A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
A2 - Técnicas Digitais - 2018 1 - on line - EAD UVA prova 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

1) Os diagramas temporais são representações gráficas dos sinais elétricos ao longo do tempo. Neles 
se pode relacionar o comportamento de diversos pontos de um circuito eletrônico e entender 
melhor a relação causal entre os sinais de entrada e saída. 
 
No circuito digital com o diagrama temporal a seguir, relacione as variáveis de entrada A e B com a 
variável de saída S. 
 
 Considerando que a função S tem seu circuito digital implementado a partir de portas lógicas, 
assinale a alternativa que apresenta a porta lógica que se assemelha a esse circuito combinacional. 
• A) AND 
• B) NOR 
• C) OR 
• D) XNOR 
• E) NAND 
 
 2) Durante toda a história, assim como a palavra, o número também passou por diversas mudanças 
na sua representação. Um sistema de numeração é um sistema que representa números de uma 
forma consistente, representando uma grande quantidade de números úteis, dando a cada número 
uma única representação, refletindo as suas estruturas algébricas e aritméticas. Considerando os 
números X = 325712, no sistema de numeração octal, e Y = 1ABCA, no sistema de numeração 
hexadecimal, a diferença da subtração X – Y expressa no sistema de numeração decimal é: 
• A) +216198. 
• B) 10. 
• C) 100. 
• D) –216198. 
• E) 0. 
 
 3) As portas lógicas (gate logic) são a base da eletrônica digital e servem para implementar os 
circuitos combinacionais. Considerando a eletrônica digital, correlacione as portas lógicas com as 
simbologias adotadas para elas. 
• 1. Porta NAND 
• 2. Porta NOT 
• 3. Porta XOR 
• 4. Porta NOR 
• 5. Porta OR 
• 6. Porta AND 
• 
• Marque a alternativa que apresenta a sequência correta da esquerda para a direita. 
A) 1 – 4 – 2 – 5 – 3 – 6. 
B) 1 – 2 – 4 – 3 – 5 – 6. 
C) 3 – 1 – 4 – 6 – 5 – 2. 
D) 6 – 2 – 5 – 3 – 4 – 1. 
E) 6 – 4 – 2 – 5 – 3 – 1. 
 
4) Em geral, pode-se representar um flip-flop como um arranjo lógico com duas saídas (Q e Q'), 
entrada para as variáveis (JK ou RS) e uma entrada de controle (clock). Esse dispositivo tem seus 
estados de saída a partir de uma combinação das variáveis e do pulso de controle (clock). Após esse 
pulso, o flip-flop permanecerá nesse estado até a chegada de um novo pulso de clock e, então, de 
acordo com as variáveis de entrada, mudará ou não de estado. 
 
Com relação aos flip-flops, pode-se afirmar que: 
A) No flip-flop RS, a condição de R = S = 1 é permitida, uma vez que é possível se fazer o set e o 
reset da saída Q ao mesmo tempo. 
B) Quando as entradas de um flip-flop JK estiverem em nível alto, a saída assumirá nível lógico 
contrário ao da saída anterior. 
C) O flip-flop D é obtido por meio de um flip-flop JK mestre-escravo com as entradas J e K 
curtocircuitadas (uma ligada à outra). 
D) Nas saídas dos flip-flops, existe apenas um estado de saída possível, que é o nível alto para a 
saída Q e baixo para a ~Q. 
E) O flip-flop T é obtido por meio de um flip-flop JK mestre-escravo com a entrada K invertida 
(por inversor) em relação à entrada J. 
 
 5) Usualmente, utilizamos o sistema de numeração decimal para representar números em nosso dia 
a dia. O sistema decimal é um sistema de numeração posicional em que a posição do dígito indica a 
potência de 10 que o dígito está representando. Assim, o número 325 = 3 × 10^2 + 2 × 10^1 + 5 × 
10^0. Há outros sistemas, como o octal, o hexadecimal e o binário. Nesse contexto, considere a 
seguinte operação aritmética de dois números no sistema de numeração binário: 1001 + 1010 = 
10011. 
 Analisando a operação aritmética apresentada, pode-se inferir que ela é equivalente a: 
A) 9 + 8 = 17 no sistema de numeração decimal. 
B) 11 + 12 = 23 no sistema de numeração decimal. 
C) 9 + 10 = 19 no sistema de numeração decimal. 
D) 10 + 11 = 21 no sistema de numeração decimal. 
E) 7 + 12 = 19 no sistema de numeração decimal. 
 
6) Na lógica combinacional, as células básicas para a construção dos circuitos são as portas lógicas, já 
na lógica sequencial, as células básicas são os circuitos biestáveis, ou flip-flops. Em geral, podemos 
representar o flip-flop como um bloco em que temos duas saídas: "Q" e "Q*" (Q linha), entrada para 
as variáveis e uma entrada de controle (clock). 
Considerando o comportamento dos flip-flops, marque a alternativa que evidencia corretamente um 
exemplo de aplicação desses dispositivos. 
 A) Decodificar códigos binários. 
 B) Gerador e verificador de paridade. 
 C) Acionar displays de leds de sete segmentos. 
 D) Somar duas palavras lógicas binárias. 
 E) Detector de uma sequência de entrada. 
 
7) Nos circuitos digitais, um flip-flop, também conhecido como multivibrador biestável, ou 
simplesmente biestável, é um circuito digital que, pulsado (sinal de clock), é capaz de servir como 
uma memória de um bit. Isso faz com que ele seja a base da lógica sequencial. Os flip-flops podem se 
apresentar em diversas configurações, uma delas é conhecida como flip-flop JK, que possui a 
seguinte tabela verdade: 
 
Seja então um flip-flop JK onde as suas entradas J e K e o sinal de clock são dados no diagrama 
temporal a seguir: 
• 
 
Considerando a Tabela Verdade do flip-flop JK e o diagrama temporal apresentado, preencha no 
diagrama o comportamento das saídas Q e do seu complemento ~Q, sabendo que, inicialmente, a 
saída Q está em nível alto e que esse flip-flop é acionado pela transição de subida do clock. 
 
 
 8) A Tabela Verdade é uma importante ferramenta de apoio à análise de circuitos digitais porque 
apresenta todas as possíveis combinações entre as variáveis lógicas de um circuito digital. 
Considere que um circuito digital tenha a Tabela Verdade a seguir, relacionando as variáveis de 
entrada A, B e C com a variável de saída S. 
• 
 Considerando que a função S precisa ser implementada a partir de portas lógicas NAND de duas 
entradas, utilizando a metodologia do Mapa de Karnough, determine de quantas portas NAN no 
mínimo o circuito em questão necessita para ser implementado.