
A parte do ramo se articula com o ramo inferior do púbis.
Existe uma proeminência, sendo ela a espinha isquiática, que separa as incisuras ciáticas/isquiáticas maior e menor. 
O túber se projeta para baixo do corpo e do ramo, que se articula com o ramo inferior do púbis e formam a parte inferior do forame obturado.
 Púbis:
Anterior e medial
Possui corpo, ramo superior e inferior
O corpo do púbis entra na formação do acetábulo
Superiormente ao acetábulo, no limite do púbis e ílio, encontra-se a eminência iliopúbica. Essa constitui a linha de união do referidos ossos.
Daí, medialmente se continua com o ramo superior, que apresenta a linha pectínea, que no ílio, é linha arqueada.
No limite medial do ramo superior, tem o tubérculo púbico.
Sua superfície articular é chamada de face sifisial
 Sacro:
5 vértebras fundidas
Face anterior (face pélvica), voltada para baixo é côncava e a posterior, voltada para cima é convexa
Na face pélvica encontram-se 4 linhas transversais e lateralmente a elas, 4 pares de forames pélvicos. 
A crista sacral mediana é formada pela fusão dos processos espinhosos das 3 ou 4 primeiras vértebras. 
As cristas sacrais intermédias se formam pelos processos articulares
As cristas sacrais laterais pela fusão dos processos laterais.
A abertura que encontra-se no sacro é denominada hiato sacral
A base é o promontório
Possui asa, processos auriculares 
 Cóccix:
 apresenta 3,4 ou 5 vértebras fundidas
 É cuneiforme 
 Fêmur: 
Mais longo e mais pesado 
Possui uma diáfise e duas epífises proximal e distal
Epífise proximal é constituída pela cabeça –voltada para cima, medialmente e ligeiramente para frente. Apresenta a fóvea da cabeça do fêmur.
Apresenta um colo, com direção oblíqua lateral e inferiormente
Trocânter maior – superior e lateralmente- e trocânter menor –medial e posteriormente. Anteriormente são unidos pela linha intertrocantérica, e posteriormente pela crista intertrocantérica. 
Tubérculo quadrado localiza-se na crista intertrocantérica
A diáfise possui forma cilíndrica e apresenta convexidade anterior
Posteriormente encontra-se a linha áspera, com lábios medial e latral, encontrados na área intermédia, que forma uma superfície triangular. Lábio lateral forma a tuberosidade glútea e o medial a linha espiral.
A linha pectínea se estende do trocânter menor à linha áspera. 
Articulações da Pelve
 Articulação Interpúbica:
Ossos do quadril são unidos anteriormente pelas faces sinfisiais dos ossos púbicos, com continuidade pelo disco articular.
O disco interpúbico possui cavidade sinfisial 
Tipo: Sínfise
Movimento: Sem movimento
 Articulação Sacro-ilíaca:
 Entre as faces auriculares do sacro e do ílio. 
 São revestidos por cartilagem hialina
Tipo: Sinovial ou Diartrose Plana
 Movimento: Sem movimento
Articulação do Quadril
 Articulação Coxofemoral:
 Constituída pelas superfícies articulares da cabeça do fêmur e a face semilunar do acetábulo, revestidas por cartilagem hialina. 
 Tipo: Sinovial ou Diartrose Esferóide
 Movimento: Grande amplitude de movimento (Adução e abdução, flexão e extensão, rotação externa e interna.)
 Ligamentos da Pelve
 Ligamento Púbico Superior: Reforça superiormente a articulação interpúbica
 Ligamento Púbico Arqueado/Inferior: Reforça inferiormente a articulação interpúbica
 Membrana Obturatória: Fecha totalmente o forame obturado
 Ligamento Inguinal: Da aponeurose do músculo oblíquo externo do abdome até a eias e tubérculo-púbico 
 Ligamento Sacro-Ilíaco Anterior: Reforça anteriormente a cápsula articular da articulação sacro-ilíaca
 Ligamento Sacro-Ilíaco Interósseo: Ligam as tuberosidades ilíacas e sacrais. Localiza-se póstero-superiormente à articulação sacro-ilíaca.
