violência doméstica
16 pág.

violência doméstica

Pré-visualização3 páginas
JOANICE PINHEIRO DA SILVA MAXIMIANO RA 0177578603
A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
TUTORA EAD: SUELLEN CRISTINA DE AQUINO
 
 
 
 
 
 Campo Limpo/São Paulo
 2019
 
JOANICE PINHEIRO DA SILVA MAXIMIANO
RA: 0177578603
 
Trabalho apresentado ao Curso de Serviço Social do Centro de Educação a Distância - CEAD da Universidade Anhanguera UNIDERP, como requisito obtenção de nota na disciplina Trabalho de conclusão de curso II. 
TUTORA EAD: SUELLEN CRISTINA DEAQUINO
 
Campo Limpo/São Paulo
2019
AGRADECIMENTOS
Para deus por me presentear com a vida e poder compartilhá-la com pessoas maravilhosas. Pelo refúgio, fortaleza, força e sabedoria nele encontrados nos momentos mais difíceis e decisivos.
Muito obrigada a todos os meus amigos e colegas do curso, aos coordenadores, tutores online e presenciais que sempre estiveram a nossa disposição que me auxiliaram desde sempre.
A minha universidade de São Paulo Anhanguera ser essa referência no ensino de qualidade.
A minha família e agradeço incondicionalmente a meus tutores, a todos vocês não seria possível chegar até aqui.
RESUMO
A temática foi escolhida devido ao aumento dos casos de violência contra a mulher, destacando a situação precária que a secretaria se encontra no momento. Suas fundamentações teóricas são pela categoria gênero, violência e família, Apresento também, como ocorreu à trajetória de conquistas das mulheres, e as deficiências encontradas nas instituições encontradas.
PALAVRAS CHAVES
Gênero, violência contra a mulher, secretaria da mulher, cidadania e direitos humanos.
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO	1
2 DESENVOLVIMENTO	2
2.1 CONTEXTOS HISTÓRICO E ATUAL DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER	3
2.2 SURGIMENTO	4
3 FORMAS E CONSEQUENCIA DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER	6
3.1 VIOLÊNCIA FISÍCA	6
3.2 VIOLÊNCIA PSICÓLOGICA	6
3.3 VIOLÊNCIA SEXUAL	7
3.4 VIOLÊNCIA PATRIMONIAL	7
4 DELEGACIAS ESPECIALIZADAS (DEAM):	8
4.1DEFENSORIA PUBLICA DA MULHER	9
4.2 CASAS-ABRIGO	9
4.3 SERVIÇOS DE SAÚDE	9
5 CONCLUSÃO	10
6 REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA....................................................................11 
Que todas as Mulheres, não só hoje, mas todos os dias, sejam livres de qualquer violência e que não lhe sejam negados direitos á vida. Que sejam associadas a respeito e dignidade.
Maria Simão Torres
	
