ciclo cardiaco
3 pág.

ciclo cardiaco


DisciplinaFisiologia I31.491 materiais292.624 seguidores
Pré-visualização1 página
Graziela Vieira
Estudo Dirigido - Ciclo Cardíaco
1- Defina: Ciclo Cardíaco.
É o conjunto de eventos cardíacos que ocorre entre o inicio de um batimento e o inicio do próximo.
2-      Que eventos mecânicos são responsáveis pela primeira e segunda bulha cardíaca?
Na primeira bulha cardíaca ocorre o fechamento das valvas atrioventriculares (A-V) no inicio da sístole, na segunda bulha cardíaca acontece o fechamento das valvas semilunares (aórtica e pulmonar) no final da sístole.
3-      Relacione os eventos elétricos do ECG com as fases do ciclo cardíaco.
A onda P é causada pela despolarização dos átrios, e isso é seguido pela contração atrial, que causa aumento discreto na curva de pressão ventricular;
As ondas Q, R e S surgem como resultado da despolarização elétrica dos ventrículos que inicia a contração ventricular e faz com que a pressão ventricular comece a aumentar. O complexo QRS se inicia logo antes da sístole ventricular;
A onda T é o estágio de repolarização, inicio do relaxamento ventricular e final da contração ventricular.
4- Desenhe e descreva cada etapa do ciclo cardíaco representado pela alça pressão-volume. Primeira Fase:
Enchimento
O sangue flui do átrio esquerdo para o ventrículo, volume e pressão aumentam;
Segunda Fase:
Contração Isovolumétrica
Fechamento das válvulas, volume continua estável, aumento da pressão;
Terceira Fase:
Ejeção
Sangue flui para a valva aórtica, volume diminui e a pressão varia;
Quarta Fase:
Relaxamento Isovolumétrico
Válvula aórtica se fecha, pressão diminui e volume fica estável.
120
Ejeção
Fechamento da válvula aórtica
Abertura da válvula aórtica
100
Pressão do ventrículo esquerdo (mmHg)
80
60
Relaxamento Isovolumétrico
Contração Isovolumétrica
40
Fechamento da válvula mitral
Abertura da válvula mitral
200
Enchimento
1300
1100
900
700
500
0
Volume do ventrículo esquerdo (mL)
 5-    Defina:
-débito cardíaco (DC): Quantidade de sangue bombeada a cada minuto.
-volume sistólico (VS): Quantidade de sangue bombeado por um ventrículo durante uma contração.
-volume diastólico final (VDF): Volume máximo do ventrículo.
-volume sistólico final (VSF): Quantidade de sangue que resta no ventrículo no final de uma contração.
6-    Relacione os fatores determinantes do débito cardíaco.
Existe vários fatores que determinam o débito cardíaco, e esses podem ser extrínsecos através da estimulação nervosa pelo sistema nervoso autonômico, ou ser também intrínsecos pelo mecanismo de frank-Starling que diz quanto mais o miocárdio for distendido durante o enchimento maior será a força da contração e maior a quantidade de sangue bombeada para a aorta. Ainda os íons de potássio e cálcio influenciam no funcionamento cardíaco, O excesso de potássio no liquido extracelular diminui a frequência dos batimentos, isso porque despolariza a membrana celular impedindo a passagem de impulsos do átrio para o ventrículo causando dilatação e flacidez no músculo cardíaco. O efeito dos íons de cálcio afeta também a frequência cardíaca, sendo que o excesso dele causa espasmos e a deficiência vai fazer com que o miocárdio fique flácido assim como no aumento do potássio. A temperatura atinge também o funcionamento cardíaco em meios mais extremos como a temperatura elevada aumenta a permeabilidade das membranas do musculo cardíaco causando o aumento da frequência, e em temperaturas baixas acontece inversamente fazendo a frequência diminuir.
7- Explique o controle da frequência cardíaca e contratilidade miocárdica pelo sistema nervoso autônomo.
O coração recebe inervação pelos nervos simpáticos e parassimpáticos. Os nervos parassimpáticos (vagos) distribuem-se em maior parte para os nodos sino atrial e atrioventricular, pouco menos para a musculatura atrial e mais pouco ainda para o músculo ventricular. Os nervos simpáticos distribui- se por todas as porções do coração e principalmente no músculo ventricular. 
8-    Explique a auto-regulação do débito cardíaco pela pré-carga (lei de Frank-Starling). Descreva de forma detalhada o envolvimento das proteínas contráteis.
A regulação do débito cardíaco é determinada pelo pré carga que é definida como a tensão exercida na parede ventricular após a contração atrial, e depende do retorno venoso. A pré carga determina o grau de estiramento do sarcômero no final da diástole, quanto maior o estiramento, maior o número de sítios onde haverá acoplamento actina-miosina (até um limite). Depois de um limite, a capacidade contrátil passa a declinar.
9-    Quais são os respectivos efeitos de mudanças (aumento ou redução) na pré-carga e pós-carga sobre o débito cardíaco?
A pré-carga é a tensão mantido na parede ventricular após a contração atrial e depende do volume diastólico final, quanto maior for a pré-carga maior será a força de contração ventricular e débito cardíaco
Na pós-carga quanto maior for a resistência contra a qual o coração deve impulsionar seu fluxo maior deverá ser seu trabalho para manter o mesmo débito. Caso o coração não consiga elevar seu trabalho o débito cardíaco irá diminuir.