 Ligamento Sacro-Ilíaco Posterior: Une a crista sacral lateral à espinha ilíaca póstero-superior.
 Ligamento Ílio-Lombar: Limita a rotação axial de L5, impede o deslocamento das vértebras sobre o sacro. Se fixa entre os processos costais de L4 e L5 até a crista ilíaca.
 Ligamento Sacro-Tuberal: Possui forma de leque, e vai da borda lateral do sacro até o túber isquiático. 
 Ligamento Sacro-Espinhal: Possui forma de leque, e vai da borda lateral do sacro até a espinha isquiática.
Ligamentos do Quadril
 Ligamento Transverso do Acetábulo: Completa a incisura do acetábulo.
 Ligamento Redondo/ da Cabeça do Fêmur: É fixa na fossa do acetábulo até a fóvea da cabeça do fêmur. (Intracapsular).
 Ligamento Ílio-Femoral/Y: Faixa larga em forma de Y, desde a eiai até o limbo do acetábulo
 Ligamento Ísquio-Femoral: Insere-se na porção isquiática da borda acetabular e extremidade superior da linha intertrocantérica
 Ligamento Pubo-Femoral: Fixa-se na porção púbica da borda do acetábulo e na porção superior da linha intertrocantérica.
 Zona Orbicular: Possui forma de anel, e localiza-se ao redor do menor diâmetro do colo do fêmur. Mantém o contato entre a cabeça do fêmur e a cavidade da articulação.
 Cápsula Articular: Apresenta inserção proximal no limbo do acetábulo, no ligamento transverso e na orla. Sua fixação distal é a linha intertrocantérica e posteriormente no colo do fêmur, próximo a crista intertrocantérica. 
Músculos do Quadril
 Flexão do Quadril:
 Psoas Maior:
O: P.T de L1-L5 e Corpos Vertebrais de T12-L5
I: Trocânter Menor 
ÍlioPsoas: Mesma inserção, origens diferentes.
 Ilíaco:
O: Fossa Ilíaca
I: Trocânter Menor
 Extensão do Quadril:
 Glúteo Máximo:
O: Linha Glútea Posterior, Posterior do Sacro, Posterior do Cóccix, Lig. Sacrotuberosoe Aponeurose do Eretor da Espinha
I: Tuberosidade Glútea e Trato Iliotibial
Semitendinoso:
O: Tuberosidade Isquiática
I: Diáfise Proximal da Tíbia ( e Pata de Ganso)
Pata de Ganso: Semitendinoco, Grácil e Sartório.
Semimembranoso:
O: Tuberosidade Isquiática
I: Côndilo Medial da Tíbia e Fêmur 
Semimembranoso, Semitendinoso e Bíceps Femoral (Cabeça Longa) : Mesma origem.
Bíceps Femoral (Cabeça Longa):
O: Tuberosidade Isquiática
I: Cabeça da Fíbula e Côndilo Lateral da Tíbia
Isquiotibiais: Semitendinoso, Semimembranoso e Bíceps Femoral (cabeça longa).
Flexão, Abdução e Rotação Externa do Quadril com Flexão do Joelho:
Sartório:
O: EIAS
I: Diáfise Proximal da Tíbia
Pata de Ganso
Abdução do Quadril:
Glúteo Médio:
O: Superfície Externa do Osso Ilíaco e entre a Linha Glútea Posterior e a Crista 
I: Trocânter Maior
Glúteo Médio e Mínimo: Mesma inserção, origens diferentes.
Glúteo Mínimo:
O: Superfície Externa do Osso Ilíaco, entre a Linha Glútea Anterior e Inferior e a Incisura Ciática
I: Trocânter Maior
Abdução do Quadril a partir da Posição Fletida:
Tensor da Fáscia Lata:
O: Crista Ilíaca e EIAS
I: Trato Iliotibial
Adução do Quadril:
Adutor Magno:
O: Tuberosidade Isquiática e Ramo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.