1 INTRODUÇÃO
A violência existe em todo o mundo e se concretiza como um dos principais e graves problemas da sociedade atual, podendo se moldar de varias formas, e ocorrer por motivos diversos. Neste trabalho, abordaremos a violência perpetrada contra a mulher, em que, na maioria das vezes, o agressor é o homem, em geral seu parceiro, namorado, noivo ou marido.
Atualmente a violência contra mulher se concretiza, atualmente, como um problema de cunho publico, pois toda mulher, independente de sua classe econômica, esta sujeita a ser vitima desse fenômeno que resulta em graves consequências físicas, psicológicas, e sociais como a depressão, incapacidade e o medo, podendo chegar ao suicídio. Durante anos, a mulher foi submetida a um tratamento desigual ao dos homens, eram tratadas de forma machista e inferior, todas as conquistas, ate agora, foram resultados de muitas lutas e infelizmente mortes. Muitas mulheres foram ás ruas e lutaram pelo voto feminino, por salários iguais aos dos homens, garantias de trabalho, condições de vida e pelo fim da violência.
Temos varias politicas de proteção para a mulher, uma da que mais ganhou notoriedade no Brasil foi a lei Maria da Penha, foi uma grande vitória para todas as mulheres. Foi necessário que uma mulher, após duas tentativas de assassinato, de seu esposo, deixando a paraplégica, recorresse a Comissão interamericana de Direitos Humanos e condenasse o Brasil por negligência para que se conseguisse justiça e a efetivação de uma lei que viesse amparar essas mulheres vitimas de agressão.
Mesmo com a efetivação da lei, ainda existe uma grande efetividade da mesma, não acabou pelo contrario, e com o medo de denunciar, a dependência financeira, a cultura do machismo, a efetividade e a falta de equipamentos que venham amparar essas mulheres. Este estudo sobre analise e perspectivas da mulher cidadania e direitos Humanos.
2 DESENVOLVIMENTO
O referido trabalho tem como tema principal a violência doméstica contra a mulher e a perspectiva dos profissionais da secretaria da mulher, cidadania e direitos Humanos, analisando os significados para cada um deles.
De inicio a violência psicológica contra a mulher, acompanhado da violência física e a privação de demais direitos. Em minha compreensão este estudo desse fenômeno e de grande importância busca através de analise geral do assunto, junto com os órgãos governamentais, mostrar o significado, abuso e compreensão do trabalho. 
Importa salientar que a desigualdade de gênero é um fenômeno transversal a sociedade, pois desconhece a fronteira de classe social e de raça/etnia. Ocorre no mundo inteiro e atinge mulheres em todas as idades.
2.1 CONTEXTOS HISTÓRICO E ATUAL DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER 
 Antigamente as mulheres eram tidas como inferiores aos homens, se submetendo na maioria das vezes ordens e humilhações que a própria cultura racista lhe continha, vista apenas como cuidadora do lar e doadora de amor, tida assim, como vinda ao mundo somente para reprodução e cuidados com a alimentação e comodidade. Desde a metade do século xlx até depois da primeira guerra mundial, o panorama econômico e cultural do Brasil mudou profundamente. A industrialização e a urbanização alteraram a vida cotidiana, particularmente das mulheres, que passara e m a, cada vez mais, ocupar o espaço das ruas, a trabalhar fora de casa, a estudar etc.
 Assim, no inicio da década de 50, a Organização das Nações Unidas (ONU) priorizou esforços contra essa forma de violência; entre os anos de 1949 a 1962 criou-se a comissão de status da mulher, impulsionando uma série de tratados fundamentados nas provisões na carta das nações unidas, quais reforçam ideia de igualmente entre homens e mulheres, sem distinção.
 Portanto, a partir da década de 1970 começaram a se formar os primeiros grupos feministas, que se encontravam para discutir as questões que lhes afligiam em especial o corpo, a sexualidade e o prazer. Eram grupos informais que se auto conduziam até mesmo quando o objetivo era terapêutico.
 
2.2 SURGIMENTO 
 O termo violência contra a mulher surge nos anos 70, através do movimento feminista, ao denunciar para a sociedade que as mulheres eram alvo principal da violência praticada pelos homens. A violência contra a mulher pode ocorrer dentro de casa como fora dela. Muitas vezes ela é praticada por pessoas não relacionadas a família, mas que mantêm um certo poder sobre a mulher. A justificativa para os atos de violência estaria somente pelo fato de ser mulher, portanto um ser submisso, que deve obediência ao homem.
 Como exemplo no ano de 1976, na cidade de Belo Horizonte/ MG, a socialite Ângela Maria Diniz, foi brutalmente assassinada por seu ex-cônjuge, Raul Fernando Amaral Street (vulgo doca), motivado pela rejeição ao rompimento do relacionamento; quando levado ao julgamento, sua alegação em \u201clegitima defesa da honra\u201d lhe garantiu a liberdade. Devido a sua social, o assassinato de Ângela teve uma imensa repercussão midiática, inflamando o movimento de mulheres em torno do lema: \u201cquem ama não mata\u201d. No entanto, o caso Ângela é nada mais uma triste história de impunidade e violência contra a mulher